Gostou do artigo? Compartilhe!

O sono REM e a mortalidade em adultos de meia idade e idosos: quais são as relações?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A menor quantidade de sono do movimento rápido dos olhos1 (REM, do inglês Rapid Eye Movement) está associado ao aumento da mortalidade2?

O sono REM tem sido associado a resultados de saúde3, mas pouco se sabe sobre a relação entre sono REM e mortalidade2.

O objetivo desse estudo, publicado pelo JAMA Neurology, foi investigar se o sono REM está associado a maior risco de mortalidade2 em duas coortes independentes e explorar se outro estágio do sono pode estar impulsionando os resultados.

Saiba mais sobre "Ciclos do sono" e "Como é o sono".

Este estudo transversal multicêntrico de base populacional utilizou dados do Estudo de Resultados de Desordens do Sono em Homens Idosos (MrOS) e da Wisconsin Sleep Cohort (WSC). Os participantes do MrOS foram recrutados de dezembro de 2003 a março de 2005 e a WSC começou em 1988. Os participantes do MrOS e da WSC que tinham dados de sono REM e mortalidade2 foram incluídos. A análise começou em maio de 2018 e terminou em dezembro de 2019.

Os principais resultados e medidas foram mortalidade2 por todas as causas e por causa específica confirmadas com atestados de óbito4.

A coorte5 MrOS incluiu 2.675 indivíduos (2.675 homens [100%]; idade média [DP], 76,3 [5,5] anos) e foi acompanhada por uma mediana (intervalo interquartil) de 12,1 (7,8-13,2) anos. A coorte5 da WSC incluiu 1.386 indivíduos (753 homens [54,3%]; idade média [DP] de 51,5 [8,5] anos) e foi acompanhada por uma mediana (intervalo interquartil) de 20,8 (17,9-22,4) anos.

Os participantes do MrOS apresentaram uma taxa de mortalidade2 13% maior a cada redução de 5% no sono REM (percentual de sono REM DP = 6,6%) após o ajuste para várias covariáveis ​​demográficas, do sono e da saúde3 (taxa de risco ajustada por idade, 1,12; taxa de risco totalmente ajustada, 1,13; IC 95%, 1,08-1,19).

Os resultados foram semelhantes para causas cardiovasculares e outras causas de morte. Possíveis efeitos limiares foram observados nas curvas de Kaplan-Meier, particularmente no câncer6; indivíduos com menos de 15% de sono REM apresentaram uma taxa de mortalidade2 mais alta em comparação com indivíduos com 15% ou mais para cada resultado de mortalidade2 com odds ratio de indo de 1,20 a 1,35.

Os achados foram replicados na coorte5 da WSC, apesar da idade mais jovem, inclusão de mulheres e acompanhamento mais longo (taxa de risco de 1,13; IC 95%, 1,08-1,19). Um modelo de floresta aleatória identificou o sono REM como o estágio mais importante do sono associado à sobrevivência7.

O estudo concluiu que a porcentagem diminuída de sono REM foi associada a um maior risco de mortalidade2 por todas as causas, cardiovascular e outras não relacionadas ao câncer6 em duas coortes independentes.

Leia sobre "Distúrbios do sono em idosos", "Privação de sono" e "Insônia".

 

Fonte: JAMA Neurology, publicação em 6 de julho de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. O sono REM e a mortalidade em adultos de meia idade e idosos: quais são as relações?. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1373258/o-sono-rem-e-a-mortalidade-em-adultos-de-meia-idade-e-idosos-quais-sao-as-relacoes.htm>. Acesso em: 27 out. 2020.

Complementos

1 Olhos:
2 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Óbito: Morte de pessoa; passamento, falecimento.
5 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
6 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
7 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
Gostou do artigo? Compartilhe!