news.med.br
Indivíduos com câncer1 geralmente têm uma contagem elevada de plaquetas2 no momento do diagnóstico3. A extensão em que uma contagem elevada de plaquetas2 é um indicador de câncer1 não é clara. O objetivo deste estudo, publicado pelo JAMA Network Open, foi avaliar a associação de uma contagem elevada de plaquetas2 com um diagnóstico3 de câncer1. Os resultados mostraram que uma contagem muito alta de plaquetas2 foi associada a cânceres de cólon4, pulmão5, ovário6 e estômago7. Assim, o estudo concluiu que uma contagem elevada de plaquetas2 foi associada ao aumento do risco de câncer1 em vários locais. Esses achados sugerem que uma plaquetose poderia servir como um marcador para a presença de alguns tipos de câncer1.
1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
3 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
4 Cólon:
5 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
6 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
7 Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.
   [Mais...]

A suplementação1 diária de vitaminas e minerais melhorou a cognição2 em idosos, mostrou o ensaio clínico COSMOS-Mind, com resultados publicados no jornal científico Alzheimer’s & Dementia. O foco principal do estudo foi o efeito do extrato diário de cacau, que é rico em flavonoides que pesquisas anteriores sugeriram que podem ajudar a preservar a função cognitiva3. No teste de 3 anos, o extrato diário de cacau não teve efeito sobre a cognição2. Mas ao longo de 3 anos, um suplemento multivitamínico mineral diário mostrou benefícios globais de cognição2 em comparação com placebo4. A memória episódica e a função executiva5 também melhoraram. O efeito global de multivitaminas diárias parecia mais pronunciado em participantes com doença cardiovascular. É necessário trabalho adicional para confirmar esses achados em uma coorte6 mais diversificada e identificar mecanismos para explicar os efeitos do multivitamínico mineral.
1 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
2 Cognição: É o conjunto dos processos mentais usados no pensamento, percepção, classificação, reconhecimento e compreensão para o julgamento através do raciocínio para o aprendizado de determinados sistemas e soluções de problemas.
3 Cognitiva: 1. Relativa ao conhecimento, à cognição. 2. Relativa ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
4 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
5 Função executiva: Também conhecida como controle cognitivo ou sistema supervisor atencional é um conceito neuropsicológico que se aplica ao processo cognitivo responsável pelo planejamento e execução de atividades, que podem incluir, por exemplo, a iniciação de tarefas, memória de trabalho, atenção sustentada e inibição de impulsos.
6 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
   [Mais...]

Cientistas aproveitaram o poder do olfato hipersensível de uma mulher para desenvolver um teste para determinar se as pessoas têm a doença de Parkinson1. O teste levou anos para ser feito depois que os acadêmicos perceberam que a mulher em questão podia sentir o cheiro da condição. As descobertas, publicadas no Journal of the American Chemical Society, detalham como o sebo pode ser analisado com espectrometria de massa – um método que pesa moléculas – para identificar a doença. Algumas moléculas estão presentes apenas em pessoas com doença de Parkinson1. Se o novo teste, realizado coletando uma amostra de sebo da pele2 com cotonete, for bem-sucedido fora das condições laboratoriais, ele poderá ser implementado para obter um diagnóstico3 mais rápido.
1 Doença de Parkinson: Doença degenerativa que afeta uma região específica do cérebro (gânglios da base), e caracteriza-se por tremores em repouso, rigidez ao realizar movimentos, falta de expressão facial e, em casos avançados, demência. Os sintomas podem ser aliviados por medicamentos adequados, mas ainda não se conhece, até o momento, uma cura definitiva.
2 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
3 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
   [Mais...]

O rituximabe é uma opção de terceira linha para miastenia1 gravis generalizada refratária com base em evidências empíricas, mas seu efeito na doença de início recente é desconhecido. O objetivo deste estudo, publicado no JAMA Neurology, foi investigar a eficácia e segurança do rituximabe em comparação com placebo2 como um complemento ao tratamento padrão para miastenia1 gravis. Neste ensaio clínico randomizado3 de 47 indivíduos, a proporção de indivíduos com manifestações mínimas da doença com apenas baixas doses de corticosteroides e sem necessidade de tratamento de resgate em 4 meses foi de 71% com rituximabe e 29% com placebo2, indicando uma diferença significativa. Dessa forma, o tratamento com rituximabe pode ser considerado precocemente após o início da miastenia1 gravis generalizada para reduzir o risco de agravamento da doença e/ou necessidade de terapias adicionais.
1 Miastenia: Perda das forças musculares ocasionada por doenças musculares inflamatórias. Por ex. Miastenia Gravis. A debilidade pode predominar em diferentes grupos musculares segundo o tipo de afecção (debilidade nos músculos extrínsecos do olho, da pelve, ou dos ombros, etc.).
2 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
3 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
   [Mais...]

Pacientes que tiveram um ataque isquêmico1 transitório ou acidente vascular cerebral2 menor têm um risco aumentado de eventos cardiovasculares nos 5 anos seguintes. O objetivo deste estudo, publicado no The Lancet Neurology, foi avaliar os resultados funcionais de 5 anos em pacientes com ataque isquêmico1 transitório ou acidente vascular cerebral2 isquêmico1 menor e determinar os fatores associados à incapacidade a longo prazo. Encontrou-se uma carga substancial de incapacidade em 5 anos após ataque isquêmico1 transitório ou acidente vascular cerebral2 isquêmico1 menor, e a maioria dos preditores dessa incapacidade foram fatores de risco modificáveis. Os pacientes que fizeram exercício físico regular antes do evento índice tiveram um risco significativamente reduzido de incapacidade em 5 anos em comparação com os pacientes que não fizeram exercício.
1 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
2 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
   [Mais...]

Pesquisadores criaram um pequeno dispositivo vestível capaz de medir mudanças de tamanho em tumores cancerosos sob a pele1. Um estudo testando este novo dispositivo através de um modelo de camundongos foi publicado na revista Science Advances. Conhecido como FAST, “Sensor Autônomo Flexível Medindo Tumores”, o dispositivo vestível consiste em uma membrana elástica de polímero semelhante à pele1 incorporada com uma camada de circuitos de ouro. O sensor adere à pele1 acima de onde um tumor2 cancerígeno está localizado atualmente. O sensor também possui uma pequena “mochila” eletrônica segurando sua bateria. À medida que o tumor2 cresce ou encolhe, o sensor se estica ou se contrai junto com ele. O dispositivo mede quanta tensão o sensor experimenta e os dados são transmitidos por meio de um aplicativo de telefone celular, através do qual os médicos podem obter dados de medição ao vivo e históricos.
1 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
2 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
   [Mais...]

Mais do que o dobro de pacientes com melanoma1 avançado previamente tratados permaneceram livres de progressão em 6 meses quando receberam seus próprios linfócitos infiltrantes de tumor2 (TILs) em vez de imunoterapia, mostrou um estudo randomizado3 apresentado no congresso anual da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO). Os dados primários mostraram uma taxa de sobrevida4 livre de progressão de 6 meses de 52,7% com TILs versus 21,4% com ipilimumabe (Yervoy). Uma análise de subgrupo mostrou que os pacientes em quase todas as categorias clínicas e demográficas se beneficiaram dos TILs. Uma análise preliminar de sobrevida4 mostrou uma taxa de sobrevida4 global em 2 anos de 54,3% no grupo de TIL versus 44,1% no braço controle. Apesar dos possíveis problemas de produção e financiamento, os TILs podem ajudar a atender à substancial necessidade não atendida de tratamento eficaz após a progressão na imunoterapia de primeira linha.
1 Melanoma: Neoplasia maligna que deriva dos melanócitos (as células responsáveis pela produção do principal pigmento cutâneo). Mais freqüente em pessoas de pele clara e exposta ao sol.Podem derivar de manchas prévias que mudam de cor ou sangram por traumatismos mínimos, ou instalar-se em pele previamente sã.
2 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
3 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
4 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
   [Mais...]

Um novo estudo indica que uma dieta rica em açúcar1 desequilibra o microbioma2, estimulando o crescimento de bactérias intestinais que expulsam microrganismos úteis, de modo que o corpo produz menos células3 imunes intestinais que ajudam a prevenir distúrbios metabólicos. Os achados foram publicados na revista Cell. No artigo, os pesquisadores relatam como o desequilíbrio da microbiota4 induzido pelo açúcar1 da dieta interrompe a proteção imunomediada da síndrome metabólica5. A dieta rica em gordura6 e açúcar1 promoveu doenças metabólicas ao esgotar os micróbios indutores de Th17, e a recuperação das células3 Th17 comensais restaurou a proteção. A perda de células3 Th17 protetoras induzida pela dieta foi mediada pela presença de açúcar1. A eliminação do açúcar1 de dietas ricas em gordura6 protegeu os camundongos da obesidade7 e da síndrome metabólica5 de uma maneira dependente das células3 Th17 específicas comensais.
1 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
2 Microbioma: Comunidade ecológica de microrganismos comensais, simbióticos e patogênicos que compartilham nosso espaço corporal. Microbioma humano é o conjunto de microrganismos que reside no corpo do Homo sapiens, mantendo uma relação simbiótica com o hospedeiro. O conceito vai além do termo microbiota, incluindo também a relação entre as células microbianas e as células e sistemas humanos, por meio de seus genomas, transcriptomas, proteomas e metabolomas.
3 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
4 Microbiota: Em ecologia, chama-se microbiota ao conjunto dos microrganismos que habitam um ecossistema, principalmente bactérias, protozoários e outros microrganismos que têm funções importantes na decomposição da matéria orgânica e, portanto, na reciclagem dos nutrientes. Fazem parte da microbiota humana uma quantidade enorme de bactérias que vivem em harmonia no organismo e auxiliam a ação do sistema imunológico e a nutrição, por exemplo.
5 Síndrome metabólica: Tendência de várias doenças ocorrerem ao mesmo tempo. Incluindo obesidade, resistência insulínica, diabetes ou pré-diabetes, hipertensão e hiperlipidemia.
6 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
7 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
   [Mais...]

Um agente experimental que é o primeiro de sua classe ofereceu alívio dos sintomas1 a pacientes com colite2 ulcerativa moderada a grave ativa, de acordo com um estudo randomizado3 de fase 2b publicado no The Lancet Gastroenterology & Hepatology. Entre mais de 200 pacientes, aqueles que receberam três doses diferentes de ABX464, que recebeu o nome obefazimod, tiveram uma melhora significativamente maior no escore de Mayo modificado - uma medida da atividade da doença. Em todas as doses de obefazimod, mais pacientes alcançaram resposta clínica, remissão clínica e melhora endoscópica em 8 semanas, com resultados semelhantes em 16 semanas. Obefazimod é uma pequena molécula que induz a regulação positiva seletiva do microRNA-124 em células4 imunes, um modulador da inflamação5 e imunidade6 inata que tem o potencial de fornecer restituição terapêutica7 de vias fisiológicas8 prejudicadas por doenças inflamatórias.
1 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
2 Colite: Inflamação da porção terminal do cólon (intestino grosso). Pode ser devido a infecções intestinais (a causa mais freqüente), ou a processos inflamatórios diversos (colite ulcerativa, colite isquêmica, colite por radiação, etc.).
3 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
6 Imunidade: Capacidade que um indivíduo tem de defender-se perante uma agressão bacteriana, viral ou perante qualquer tecido anormal (tumores, enxertos, etc.).
7 Terapêutica: Terapia, tratamento de doentes.
8 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
   [Mais...]

A ressuscitação com fluidos agressiva precoce para pancreatite1 aguda, uma prática amplamente recomendada, não melhorou os resultados clínicos e levou a mais sobrecarga hídrica quando comparada à ressuscitação com fluidos moderada, mostrou o estudo randomizado2 WATERFALL publicado no The New England Journal of Medicine. Em uma análise interina do estudo, que foi interrompido precocemente por razões de segurança, a incidência3 de pancreatite1 moderadamente grave ou grave não foi significativamente diferente entre os grupos, embora numericamente maior em pacientes que receberam ressuscitação com fluidos agressiva precoce (22,1% vs 17,3%). E 20,5% daqueles no grupo de ressuscitação agressiva experimentaram sobrecarga de fluidos versus apenas 6,3% no grupo de ressuscitação moderada. Esses achados não suportam as diretrizes atuais de manejo, que recomendam ressuscitação agressiva precoce para o tratamento da pancreatite1 aguda.
1 Pancreatite: Inflamação do pâncreas. A pancreatite aguda pode ser produzida por cálculos biliares, alcoolismo, drogas, etc. Pode ser uma doença grave e fatal. Os primeiros sintomas consistem em dor abdominal, vômitos e distensão abdominal.
2 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
3 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
   [Mais...]

Mostrar: 10
1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - Próximos » - >>
1 a 10 (Total: 2665)
  • Entrar
  • Receber conteúdos