Atalho: 5VYIHK4
Gostou do artigo? Compartilhe!

Maçãs secas podem reduzir o colesterol total em 14% e o LDL em 23% em mulheres, de acordo com estudo apresentado na reunião Experimental Biology em Washington

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Mulheres que ingeriram maçãs secas diariamente por um ano reduziram cerca de 14% do colesterol1 total e 23% do LDL colesterol2 (“colesterol ruim”). Bahram Arjmandi, do departamento de nutrição3, alimentação e ciências experimentais da Universidade do Estado da Flórida, apresentou os resultados da pesquisa na reunião Experimental Biology em Washington esta semana.

No presente estudo, foram avaliados os efeitos do consumo de maçãs a longo prazo na saúde4 cardiovascular. Os pesquisadores estudaram 160 mulheres, com idades entre 45 e 65 anos, separadas em dois grupos: um que recebeu 75 gramas de maçãs secas diariamente por um ano e outro que consumiu ameixas secas diariamente por um ano.

Os resultados mostraram que as mulheres que consumiram maçãs secas reduziram o colesterol1 total em 14% e o LDL colesterol2 em 23%. Houve redução significativa dos níveis de proteína C reativa e de hidroperóxidos de lipídios, duas substâncias que indicam aumento do risco cardiovascular. Os efeitos do consumo das ameixas secas não foram mencionados no estudo apresentado.

A hipótese dos pesquisadores é de que a maçã reduz a inflamação5 no organismo.

A porção de maçãs secas tinha aproximadamente 240 calorias6. Uma maçã contém cerca de 5 gramas de fibra, de acordo com o departamento de agricultura dos Estados Unidos.

Apesar do aumento das calorias6 ingeridas, as mulheres que consumiram as maçãs não ganharam peso durante a pesquisa, até mesmo apresentaram uma redução do peso corporal em cerca de 1,5 kg, o que provavelmente deve-se à sensação de saciedade ocasionada pelas fibras presentes na maçã. A maçã contém fibras solúveis na polpa e fibras insolúveis na casca, além de pectina e outros antioxidantes naturais.

Fonte: Drugs.com

NEWS.MED.BR, 2011. Maçãs secas podem reduzir o colesterol total em 14% e o LDL em 23% em mulheres, de acordo com estudo apresentado na reunião Experimental Biology em Washington. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/177555/macas-secas-podem-reduzir-o-colesterol-total-em-14-e-o-ldl-em-23-em-mulheres-de-acordo-com-estudo-apresentado-na-reuniao-experimental-biology-em-washington.htm>. Acesso em: 1 abr. 2020.

Complementos

1 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
2 LDL colesterol: Do inglês low-density lipoprotein cholesterol, colesterol de baixa densidade ou colesterol ruim.
3 Nutrição: Incorporação de vitaminas, minerais, proteínas, lipídios, carboidratos, oligoelementos, etc. indispensáveis para o desenvolvimento e manutenção de um indivíduo normal.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
6 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!