Gostou do artigo? Compartilhe!

Pessoas mais altas são mais propensas a ter câncer, dizem pesquisadores suecos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Homens e mulheres mais altos são mais propensos a desenvolver câncer1 do que seus pares mais baixos, de acordo com um grande estudo sobre a relação entre a estatura e a doença, apresentado na conferência anual da Sociedade Europeia de Endocrinologia Pediátrica, em Barcelona.

Pesquisadores suecos descobriram que o risco de mulheres que desenvolvem câncer1 de qualquer tipo aumentou em 18% para cada 10 centímetros extra de altura, enquanto para os homens o risco aumentou em 11%, embora a altura não seja um risco tão grande para o câncer1, como tabagismo, obesidade2 e um dieta pobre em nutrientes.

A Dra. Emelie Benyi, do Instituto Karolinska, que liderou a pesquisa, disse que há várias razões possíveis para esta associação, uma delas é que as pessoas mais altas têm um maior número de células3 no seu corpo que poderiam se transformar em câncer1. Pode ser também que indivíduos mais altos tenham maior ingestão de calorias4 e que isso já foi previamente ligado ao câncer1, além disso, já se conhece o papel crucial do hormônio5 do crescimento no crescimento tumoral.

O estudo analisou dados sobre 5,5 milhões de pessoas nascidas entre 1938 e 1991, com alturas que variaram de 100 centímetros a 225 centímetros.

Avaliando o impacto da altura sobre o desenvolvimento de diferentes formas de câncer1, eles encontraram um aumento do risco maior no câncer1 de pele6, subindo em 30% para cada 10 centímetros extras de altura. Os pesquisadores também observaram um aumento de 20% no risco de mulheres mais altas apresentarem câncer1 de mama7.

Os pesquisadores suecos não avaliaram possíveis fatores de confusão, tais como fumo, em seu estudo, mas o tamanho da amostra e os dados de boa qualidade significam que ele pode ser levado em consideração, mesmo que os resultados completos não tenham sido ainda publicados.

É interessante notar que as pessoas mais altas têm menor risco de doenças cardíacas e de morte em geral. Além disso, essas observações não significam que uma pessoa que é alta, certamente terá câncer1.

Fonte: Sociedade Europeia de Endocrinologia Pediátrica, de 2 de outubro de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. Pessoas mais altas são mais propensas a ter câncer, dizem pesquisadores suecos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/806879/pessoas-mais-altas-sao-mais-propensas-a-ter-cancer-dizem-pesquisadores-suecos.htm>. Acesso em: 16 nov. 2019.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
3 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
4 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
5 Hormônio: Substância química produzida por uma parte do corpo e liberada no sangue para desencadear ou regular funções particulares do organismo. Por exemplo, a insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que diz a outras células quando usar a glicose para energia. Hormônios sintéticos, usados como medicamentos, podem ser semelhantes ou diferentes daqueles produzidos pelo organismo.
6 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
7 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
Gostou do artigo? Compartilhe!