Gostou do artigo? Compartilhe!

Novo estudo sugere que a suplementação de cálcio pode aumentar o risco de eventos cardiovasculares em mulheres na pós-menopausa

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Novo estudo de pesquisadores da Nova Zelândia sugere que a suplementação1 de cálcio pode aumentar o risco de eventos cardiovasculares em mulheres idosas na pós-menopausa2. Estes resultados são, de certa forma, inesperados, pois estudos prévios demonstraram que o cálcio melhora os níveis de colesterol3 no sangue4, protegendo contra doenças cardiovasculares5.

 

O Dr. Mark J. Bolland e colaboradores publicaram a pesquisa no BMJ online de 15 de janeiro de 2008. É um estudo com resultados não-definitivos, mas que provoca o raciocínio e torna necessária uma investigação maior sobre o assunto. Ainda é cedo para tomar decisões clínicas de tratamento com base nesta análise, pois pesquisas mais rigorosas são necessárias antes que se firmem conclusões sobre o assunto.

 

Foram randomizadas 1471 mulheres na pós-menopausa2 (idade média de 74 anos) em uso de suplementação1 de cálcio (1 grama6/dia de citrato de cálcio) ou placebo7. Além da densidade óssea, pesquisou-se os eventos cardiovasculares ao longo de mais de cinco anos: morte, infarto8 do miocárido, angina9, outras causas de dores no peito10, acidente vascular cerebral11 e ataque isquêmico12 transitório.

 

O infarto do miocárdio13 foi mais freqüente no grupo que recebeu cálcio quando comparado ao que recebeu placebo7 (45 eventos em 31 mulheres versus 19 eventos em 14 mulheres, p=0,01).

 

A equipe da Nova Zelândia não estudou os níveis séricos de vitamina14 D. Apenas excluiu aquelas mulheres com deficiência severa de vitamina14 D.

 

A idade das participantes pode ter influenciado os resultados do estudo, mas não é o que mostram três outros estudos conduzidos no Reino Unido, Estados Unidos e Austrtália, os quais acharam uma tendência aumentada de ocorrência de ataques cardíacos em pessoas que usaram suplementação1 de cálcio. Outra avaliação é que a alta dose de cálcio usada acelere o processo de calcificação15 arterial, principalmente em pessoas com doenças cardíacas pré-existentes.

 

O estudo também mostrou que a suplementação1 com cálcio retarda substancialmente a perda óssea e concluiu que o uso de menos de 500 mg/dia de citrato de cálcio não traz os benefícios ósseos esperados, embora seja uma dose mais segura em relação a efeitos colaterais16 potenciais.

 

Fonte: BMJ

NEWS.MED.BR, 2008. Novo estudo sugere que a suplementação de cálcio pode aumentar o risco de eventos cardiovasculares em mulheres na pós-menopausa. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/12891/novo-estudo-sugere-que-a-suplementacao-de-calcio-pode-aumentar-o-risco-de-eventos-cardiovasculares-em-mulheres-na-pos-menopausa.htm>. Acesso em: 22 nov. 2019.

Complementos

1 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
2 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
3 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
6 Grama: 1. Designação comum a diversas ervas da família das gramíneas que formam forrações espontâneas ou que são cultivadas para criar gramados em jardins e parques ou como forrageiras, em pastagens; relva. 2. Unidade de medida de massa no sistema c.g.s., equivalente a 0,001 kg . Símbolo: g.
7 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
8 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
9 Angina: Inflamação dos elementos linfáticos da garganta (amígdalas, úvula). Também é um termo utilizado para se referir à sensação opressiva que decorre da isquemia (falta de oxigênio) do músculo cardíaco (angina do peito).
10 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
11 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
12 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
13 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
14 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
15 Calcificação: 1. Ato, processo ou efeito de calcificar(-se). 2. Aplicação de materiais calcíferos básicos para diminuir o grau de acidez dos solos e favorecer seu aproveitamento na agricultura. 3. Depósito de cálcio nos tecidos, que pode ser normal ou patológico. 4. Acúmulo ou depósito de carbonato de cálcio ou de carbonato de magnésio em uma camada de profundidade próxima a do limite de percolação da água no solo, que resulta em certa mobilidade deste e alteração de suas propriedades químicas.
16 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
Gostou do artigo? Compartilhe!