Gostou do artigo? Compartilhe!

Estudo associa a síndrome congênita Zika à artrogripose

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um estudo retrospectivo1 de uma série de casos ligou a síndrome2 congênita3 do Zika à artrogripose4. A pesquisa foi coordenada pela neuropediatra Vanessa van der Linden, teve a colaboração de médicos pernambucanos e foi publicada pelo BMJ.

O objetivo foi descrever as características clínicas, radiológicas e eletromiográficas em uma série de crianças com contraturas articulares (artrogripose4) associadas à infecção5 congênita3, presumivelmente causada pelo vírus6 Zika. Os bebês7 foram atendidos na Associação de Assistência à Criança Deficiente, no estado de Pernambuco, Brasil. Participaram do estudo sete crianças com artrogripose4 e um diagnóstico8 de infecção5 congênita3, presumivelmente causada pelo vírus6 Zika durante a epidemia brasileira de microcefalia9.

Leia os artigos sobre "Síndrome2 congênita3 do Zika", "Zika Vírus6" e "Microcefalia9".

As imagens do cérebro10 de todos os sete bebês7 eram características de infecção5 congênita3 e artrogripose4. Duas crianças tinham teste positivo de IgM para o vírus6 da Zika no fluido cerebrospinal.

Artrogripose4 estava presente nos braços e pernas de seis crianças (86%) e apenas nas pernas de uma criança (14%). As radiografias do quadril mostraram luxação11 bilateral em sete crianças, subluxação do joelho associada a genovalgo12 em três crianças (43%), sendo bilateral em duas (29%).

Todas as crianças foram submetidas à ultrassonografia13 de alta definição das articulações14 e não houve evidência de alterações. Sinais15 moderados de remodelação das unidades motoras e um padrão de recrutamento reduzido foram encontrados na eletromiografia16 de agulha (monopolar). Cinco das sete crianças foram submetidas à tomografia cerebral computadorizada (TC) e ressonância magnética17 (MRI) e as duas restantes a uma única TC. Todas apresentaram malformações18 do desenvolvimento cortical, calcificações predominantemente no córtex e na substância branca subcortical (especialmente na junção entre o córtex e a substância branca), redução no volume cerebral, ventriculomegalia e hipoplasia19 do tronco cerebral20 e do cerebelo21. Ressonância magnética17 da coluna em quatro crianças mostrou aparente afinamento da medula espinhal22 e redução das raízes ventrais.

Concluiu-se que a síndrome2 congênita3 do Zika deve ser adicionada ao diagnóstico8 diferencial de infecções23 congênitas24 e artrogripose4. A artrogripose4 não estava relacionada a anomalias das próprias articulações14, mas era possivelmente de origem neurogênica, com o envolvimento crônico25 de neurônios26 motores centrais e periféricos levando a deformidades como resultado de posturas fixas no útero27.

Com base nas observações neurofisiológicas, os cientistas sugerem dois possíveis mecanismos: tropismo28 dos neurônios26, com envolvimento de neurônios26 motores periféricos e centrais ou uma relação com distúrbios vasculares29.

Veja temas relacionados:

 

Fonte: British Medical Journal (BMJ), de 9 de agosto de 2016

 

NEWS.MED.BR, 2016. Estudo associa a síndrome congênita Zika à artrogripose. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1273058/estudo-associa-a-sindrome-congenita-zika-a-artrogripose.htm>. Acesso em: 7 dez. 2019.

Complementos

1 Retrospectivo: Relativo a fatos passados, que se volta para o passado.
2 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
3 Congênita: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
4 Artrogripose: Doença na qual a criança nasce com deformidades fixas nas articulações e com os músculos fracos.
5 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
7 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
8 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
9 Microcefalia: Pequenez anormal da cabeça, geralmente associada à deficiência mental.
10 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
11 Luxação: É o deslocamento de um ou mais ossos para fora da sua posição normal na articulação.
12 Genovalgo: Joelho valgo ou genovalgo é a projeção dos joelhos para dentro da linha média do corpo, causada geralmente pela hipertrofia da musculatura lateral da coxa e/ou hipotonia da musculatura medial da coxa. Há uma rotação lateral do fêmur e da tíbia, hiperextensão dos joelhos e supinação dos pés.
13 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
14 Articulações:
15 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
16 Eletromiografia: Técnica voltada para o estudo da função muscular através da pesquisa do sinal elétrico que o músculo emana, abrangendo a detecção, a análise e seu uso.
17 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
18 Malformações: 1. Defeito na forma ou na formação; anomalia, aberração, deformação. 2. Em patologia, é vício de conformação de uma parte do corpo, de origem congênita ou hereditária, geralmente curável por cirurgia. Ela é diferente da deformação (que é adquirida) e da monstruosidade (que é incurável).
19 Hipoplasia: Desenvolvimento defeituoso ou incompleto de tecido ou órgão, geralmente por diminuição do número de células, sendo menos grave que a aplasia.
20 Tronco Cerebral: Parte do encéfalo que conecta os hemisférios cerebrais à medula espinhal. É formado por MESENCÉFALO, PONTE e MEDULA OBLONGA.
21 Cerebelo: Parte do encéfalo que fica atrás do TRONCO ENCEFÁLICO, na base posterior do crânio (FOSSA CRANIANA POSTERIOR). Também conhecido como “encéfalo pequeno“, com convoluções semelhantes àquelas do CÓRTEX CEREBRAL, substância branca interna e núcleos cerebelares profundos. Sua função é coordenar movimentos voluntários, manter o equilíbrio e aprender habilidades motoras.
22 Medula Espinhal:
23 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
24 Congênitas: 1. Em biologia, o que é característico do indivíduo desde o nascimento ou antes do nascimento; conato. 2. Que se manifesta espontaneamente; inato, natural, infuso. 3. Que combina bem com; apropriado, adequado. 4. Em termos jurídicos, é o que foi adquirido durante a vida fetal ou embrionária; nascido com o indivíduo. Por exemplo, um defeito congênito.
25 Crônico: Descreve algo que existe por longo período de tempo. O oposto de agudo.
26 Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO. Sinônimos: Células Nervosas
27 Útero: Orgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.
28 Tropismo: Reação de organismos fixos ou de suas partes, que consiste na mudança de orientação determinada por estímulos externos, dita positiva quando em direção ao estímulo e negativa quando se afasta do mesmo.
29 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
30 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
Gostou do artigo? Compartilhe!