Gostou do artigo? Compartilhe!

Energéticos devem ser evitados na hipertensão arterial e em cardiopatas, segundo artigo apresentado na sessão científica da American Heart Association

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Duas latas de bebidas energéticas aumentam tanto a energia quanto a pressão arterial1 e a frequência cardíaca, segundo apresentação de um estudo na Sessão Científica da American Heart Association.

O estudo, conduzido por pesquisadores da Wayne State University, mostrou que a frequência cardíaca e a pressão arterial1 de adultos saudáveis que tomam duas latas de energético por dia aumentam após a ingestão.

Este aumento pode não ter perigo para pessoas saudáveis, mas tanto o aumento da pressão arterial1, quanto o da frequência cardíaca podem ter repercussões clínicas em indivíduos com doenças cardíacas e naqueles que têm o hábito de usar bebidas energéticas com frequência. James Kalus, coordenador do estudo, disse que indivíduos com hipertensão arterial2 e doenças do coração3 devem ser orientados a evitar este tipo de bebidas.

Estes energéticos contêm altos níveis de cafeína e taurina. Ambos já demonstraram efeitos na função cardíaca e na pressão arterial1 em outros estudos.

Durante o presente estudo, a frequência cardíaca aumentou de 5 a 7 batimentos por minuto. A pressão arterial sistólica4 aumentou 10 mmHg depois do consumo do energético. Não foram encontradas alterações significativas no eletrocardiograma5 dos participantes.

Como as atividades físicas também podem aumentar naturalmente a frequência cardíaca e a pressão arterial1, e são consideradas benéficas à saúde6, isto pode ser um bom argumento para aqueles que fabricam ou vendem tais bebidas. Os pesquisadores, no entanto, argumentam que energéticos podem trazer danos àqueles que desconhecem problemas de saúde6 prévios. Eles recomendam que, até que novos estudos sejam realizados, pessoas com pressão alta ou doenças cardíacas evitem estas bebidas, pois elas podem alterar a pressão arterial1 e a eficácia das medicações anti-hipertensivas.

Fonte: American Heart Association

NEWS.MED.BR, 2009. Energéticos devem ser evitados na hipertensão arterial e em cardiopatas, segundo artigo apresentado na sessão científica da American Heart Association. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/36713/energeticos-devem-ser-evitados-na-hipertensao-arterial-e-em-cardiopatas-segundo-artigo-apresentado-na-sessao-cientifica-da-american-heart-association.htm>. Acesso em: 15 nov. 2019.

Complementos

1 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
2 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
3 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
4 Pressão arterial sistólica: É a pressão mais elevada (pico) verificada nas artérias durante a fase de sístole do ciclo cardíaco, é também chamada de pressão máxima.
5 Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
6 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!