Gostou do artigo? Compartilhe!

Fatores associados à acne da mulher adulta são estudados por pesquisadores italianos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O Dr. Luigi Naldi, do Study Center of the Italian Group for Epidemiologic Research in Dermatology, em Bergamo, na Itália, juntamente com seus colaboradores, publicou os resultados de sua pesquisa no periódico Journal of the American Academy of Dermatology.

As razões para o aparecimento de acne1 na idade adulta são amplamente desconhecidas, por isso os pesquisadores exploraram o papel de fatores pessoais e ambientais na acne1 feminina adulta.

Realizou-se um estudo multicêntrico caso-controle nos departamentos ambulatoriais de 12 cidades italianas. Os casos (n=248) foram constituídos por mulheres com idade ≥ a 25 anos, com acne1 recentemente diagnosticada de qualquer grau. Os controles (n=270) foram pessoas do sexo feminino diagnosticadas com outras condições que não a acne1.

Na análise multivariada, a história de acne1 nos pais (odds ratio [OR]=3,02) ou irmãos (OR=2,40), história de acne1 durante a adolescência (OR=5,44), ausência de gravidez2 prévia (OR=1,71), hirsutismo3 (OR=3,50), ser uma trabalhadora de escritório versus estar desempregada ou ser dona de casa (OR=2,24) e ter um alto nível de estresse psicológico relatado (OR=2,95) foram todos fatores associados à acne1. Uma baixa ingestão semanal de frutas ou vegetais (OR=2,33) e um baixo consumo de peixe fresco (OR=2,76) também foram associados à acne1.

Concluiu-se que fatores de estilo de vida podem desempenhar um papel importante para o desenvolvimento da acne1 na idade adulta, mas seu papel deve ser avaliado em estudos prospectivos.

Veja mais sobre "Acne1", "Hirsutismo3", "Alimentação saudável" e "Estresse".

 

Fonte: Journal of the American Academy of Dermatology, volume 75, número 6, de dezembro de 2016

 

NEWS.MED.BR, 2016. Fatores associados à acne da mulher adulta são estudados por pesquisadores italianos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1283883/fatores-associados-a-acne-da-mulher-adulta-sao-estudados-por-pesquisadores-italianos.htm>. Acesso em: 19 set. 2020.

Complementos

1 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Hirsutismo: Presença de pêlos terminais (mais grossos e escuros) na mulher, em áreas anatômicas características de distribuição masculina, como acima dos lábios, no mento, em torno dos mamilos e ao longo da linha alba no abdome inferior. Pode manifestar-se como queixa isolada ou como parte de um quadro clínico mais amplo, acompanhado de outros sinais de hiperandrogenismo (acne, seborréia, alopécia), virilização (hipertrofia do clitóris, aumento da massa muscular, modificação do tom de voz), distúrbios menstruais e/ou infertilidade.
Gostou do artigo? Compartilhe!