Gostou do artigo? Compartilhe!

Dietas anti-inflamatórias foram vinculadas a menor risco de doenças cardiovasculares, inclusive AVC

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A inflamação1 desempenha um papel importante no desenvolvimento de doenças cardiovasculares2 (DCV). A dieta modula a inflamação1; no entanto, ainda não se sabe se os padrões alimentares com maior potencial inflamatório estão associados ao risco de DCV em longo prazo.

Agora, uma análise dos dados de três grandes estudos de saúde3 detalhou as associações entre as dietas caracterizadas pela ingestão de alimentos pró e anti-inflamatórios com a incidência4 de doenças cardiovasculares2. O objetivo do estudo, publicado no Journal of the American College of Cardiology, foi examinar então se as dietas pró-inflamatórias estão associadas ao aumento do risco de DCV.

Os novos dados detalharam os benefícios potenciais derivados de uma dieta caracterizada por uma maior ingestão de alimentos anti-inflamatórios. A análise, que incluiu dados de mais de 5,2 milhões pessoas-ano de acompanhamento, sugere que dietas com maior potencial pró-inflamatório foram associadas a maior risco de doença cardiovascular, doença coronariana5 e acidente vascular cerebral6 entre homens e mulheres nos Estados Unidos.

Saiba mais sobre "Doenças cardiovasculares2", "Acidente vascular cerebral6" e "O que é uma alimentação saudável".

"Usando um índice dietético baseado em alimentos desenvolvido empiricamente para avaliar os níveis de inflamação1 associados à ingestão dietética, descobrimos que os padrões alimentares com maior potencial inflamatório foram associados a um aumento da taxa de doença cardiovascular", disse a investigadora principal Jun Li, MD, PhD, uma cientista pesquisadora do departamento de nutrição7 da Harvard T.H. Chan Escola de Saúde3 Pública, em um comunicado. "Nosso estudo está entre os primeiros a vincular um índice inflamatório alimentar baseado em alimentos com o risco de longo prazo de doenças cardiovasculares2."

Os pesquisadores seguiram prospectivamente 74.578 mulheres do Nurses' Health Study (NHS) (1984–2016), 91.656 mulheres do NHSII (1991–2015) e 43.911 homens do Health Professionals Follow-up Study (1986–2016) que estavam livres de DCV e câncer8 no início do estudo. A dieta foi avaliada por questionários de frequência alimentar a cada 4 anos. O potencial inflamatório da dieta foi avaliado usando um escore de padrão inflamatório alimentar empírico baseado em alimentos (EDIP) que foi pré-definido com base em níveis de 3 biomarcadores inflamatórios sistêmicos9.

Durante 5.291.518 pessoas-ano de acompanhamento, foram documentados 15.837 casos de DCV incidente10, incluindo 9.794 casos de doença arterial coronariana (DAC) e 6.174 acidentes vasculares11 cerebrais.

Em análises agrupadas das 3 coortes, após o ajuste para o uso de medicamentos anti-inflamatórios e fatores de risco de DCV, incluindo índice de massa corporal12, um maior potencial inflamatório da dieta, conforme indicado por pontuações EDIP mais altas, foi associado a um risco aumentado de DCV (razão de risco [HR] comparando os quintis mais altos com os mais baixos: 1,38; intervalo de confiança [IC] de 95%: 1,31 a 1,46; p para tendência <0,001), DAC (HR: 1,46; IC 95%: 1,36 a 1,56; p para tendência <0,001 ) e acidente vascular cerebral6 (HR: 1,28; IC 95%: 1,17- a 1,39; p para tendência <0,001).

Essas associações foram consistentes entre coortes e sexos, e permaneceram significativas após ajustes adicionais para outros índices de qualidade alimentar. Em um subconjunto de participantes do estudo (n = 33.719), um EDIP mais alto foi associado a um perfil circulante mais alto de biomarcadores pró-inflamatórios, níveis mais baixos de adiponectina e um perfil lipídico13 sanguíneo desfavorável (p <0,001).

O estudo concluiu que padrões alimentares com maior potencial pró-inflamatório foram associados a maior risco de DCV. A redução do potencial inflamatório da dieta pode potencialmente fornecer uma estratégia eficaz para a prevenção de doenças cardiovasculares2.

Leia sobre "Doença arterial coronariana", "Sete passos para um coração14 saudável" e "Sinais15 de doenças cardíacas em mulheres".

 

Fontes:
JACC, Vol. 76, Nº 19, em novembro de 2020.
Practical Cardiology, notícia publicada em 03 de novembro de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Dietas anti-inflamatórias foram vinculadas a menor risco de doenças cardiovasculares, inclusive AVC. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1382168/dietas-anti-inflamatorias-foram-vinculadas-a-menor-risco-de-doencas-cardiovasculares-inclusive-avc.htm>. Acesso em: 27 nov. 2020.

Complementos

1 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
2 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
5 Doença coronariana: Doença do coração causada por estreitamento das artérias que fornecem sangue ao coração. Se o fluxo é cortado, o resultado é um ataque cardíaco.
6 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
7 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
8 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
9 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
10 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
11 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
12 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
13 Perfil lipídico: Exame laboratorial que mede colesterol total, triglicérides, HDL. O LDL é calculado por estes resultados. O perfil lipídico é uma das medidas de risco para as doenças cardiovasculares.
14 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
15 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
Gostou do artigo? Compartilhe!