Gostou do artigo? Compartilhe!

Estudo descobre mecanismo por trás da Síndrome Inflamatória Multissistêmica em Crianças (MIS-C) pós-COVID-19

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Uma equipe de pesquisa multidisciplinar da Harvard Medical School (HMS), do MassGeneral Hospital for Children, do Brigham and Women’s Hospital e de outras instituições identificou o mecanismo que causa o desenvolvimento de uma complicação pós-COVID-19 extremamente rara, mas séria, em crianças e adolescentes.

Em novo estudo, publicado no The Journal of Clinical Investigation, os pesquisadores relatam uma conexão do intestino com a COVID-19, que explica como a complicação MIS-C (Síndrome1 Inflamatória Multissistêmica em Crianças) se desenvolve nas crianças e adolescentes.

Semanas após a infecção2 ou exposição ao SARS-CoV-2, algumas crianças desenvolvem essa doença grave com risco de vida. Os sintomas3 gastrointestinais são comuns em pacientes com MIS-C e ocorre uma resposta hiperinflamatória grave com potencial para complicações cardíacas. Mas a causa da MIS-C não foi identificada anteriormente.

Saiba mais sobre "Relação da MIS-C com a Covid-19", "Sintomas3 da COVID-19" e "Características clínicas de crianças com MIS-C".

Liderada por Lael Yonker, professora assistente de pediatria e pneumologista pediátrica da HMS, a equipe de pesquisadores determinou que as partículas virais que permanecem no intestino muito depois de uma infecção2 inicial por SARS-CoV-2 podem viajar para a corrente sanguínea, instigando a condição MIS-C.

No estudo, os pesquisadores fornecem informações sobre a mecânica da MIS-C e identificam biomarcadores potenciais para detecção, tratamento e prevenção precoces da doença.

Eles também descrevem o tratamento bem-sucedido de uma criança de 17 meses com MIS-C.

“Quando percebemos que 95 por cento das crianças com MIS-C tinham partículas virais de SARS-CoV-2 em suas fezes, mas nenhum ou baixos níveis de partículas em seu nariz4 ou garganta5, investigamos mais e descobrimos que o material viral que permanece no intestino muito depois da primeira infecção2 por COVID-19 pode levar à MIS-C”, disse Yonker, principal autora do artigo.

A equipe formulou a hipótese de que as partículas virais do SARS-CoV-2 encontradas no trato gastrointestinal das crianças se movem para a corrente sanguínea, levando à resposta imune hiperinflamatória característica da MIS-C.

No estudo, os pesquisadores analisaram bioespécimes de 100 crianças: 19 crianças com MIS-C, 26 com COVID-19 aguda e 55 controles. As fezes foram avaliadas para SARS-CoV-2 por RT-PCR6 e o plasma7 foi avaliado para marcadores de quebra da integridade da barreira mucosa8, incluindo zonulina.

A detecção ultrassensível do antígeno9 foi usada para investigar a antigenemia do SARS-CoV-2 no plasma7, e as respostas imunes foram caracterizadas. Como prova de conceito10, os pesquisadores trataram um paciente com MIS-C com larazotide, um antagonista11 da zonulina, e monitoraram o impacto na antigenemia e na resposta clínica.

Foi demonstrado que na MIS-C a presença prolongada de SARS-CoV-2 no trato gastrointestinal leva à liberação de zonulina, um biomarcador da permeabilidade12 intestinal, com subsequente tráfico de antígenos13 do SARS-CoV-2 na corrente sanguínea, levando à hiperinflamação.

O paciente com MIS-C tratado com larazotide exibiu uma diminuição coincidente nos níveis plasmáticos do antígeno9 da proteína spike do SARS-CoV-2, de marcadores inflamatórios e uma melhora clínica resultante acima daquela alcançada com os tratamentos atualmente disponíveis.

Assim, o estudo descobriu como a Síndrome1 Inflamatória Multissistêmica em Crianças é causada pela perda dependente da zonulina da barreira da mucosa intestinal14.

Esses dados mecanísticos da patogênese15 da MIS-C fornecem informações sobre os alvos para o diagnóstico16, tratamento e prevenção da MIS-C, que são urgentemente necessários para esta doença relacionada à COVID-19 grave cada vez mais comum em crianças.

Leia sobre "SARS-CoV-2 pediátrico" e "Antígenos13 e anticorpos17 - o que são".

 

Fontes:
The Journal of Clinical Investigation, publicação em 25 de maio de 2021.
Harvard Medical School, notícia publicada em 26 de maio de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Estudo descobre mecanismo por trás da Síndrome Inflamatória Multissistêmica em Crianças (MIS-C) pós-COVID-19. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1396685/estudo-descobre-mecanismo-por-tras-da-sindrome-inflamatoria-multissistemica-em-criancas-mis-c-pos-covid-19.htm>. Acesso em: 4 ago. 2021.

Complementos

1 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
2 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
3 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
4 Nariz: Estrutura especializada que funciona como um órgão do sentido do olfato e que também pertence ao sistema respiratório; o termo inclui tanto o nariz externo como a cavidade nasal.
5 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
6 PCR: Reação em cadeia da polimerase (em inglês Polymerase Chain Reaction - PCR) é um método de amplificação de DNA (ácido desoxirribonucleico).
7 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
8 Mucosa: Tipo de membrana, umidificada por secreções glandulares, que recobre cavidades orgânicas em contato direto ou indireto com o meio exterior.
9 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
10 Prova de conceito: Prova de conceito (PoC ou Proof of Concept) é um termo utilizado para denominar um modelo prático que possa provar o conceito (teórico) estabelecido por uma pesquisa ou artigo técnico. Ela pode ser considerada uma implementação, em geral resumida ou incompleta, de um método ou de uma ideia, realizada com o propósito de verificar se o conceito ou a teoria em questão é susceptível de ser explorado de maneira útil.
11 Antagonista: 1. Opositor. 2. Adversário. 3. Em anatomia geral, que ou o que, numa mesma região anatômica ou função fisiológica, trabalha em sentido contrário (diz-se de músculo). 4. Em medicina, que realiza movimento contrário ou oposto a outro (diz-se de músculo). 5. Em farmácia, que ou o que tende a anular a ação de outro agente (diz-se de agente, medicamento etc.). Agem como bloqueadores de receptores. 6. Em odontologia, que se articula em oposição (diz-se de ou qualquer dente em relação ao da maxila oposta).
12 Permeabilidade: Qualidade dos corpos que deixam passar através de seus poros outros corpos (fluidos, líquidos, gases, etc.).
13 Antígenos: 1. Partículas ou moléculas capazes de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substâncias que, introduzidas no organismo, provocam a formação de anticorpo.
14 Mucosa Intestinal: Revestimento dos INTESTINOS, consistindo em um EPITÉLIO interior, uma LÂMINA PRÓPRIA média, e uma MUSCULARIS MUCOSAE exterior. No INTESTINO DELGADO, a mucosa é caracterizada por várias dobras e muitas células absortivas (ENTERÓCITOS) com MICROVILOSIDADES.
15 Patogênese: Modo de origem ou de evolução de qualquer processo mórbido; nosogenia, patogênese, patogenesia.
16 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
17 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
Gostou do artigo? Compartilhe!