Gostou do artigo? Compartilhe!

Inibidores da Janus Quinase foram associados a uma probabilidade quase 4 vezes maior de acne

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Existe uma associação entre o uso de inibidores de Janus Quinase (JAK) e acne1?

Os inibidores da Janus Quinase (JAK) são cada vez mais usados em uma variedade de condições dermatológicas. Eventos adversos de acne1 foram observados em alguns estudos na prática clínica, mas o escopo desse resultado entre os inibidores de JAK não foi estabelecido.

O objetivo deste estudo, publicado no JAMA Dermatology, foi analisar sistematicamente todos os ensaios clínicos2 randomizados (ECR) publicados de fase 2 e 3, controlados por placebo3, sobre inibidores de JAK quanto ao risco de acne1 como efeito adverso desses medicamentos.

Leia sobre "Acne1: como melhorar o aspecto da sua pele4" e "Acne1 na mulher adulta".

Foi realizada uma pesquisa abrangente nas bases de dados Ovid MEDLINE e PubMed até 31 de janeiro de 2023. Os critérios de inclusão foram ensaios clínicos2 randomizados de fase 2 e 3 controlados por placebo3 de inibidores de JAK publicados em inglês com relatos de eventos adversos de acne1.

Dois revisores revisaram e extraíram independentemente informações de todos os estudos incluídos.

O desfecho primário de interesse foi a incidência5 de acne1 após o uso de inibidores de JAK. Uma metanálise foi conduzida utilizando modelos de efeitos aleatórios.

Um total de 25 estudos únicos (10.839 participantes únicos; 54% homens e 46% mulheres) foram incluídos na análise final. A razão de chances (OR) combinada foi calculada em 3,83 (IC 95%, 2,76-5,32) com ORs aumentadas para:

  • abrocitinibe (13,47 [IC 95%, 3,25-55,91]);
  • baricitinibe (4,96 [IC 95%, 2,52-9,78]);
  • upadacitinibe (4,79 [IC 95%, 3,61-6,37]);
  • deucravacitinibe (2,64 [IC 95%, 1,44-4,86]);
  • e deuruxolitinibe (3,30 [IC 95%, 1,22-8,93]).

As ORs estimadas foram maiores nos estudos que investigaram o uso de inibidores de JAK para o tratamento de condições dermatológicas em comparação com condições não dermatológicas (4,67 [IC 95%, 3,10-7,05]), bem como para inibidores específicos da JAK1 (4,69 [IC 95%, 3,56-6,18]), inibidores combinados de JAK1 e JAK2 (3,43 [IC 95%, 2,14-5,49]) e inibidores de tirosina6 quinase 2 (2,64 [IC 95%, 1,44-4,86]).

Nesta revisão sistemática e metanálise, o uso de inibidores de JAK foi associado a uma probabilidade 3,83 vezes maior de acne1 em comparação com o placebo3. Os pacientes devem ser devidamente aconselhados sobre este potencial efeito adverso destes medicamentos antes do início do tratamento. Estudos futuros são necessários para elucidar melhor a fisiopatologia7 desta associação.

Veja também sobre "Isotretinoína: prós e contras", "Cravos na pele4" e "Cuidados com a pele4".

 

Fonte: JAMA Dermatology, publicação em 18 de outubro de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Inibidores da Janus Quinase foram associados a uma probabilidade quase 4 vezes maior de acne. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1461035/inibidores-da-janus-quinase-foram-associados-a-uma-probabilidade-quase-4-vezes-maior-de-acne.htm>. Acesso em: 21 abr. 2024.

Complementos

1 Acne: Doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. As lesões começam a surgir na puberdade, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. Os cravos e espinhas ocorrem devido ao aumento da secreção sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilosebáceo, dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) e fechados (cravos brancos). Estas condições favorecem a proliferação de microorganismos que provocam a inflamação característica das espinhas, sendo o Propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.
2 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
3 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
4 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
5 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
6 Tirosina: É um dos aminoácidos polares, sem carga elétrica, que compõem as proteínas, caracterizado pela cadeia lateral curta na qual está presente um anel aromático e um grupamento hidroxila.
7 Fisiopatologia: Estudo do conjunto de alterações fisiológicas que acontecem no organismo e estão associadas a uma doença.
Gostou do artigo? Compartilhe!