news.med.br
Opinião - 02/07/20
Em publicação no periódico mBio, Paul L. Fidel Jr. e Mairi C. Noverr propõem o conceito de que a administração de uma vacina1 viva atenuada não relacionada, como a MMR (sarampo2, caxumba3, rubéola4), poderia servir como uma medida preventiva contra as piores sequelas5 da COVID-19.
1 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
2 Sarampo: Doença infecciosa imunoprevenível, altamente transmissível por via respiratória, causada pelo vírus do sarampo e de imunidade permanente. Geralmente ocorre na infância, mas pode afetar adultos susceptíveis (não imunes). As manifestações clínicas são febre alta, tosse seca persistente, coriza, conjuntivite, aumento dos linfonodos do pescoço e manchas avermelhadas na pele. Em cerca de 30% das pessoas com sarampo podem ocorrer complicações como diarréia, otite, pneumonia e encefalite.
3 Caxumba: Também conhecida como parotidite. É uma doença infecciosa imunoprevenível de transmissão respiratória. Causada pelo vírus da caxumba, resulta em manifestações discretas ou é assintomática. Quando ocorrem, as manifestações clínicas mais comuns são febre baixa, dor no corpo, perda de apetite, fadiga e dor de cabeça. Cerca de 30 a 40% dos indivíduos infectados apresentam dor e aumento uni ou bilateral das glândulas salivares (mais comumente, das parótidas). Geralmente tem evolução benigna, é mais comum em crianças e resulta em imunidade permanente. Em alguns casos pode complicar causando meningite, encefalite, surdez, orquite, ooferite, miocardite ou pancreatite.
4 Rubéola: Doença infecciosa imunoprevenível de transmissão respiratória. Causada pelo vírus da rubéola. Resulta em manifestações discretas ou é assintomática. Quando ocorrem, as manifestações clínicas mais comuns são febre baixa, aumento dos gânglios do pescoço, manchas avermelhadas na pele, 70% das mulheres apresentam artralgia e artrite. Geralmente tem evolução benigna, é mais comum em crianças e resulta em imunidade permanente. Durante a gravidez, a infecção pelo vírus da rubéola pode resultar em aborto, parto prematuro e mal-formações congênitas.
5 Sequelas: 1. Na medicina, é a anomalia consequente a uma moléstia, da qual deriva direta ou indiretamente. 2. Ato ou efeito de seguir. 3. Grupo de pessoas que seguem o interesse de alguém; bando. 4. Efeito de uma causa; consequência, resultado. 5. Ato ou efeito de dar seguimento a algo que foi iniciado; sequência, continuação. 6. Sequência ou cadeia de fatos, coisas, objetos; série, sucessão. 7. Possibilidade de acompanhar a coisa onerada nas mãos de qualquer detentor e exercer sobre ela as prerrogativas de seu direito.
   [Mais...]

Medical Journal - 01/07/20
As descobertas de um estudo de Stanford fornecem novas ideias sobre como a ansiedade e o estresse em crianças afetam a tomada de decisão e a sinalização da amígdala1-CPFDL durante a regulação da emoção, e revelam mecanismos comportamentais e neurocircuitos latentes de risco precoce para psicopatologia.
1 Amígdala: Designação comum a vários agregados de tecido linfoide, especialmente o que se situa à entrada da garganta; tonsila.
   [Mais...]

Medical Journal - 03/07/20
Em estudo publicado pelo The BMJ, em todas as análises, a sensibilidade combinada foi menor para testes que utilizam o método LFIAs, o potencial método presente no ponto de atendimento. Atualmente, as evidências disponíveis não suportam o uso contínuo dos testes sorológicos existentes no local de atendimento.   [Mais...]
Pharma News - 01/07/20
Resultados de estudo feito para avaliação de uma vacina1 contra o coronavírus desenvolvida pela Pfizer suportam uma avaliação mais aprofundada desta candidata a vacina1 de RNAm, que conseguiu estimular uma resposta imune em pacientes saudáveis.
1 Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
   [Mais...]

Medical Journal - 06/07/20
Em publicação do Pediatrics, os achados apoiam a continuação da dose eficaz mais baixa de antidepressivos para tratar a depressão ou a ansiedade, o que beneficia a mãe, mas também destacam um risco aumentado de angústia respiratória do recém-nascido em todos os grupos e nascimento prematuro em doses moderadas a altas.   [Mais...]
Medical Journal - 30/06/20
Estudo mostrou que as diferenças entre os sexos na farmacocinética preveem fortemente reações adversas a medicamentos específicas do sexo para mulheres, mas não para homens. Esta diferença de sexo não foi explicada pelas diferenças do sexo no peso corporal.   [Mais...]
Medical Journal - 29/06/20
Estudo publicado pelo The Lancet mostrou que a mortalidade1 por COVID-19 em pacientes com câncer2 parece ser motivada principalmente por idade, sexo e comorbidades3. Não houve evidências de que pacientes em quimioterapia4 citotóxica ou outro tratamento antineoplásico apresentem risco aumentado de mortalidade1 por COVID-19.
1 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
2 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
3 Comorbidades: Coexistência de transtornos ou doenças.
4 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
   [Mais...]

Medical Journal - 03/07/20
Em estudo publicado pelo JACC, o parto prematuro foi um forte fator de risco1 independente para cardiopatia isquêmica2. Essa associação diminuiu com o tempo, mas permaneceu substancialmente elevada até 40 anos depois.
1 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
2 Cardiopatia isquêmica: Doença ocasionada por um déficit na circulação nas artérias coronarianas e outros defeitos capazes de afetar o aporte sangüíneo para o músculo cardíaco.É evidenciada por dor no peito, arritmias, morte súbita ou insuficiência cardíaca.
   [Mais...]

Medical Journal - 07/07/20
Estudo publicado pelo The BMJ buscou medir as associações entre os cuidados paliativos1 recém-iniciados nos últimos seis meses de vida, o uso de assistência médica e o local da morte em adultos morrendo de doenças não cancerígenas. Os achados destacam os benefícios potenciais dos cuidados paliativos1 em algumas doenças não oncológicas.
1 Paliativos: 1. Que ou o que tem a qualidade de acalmar, de abrandar temporariamente um mal (diz-se de medicamento ou tratamento); anódino. 2. Que serve para atenuar um mal ou protelar uma crise (diz-se de meio, iniciativa etc.).
   [Mais...]

Medical Journal - 08/07/20
Estudo publicado pelo JAMA Neurology mostrou que menores quantidades de sono REM foram associadas ao aumento do risco de mortalidade1 por todas as causas. Houve uma taxa de mortalidade1 13% maior ao longo de 12,1 anos para cada redução de 5% no sono REM em uma coorte2, e o achado foi replicado em outra coorte2 acompanhada por 20,8 anos.
1 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
2 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
   [Mais...]

Mostrar: 10
1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - > - >>
1 a 10 (Total: 765)
  • Entrar
  • Assinar