Gostou do artigo? Compartilhe!

Associação inesperada entre Doença de Parkinson e Melanoma publicada pelo Mayo Clinic Proceedings

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pesquisadores da Mayo Clinic avaliam associação entre melanoma1 e Doença de Parkinson2 (DP).

Fase I: Os registros do Rochester Epidemiology Project foram utilizados para identificar (entre 1º de janeiro de 1976 e 31 de dezembro de 2013) pacientes com Doença de Parkinson2 (DP) em Olmsted County, Minnesota, com 3 controles correspondentes por caso. Após revisão, o software estatístico JMP com análise de regressão logística foi utilizado para avaliar o risco de melanoma1 pré-existente em pacientes com DP versus controles.

Saiba mais sobre "Melanoma1" e "Doença de Parkinson2".

Fase II: Todos os casos de melanoma1 do Rochester Epidemiology Project foram identificados (entre 1º de janeiro de 1976 e 31 de dezembro de 2014), com um controle por caso. Um modelo de riscos proporcionais de Cox foi utilizado para avaliar o risco de desenvolver DP após a data índice em casos versus controles e a análise de Kaplan-Meier foi realizada para determinar o risco cumulativo de DP em 35 anos. Um modelo de riscos proporcionais de Cox foi utilizado para avaliar o risco de morte por melanoma1 metastático em pacientes com melanoma1 sem DP comparado àqueles com DP.

Os resultados mostram que:

Fase I: Pacientes com DP apresentaram uma probabilidade aumentada de 3,8 vezes de melanoma1 pré-existente em comparação com os controles (IC 95%, 2,1-6,8; P<0,001).

Fase II: Pacientes com melanoma1 tiveram um risco aumentado de 4,2 vezes de desenvolver DP (IC 95%, 2,0-8,8; P<0,001). A análise de Kaplan-Meier revelou um risco acumulado em 35 anos de DP em pacientes com melanoma1 (11,8%) em comparação com os controles (2,6%) (P<0,001). Os pacientes com melanoma1 sem DP apresentaram risco relativo aumentado de 10,5 vezes de morte por melanoma1 metastático em comparação com pacientes com melanoma1 e com DP (IC 95%, 1,5-72,2) (P=0,02).

Concluiu-se que parece haver uma associação entre melanoma1 e a doença de Parkinson2. É necessário um estudo mais aprofundado, mas com base nesses resultados, os médicos podem considerar aconselhar pacientes com melanoma1 sobre o risco de desenvolvimento de doença de Parkinson2 e implementar a vigilância do melanoma1 cutâneo3 e ocular em pacientes com DP.

Veja também sobre "Cuidados com a pele4" e "Câncer5 de pele4".

 

Fonte: Mayo Clinic Proceedings, volume92, número 7, de julho de 2017

 

NEWS.MED.BR, 2017. Associação inesperada entre Doença de Parkinson e Melanoma publicada pelo Mayo Clinic Proceedings. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1301878/associacao-inesperada-entre-doenca-de-parkinson-e-melanoma-publicada-pelo-mayo-clinic-proceedings.htm>. Acesso em: 13 dez. 2018.

Complementos

1 Melanoma: Neoplasia maligna que deriva dos melanócitos (as células responsáveis pela produção do principal pigmento cutâneo). Mais freqüente em pessoas de pele clara e exposta ao sol.Podem derivar de manchas prévias que mudam de cor ou sangram por traumatismos mínimos, ou instalar-se em pele previamente sã.
2 Doença de Parkinson: Doença degenerativa que afeta uma região específica do cérebro (gânglios da base), e caracteriza-se por tremores em repouso, rigidez ao realizar movimentos, falta de expressão facial e, em casos avançados, demência. Os sintomas podem ser aliviados por medicamentos adequados, mas ainda não se conhece, até o momento, uma cura definitiva.
3 Cutâneo: Que diz respeito à pele, à cútis.
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
Gostou do artigo? Compartilhe!