Gostou do artigo? Compartilhe!

Dobrou a prevalência de osteoartrite do joelho desde meados do século 20

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A osteoartrite1 do joelho (OA) é uma doença articular altamente incapacitante e altamente prevalente com causas ainda mal compreendidas, mas geralmente atribuídas ao envelhecimento e à obesidade2.

Saiba mais sobre "Osteoartrite1", "Envelhecimento saudável" e "Obesidade2".

Para obter informações sobre a etiologia3 da osteoartrite1 do joelho, um estudo publicado pelo PNAS (Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America), traçou tendências de longo prazo para a doença nos Estados Unidos, usando grandes amostras de esqueletos desde os tempos pré-históricos até o presente momento.

Foi mostrado que a osteoartrite1 do joelho existe em baixas frequências, mas desde meados do século 20, a doença dobrou em prevalência4. Essas análises contradizem a visão5 de que o aumento recente da osteoartrite1 do joelho ocorreu simplesmente devido aos aumentos recentes da expectativa de vida6 e do índice de massa corporal7 (IMC8) dos indivíduos. Ao invés disso, os resultados destacam a necessidade de se estudar fatores de risco adicionais, provavelmente evitáveis, e que se tornaram onipresentes no último meio século.

Os pesquisadores do Department of Human Evolutionary Biology, da Harvard University, Cambridge, analisaram as tendências de longo prazo na prevalência4 da OA do joelho nos Estados Unidos usando esqueletos derivados de cadáveres de pessoas com ≥50 anos, cujo IMC8 na morte foi documentado, e que viveram durante a era industrial inicial (1800 ao início dos anos 1900, n=1.581) e na era pós-industrial moderna (final dos anos de 1900 até o início dos anos 2000; n=819). A OA do joelho entre indivíduos estimados a terem ≥50 anos de idade também foi avaliada em esqueletos arqueologicamente derivados de caçadores-coletores pré-históricos e agricultores primitivos (6000-300 anos antes do tempo presente; n=176).

A OA foi diagnosticada com base na presença de desgaste (por contato osso-osso). No geral, a prevalência4 de OA do joelho foi de 16% entre a amostra pós-industrial, mas apenas 6% e 8% entre as eras industrial inicial e pré-histórica, respectivamente. Depois de controlar fatores como a idade, o IMC8 e outras variáveis, a prevalência4 de OA do joelho foi 2,1 vezes maior (intervalo de confiança de 95%, 1,5-3,1) na amostra pós-industrial do que na amostra industrial inicial.

Os resultados indicam que o aumento da longevidade e do IMC8 são insuficientes para explicar a duplicação aproximada da prevalência4 de OA do joelho que ocorreu nos Estados Unidos desde meados do século XX. A OA do joelho é, portanto, mais evitável do que é comumente assumido, mas a prevenção exigirá pesquisa sobre fatores de risco independentes adicionais que surgiram ou se tornaram amplificados na era pós-industrial.

Leia também sobre "Dor nos joelhos", "Meu joelho estala" e "Artroplastia de joelho".

 

Fonte: PNAS - Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, publicação online em 12 de julho de 2017

 

NEWS.MED.BR, 2017. Dobrou a prevalência de osteoartrite do joelho desde meados do século 20. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1303143/dobrou-a-prevalencia-de-osteoartrite-do-joelho-desde-meados-do-seculo-20.htm>. Acesso em: 17 nov. 2019.

Complementos

1 Osteoartrite: Termo geral que se emprega para referir-se ao processo degenerativo da cartilagem articular, manifestado por dor ao movimento, derrame articular, etc. Também denominado artrose.
2 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
3 Etiologia: 1. Ramo do conhecimento cujo objeto é a pesquisa e a determinação das causas e origens de um determinado fenômeno. 2. Estudo das causas das doenças.
4 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
5 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
6 Expectativa de vida: A expectativa de vida ao nascer é o número de anos que se calcula que um recém-nascido pode viver caso as taxas de mortalidade registradas da população residente, no ano de seu nascimento, permaneçam as mesmas ao longo de sua vida.
7 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
8 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
Gostou do artigo? Compartilhe!