Gostou do artigo? Compartilhe!

Mamadeiras de plástico liberam milhões de microplásticos quando sacudidas durante a preparação de fórmulas infantis

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Produtos à base de polipropileno são comumente usados ​​para preparação e armazenamento de alimentos, mas sua capacidade de liberar microplásticos é pouco conhecida. Nesse estudo publicado pela revista Nature Food, John Boland, do Trinity College Dublin, na Irlanda, e seus colegas investigaram a exposição potencial de bebês1 a microplásticos pelo consumo de fórmulas preparadas em mamadeiras de polipropileno (PP), que estimam representar quase 69% das mamadeiras disponíveis no mercado.

No estudo, para estimar a exposição global potencial para bebês1 de até 12 meses de idade, eles pesquisaram 48 regiões, encontrando valores que variaram de 14.600 a 4.550.000 partículas per capita por dia, dependendo da região.

Mostrou-se que as mamadeiras de PP liberam uma média de 4 milhões de partículas de microplástico por litro na fórmula para bebês1 durante o preparo, chegando a valores tão altos quanto 16.200.000 partículas por litro. Estudos de cenário mostraram que a esterilização de mamadeiras de PP e a exposição à água em alta temperatura aumentam significativamente a liberação de microplásticos. Um teste de 21 dias de mamadeiras de PP mostrou flutuações periódicas na liberação de microplásticos. Mas ainda não está claro se a ingestão de microplásticos é prejudicial à saúde2 infantil.

Leia sobre "Alimentação infantil: orientações para o 1º ano de vida" e "Amamentação3 ou aleitamento materno4".

Os pesquisadores limparam e esterilizaram mamadeiras de polipropileno totalmente novas, deixaram-nas secar e depois colocaram água purificada, que foi aquecida a 70° C, temperatura recomendada pela Organização Mundial de Saúde2 para o preparo de fórmulas infantis.

Depois de colocar as garrafas em um agitador mecânico por um minuto para simular o processo de mistura da fórmula, Boland e sua equipe filtraram a água e a analisaram ao microscópio. Eles descobriram que as garrafas vazavam em média 4 milhões de partículas microplásticas por litro na água, com uma variação entre 1 e 16 milhões de partículas por litro. Os pesquisadores encontraram resultados semelhantes quando usaram água contendo fórmula para bebês1.

“Ficamos surpresos com a quantidade”, diz Boland. “Com base em pesquisas feitas anteriormente para analisar a degradação dos plásticos no meio ambiente, suspeitamos que as quantidades seriam substanciais, mas não acho que alguém esperava os níveis muito altos que encontramos.”

Boland diz que sua equipe também ficou surpresa ao descobrir que a liberação de microplásticos pelas garrafas dependia da temperatura. Quando os pesquisadores repetiram seus experimentos usando água em uma faixa de temperaturas, eles descobriram que a liberação de partículas se acelerava com o aumento da temperatura. Agitar as garrafas também aumentou a liberação de microplásticos.

Os resultados estão de acordo com pesquisas anteriores, incluindo um estudo revelando que os saquinhos de chá de plástico liberam bilhões de partículas microplásticas em cada xícara. Mas ainda não está claro se a ingestão de microplásticos tem algum impacto na saúde2 humana. “Ainda não sabemos se existem efeitos adversos à saúde2 decorrentes da exposição a microplásticos”, diz Boland.

“É importante identificar as fontes de partículas de plástico envolvidas na exposição humana”, diz Heather Leslie, da VU Amsterdam, na Holanda. “Atualmente não existe uma norma para a ingestão diária máxima tolerável de partículas de plástico.”

Recomenda-se que as mamadeiras sejam esterilizadas e a fórmula para bebês1 aquecida para destruir bactérias potencialmente prejudiciais. Quaisquer riscos potenciais que podem ser apresentados aos bebês1 por microplásticos devem, portanto, ser pesados ​​contra os riscos de exposição a bactérias prejudiciais, diz Ingeborg Kooter, da Organização Holandesa de Pesquisa Científica Aplicada (TNO). “Como esse risco se compara ao risco de infecção5 por salmonela?”

Se as pessoas estiverem preocupadas, elas podem reduzir o nível de microplásticos gerados durante a preparação da fórmula minimizando a exposição da garrafa de plástico ao calor e agitação, diz Boland. Por exemplo, a fórmula poderia ser preparada em um recipiente não plástico separado e apenas transferida para uma mamadeira de plástico esterilizada depois que a fórmula esfriar, ele sugere.

O estudo demonstrou, portanto, que a exposição infantil a microplásticos é maior do que o anteriormente reconhecido devido à prevalência6 de produtos à base de PP usados ​​na preparação de fórmulas, destacando a necessidade urgente de avaliar se a exposição a microplásticos nesses níveis representa um risco para a saúde2 infantil.

Veja também sobre "Diarreia7 intensa - Pode ser salmonelose" e "Perigos dos sucos em caxinhas".

 

Fontes:
Nature Food, publicação em 19 de outubro de 2020.
New Scientist, notícia publicada em 19 de outubro de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Mamadeiras de plástico liberam milhões de microplásticos quando sacudidas durante a preparação de fórmulas infantis. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1381198/mamadeiras-de-plastico-liberam-milhoes-de-microplasticos-quando-sacudidas-durante-a-preparacao-de-formulas-infantis.htm>. Acesso em: 5 dez. 2020.

Complementos

1 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
2 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
3 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
4 Aleitamento Materno: Compreende todas as formas do lactente receber leite humano ou materno e o movimento social para a promoção, proteção e apoio à esta cultura. Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
5 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
7 Diarréia: Aumento do volume, freqüência ou quantidade de líquido nas evacuações.Deve ser a manifestação mais freqüente de alteração da absorção ou transporte intestinal de substâncias, alterações estas que em geral são devidas a uma infecção bacteriana ou viral, a toxinas alimentares, etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!