Atalho: 5UW0WM5
Gostou do artigo? Compartilhe!

Pesquisa mostra que mosquiteiros tratados com inseticida diminuem população do mosquito transmissor da dengue

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudo, publicado na revista Tropical Medicine & International Health, mostra a eficácia de mosquiteiros tratados com inseticida (ITNs) na redução de populações de mosquitos Aedes aegypti - transmissores da dengue1 – e na transmissão da dengue1, mesmo este mosquito não tendo costume de picar à noite (como o da malária, o da doença de Chagas2 e o da filariose).

O estudo, realizado em Leogane (Haiti), envolveu 1017 residências divididas em 18 setores. No início, nove setores receberam ITNs e nove não (chamados de setores de controle). Os pesquisadores fizeram medidas entomológicas (índices de Breteau (BI), casas (HI), criadouros (CI), pupas por pessoa (PPI) e atividade de oviposição) antes de colocar os mosquiteiros, e também um e cinco meses depois da intervenção. No sexto mês de seguimento, os setores controle receberam ITNs e, decorridos mais seis meses, foi feita nova análise entomológica.

Exames sorológicos dos moradores com relação à soropositividade para imunoglobulina3 M (IgM) anti-dengue1 foram colhidos antes da entrega dos mosquiteiros para as famílias e após 12 meses. A eficácia de ITNs foi avaliada por medida da OMS (Organização Mundial de Saúde4) e todas as casas foram geo-referenciadas por análise espacial informatizada.

Os resultados mostram que os mosquiteiros tratados com inseticida têm um efeito imediato na redução da população de vetores da dengue1 em todos os setores estudados. Até o primeiro mês, as armadilhas para ovos ficaram mais vazias no grupo com mosquiteiro, assim como todas as medidas – BI, HI, CI, PPI e atividade de oviposição – reduziram.

No quinto mês, o grupo controle, sem mosquiteiro, também estava com todas as medidas curiosamente mais baixas que as dos setores com mosquiteiro, sugerindo um “efeito cascata” vindo das casas com mosquiteiros. Após mais seis meses de pesquisa, agora com todos os setores sob o uso de ITNs, todos os índices foram significativamente mais baixos do que aqueles do início do estudo. Além disso, a sorologia para IgM anti-dengue1 mostrou decréscimo de 15,3% no número de indivíduos positivos comparado ao início do estudo, 12 meses antes.

Lenhart e colaboradores realizaram a pesquisa inédita para avaliar o uso de ITNs como uma possibilidade eficaz contra a dengue1. Como o Aedes aegypti freqüentemente entra e permanece nas casas após se alimentar de sangue5, especialmente em casas pequenas, ele pode ter contato com os ITNs, mesmo não sendo um mosquito que pica à noite.

Os pesquisadores esclarem que este é um estudo inicial e que novas pesquisas abrangendo maior número de residências devem ser implementadas, principalmente em regiões pobres nas quais a dengue1 é um grave problema de saúde4 pública.

 

Fonte: Tropical Medicine & International Health

Veja também: Dengue1: o importante é evitar que o mosquito transmissor se reproduza. Saiba mais sobre a doença e como preveni-la.

NEWS.MED.BR, 2008. Pesquisa mostra que mosquiteiros tratados com inseticida diminuem população do mosquito transmissor da dengue. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/15670/pesquisa-mostra-que-mosquiteiros-tratados-com-inseticida-diminuem-populacao-do-mosquito-transmissor-da-dengue.htm>. Acesso em: 16 out. 2019.

Complementos

1 Dengue: Infecção viral aguda transmitida para o ser humano através da picada do mosquito Aedes aegypti, freqüente em regiões de clima quente. Caracteriza-se por apresentar febre, cefaléia, dores musculares e articulares e uma erupção cutânea característica. Existe uma variedade de dengue que é potencialmente fatal, chamada dengue hemorrágica.
2 Doença de Chagas: Doença parasitária transmitida ao homem através da picada do Triatoma infestans (barbeiro). É endêmica em alguns países da América do Sul e associa-se a condições precárias de habitação. Produz em sua forma crônica um distúrbio cardíaco que termina por causar insuficiência cardíaca e distúrbios do ritmo cardíaco.
3 Imunoglobulina: Proteína do soro sanguíneo, sintetizada pelos plasmócitos provenientes dos linfócitos B como reação à entrada de uma substância estranha (antígeno) no organismo; anticorpo.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
Gostou do artigo? Compartilhe!