Gostou do artigo? Compartilhe!

Nova técnica terapêutica contra o câncer consegue enganar um tumor para que se auto elimine

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pesquisadores da Universidade de Zurique modificaram um adenovírus respiratório comum para entrar em células1 tumorais como um cavalo de Tróia e entregar genes para uma variedade de tratamentos.

Esses genes enganam as células1 tumorais para que produzam anticorpos2 terapêuticos, fazendo com que sejam eliminadas de dentro para fora.

A abordagem futurística pode representar um grande avanço em comparação com a quimio ou radioterapia3, uma vez que não ataca as células1 saudáveis.

Os pesquisadores esperam que sua técnica, chamada SHREAD (adenovírus blindado, redirecionado [em inglês shielded, retargeted adenovírus]), possa até ajudar nas terapias relacionadas à COVID, permitindo que os genes sejam administrados diretamente aos pulmões4.

“Nós enganamos o tumor5 para que se elimine por meio da produção de agentes anticâncer por suas próprias células”, disse a pós-doutoranda da Universidade de Zurique Sheena Smith, líder de desenvolvimento, em um comunicado.

Um artigo sobre a técnica foi publicado na revista Proceedings of National Academy of Sciences.

“Os agentes terapêuticos, como anticorpos2 terapêuticos ou substâncias de sinalização, em sua maior parte ficam no local do corpo onde são necessários, em vez de se espalharem pela corrente sanguínea, onde podem danificar órgãos e tecidos saudáveis”, disse o líder do grupo de pesquisa Andreas Plückthun.

No estudo, os pesquisadores demonstram como a plataforma de terapia gênica SHREAD para entrega parácrina melhora a localização do tumor5 e os efeitos intratumorais de um anticorpo6 clínico.

Leia sobre "É possível acabar com o câncer7?", "Câncer7: o que é" e "Distinção entre tumores benignos e malignos".

Significância do estudo

Um desafio na terapia do câncer7 é fornecer níveis elevados e consistentes de terapêutica8 aos tumores. Terapêuticas baseadas em proteínas9 (por exemplo, anticorpos2) são normalmente administradas por via intravenosa e requerem várias doses para obter níveis suficientes para trafegar em tumores para exercer um efeito. No entanto, tecidos saudáveis também são expostos a níveis semelhantes de drogas, o que pode levar a efeitos colaterais10 significativos.

Este estudo usa imagens tridimensionais sofisticadas de tumores transparentes para caracterizar uma plataforma de terapia gênica versátil usando adenovírus que resolve esse problema ao produzir drogas diretamente no tumor5.

Esta abordagem aumenta em 1.800 vezes o nível tumor5-para-corrente sanguínea de um anticorpo6 modelo em comparação com a administração direta. Assim, este sistema poderia permitir a produção local de drogas altamente potentes com risco muito reduzido de toxicidades sistêmicas.

Resumo do estudo

O objetivo da administração de drogas contra o câncer7 é atingir altos níveis de terapêutica8 dentro de tumores com exposição sistêmica mínima que poderia causar toxicidade11. A produção de produtos biológicos diretamente in situ12 onde se difundem e atuam localmente é uma alternativa atraente para a administração direta de terapêuticas recombinantes, uma vez que a secreção pelo próprio tumor5 fornece altas concentrações locais que atuam de forma parácrina continuamente por um período prolongado (entrega parácrina).

Os pesquisadores projetaram uma plataforma de terapia gênica SHielded, REtargeted ADenovirus (SHREAD) que visa células1 específicas com base em marcadores de superfície escolhidos e os converte em biofábricas secretoras de terapêuticas.

Em uma prova de conceito13, um anticorpo6 clinicamente aprovado é entregue a tumores ortotópicos em um sistema modelo no qual a biodistribuição precisa pode ser determinada usando limpeza de tecido14 com a técnica CLARITY passiva (PACT) com imagem tridimensional de alta resolução e quantificação de recursos dentro dos tumores tornados transparentes.

Demonstrou-se altos níveis de transdução específica para células1 tumorais e produção significativa e durável de anticorpos2. A PACT fornece uma quantificação localizada da substância terapêutica8 secretada e permite observar diretamente a formação de poros no tumor5 e a destruição da vasculatura intacta.

A produção in situ12 do anticorpo6 levou a uma razão de concentração tumor5-para-soro15 de anticorpo6 aumentada em 1.800 vezes em comparação com a administração direta.

Essas análises bioquímicas e microscópicas detalhadas mostram, portanto, que a administração parácrina com SHREAD pode permitir o uso de combinações terapêuticas altamente potentes, incluindo aquelas com toxicidade11 sistêmica, para atingir janelas terapêuticas adequadas.

Veja também sobre "Marcadores tumorais", "Quinze sintomas16 de câncer7 que muitas mulheres ignoram" e "Câncer7 - informações importantes".

 

Fontes:
Proceedings of National Academy of Sciences, publicação em 25 de maio de 2021.
Neoscope, notícia publicada em 18 de maio de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Nova técnica terapêutica contra o câncer consegue enganar um tumor para que se auto elimine. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1394995/nova-tecnica-terapeutica-contra-o-cancer-consegue-enganar-um-tumor-para-que-se-auto-elimine.htm>. Acesso em: 27 jul. 2021.

Complementos

1 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
2 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
3 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
4 Pulmões: Órgãos do sistema respiratório situados na cavidade torácica e responsáveis pelas trocas gasosas entre o ambiente e o sangue. São em número de dois, possuem forma piramidal, têm consistência esponjosa e medem cerca de 25 cm de comprimento. Os pulmões humanos são divididos em segmentos denominados lobos. O pulmão esquerdo possui dois lobos e o direito possui três. Os pulmões são compostos de brônquios que se dividem em bronquíolos e alvéolos pulmonares. Nos alvéolos se dão as trocas gasosas ou hematose pulmonar entre o meio ambiente e o corpo, com a entrada de oxigênio na hemoglobina do sangue (formando a oxiemoglobina) e saída do gás carbônico ou dióxido de carbono (que vem da célula como carboemoglobina) dos capilares para o alvéolo.
5 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
6 Anticorpo: Proteína circulante liberada pelos linfócitos em reação à presença no organismo de uma substância estranha (antígeno).
7 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
8 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
9 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
10 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
11 Toxicidade: Capacidade de uma substância produzir efeitos prejudiciais ao organismo vivo.
12 In situ: Mesmo que in loco , ou seja, que está em seu lugar natural ou normal (diz-se de estrutura ou órgão). Em oncologia, é o que permanece confinado ao local de origem, sem invadir os tecidos vizinhos (diz-se de tumor).
13 Prova de conceito: Prova de conceito (PoC ou Proof of Concept) é um termo utilizado para denominar um modelo prático que possa provar o conceito (teórico) estabelecido por uma pesquisa ou artigo técnico. Ela pode ser considerada uma implementação, em geral resumida ou incompleta, de um método ou de uma ideia, realizada com o propósito de verificar se o conceito ou a teoria em questão é susceptível de ser explorado de maneira útil.
14 Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
15 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
16 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Gostou do artigo? Compartilhe!