Gostou do artigo? Compartilhe!

Anvisa: hidroclorotiazida está associada ao aumento do risco de câncer de pele não-melanoma

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Anvisa alerta sobre aumento do risco de câncer1 de pele2 não-melanoma3 (carcinoma4 basocelular e carcinoma4 de células5 escamosas) com o uso a longo prazo de hidroclorotiazida, diurético6 amplamente utilizado (isoladamente ou em associação com outros fármacos) para o tratamento da hipertensão arterial7, bem como para o controle de edemas8.

Saiba mais sobre "Câncer1 de pele2 não-melanoma3", "Hipertensão arterial7" e "Edema9".

Um estudo incluindo uma população composta por 71.533 casos de carcinoma4 basocelular e 8.629 casos de carcinoma4 de células5 escamosas pareados a 1.430.833 e 172.462 controles populacionais, respectivamente, mostrou uma relação dose-resposta cumulativa clara tanto para o carcinoma4 basocelular como para o carcinoma4 de células5 escamosas. Outro estudo mostrou uma possível associação entre câncer1 de lábio10 e a exposição à hidroclorotiazida. A ação fotossensibilizadora da hidroclorotiazida pode atuar como um possível mecanismo para a doença.

Os profissionais de saúde11 devem informar aos pacientes tratados com hidroclorotiazida sobre o risco de câncer1 de pele2 não-melanoma3, especialmente aqueles que já fazem uso do fármaco12 há muito tempo. Os pacientes devem ser orientados a verificar regularmente a sua pele2 quanto a novas lesões13 e a notificar imediatamente ao profissional quaisquer lesões13 cutâneas14 suspeitas.

A Anvisa orienta que não se interrompa o tratamento para hipertensão arterial7 ou edemas8 sem antes consultar o médico. Lesões13 cutâneas14 suspeitas devem ser prontamente examinadas por dermatologistas, incluindo exame histológico15 e biópsias16. Medidas preventivas tais como limitação da exposição à luz solar e aos raios UV podem ser realizadas para minimizar o risco de câncer1 de pele2. O uso de hidroclorotiazida pode ser revisto em pacientes com histórico de câncer1 de pele2 não-melanoma3.

A Anvisa solicitará a inclusão em bula das novas informações de segurança para todos os medicamentos que contenham o princípio ativo hidroclorotiazida e que ainda não possuam tais informações.

Veja também sobre "Cuidados com a pele2", "Melanoma3" e "Protetor solar ou filtro solar".

 

Fonte: Anvisa, número 72018, em 2018

 

NEWS.MED.BR, 2018. Anvisa: hidroclorotiazida está associada ao aumento do risco de câncer de pele não-melanoma. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/saude/1329918/anvisa-hidroclorotiazida-esta-associada-ao-aumento-do-risco-de-cancer-de-pele-nao-melanoma.htm>. Acesso em: 19 jan. 2019.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
3 Melanoma: Neoplasia maligna que deriva dos melanócitos (as células responsáveis pela produção do principal pigmento cutâneo). Mais freqüente em pessoas de pele clara e exposta ao sol.Podem derivar de manchas prévias que mudam de cor ou sangram por traumatismos mínimos, ou instalar-se em pele previamente sã.
4 Carcinoma: Tumor maligno ou câncer, derivado do tecido epitelial.
5 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
6 Diurético: Grupo de fármacos que atuam no rim, aumentando o volume e o grau de diluição da urina. Eles depletam os níveis de água e cloreto de sódio sangüíneos. São usados no tratamento da hipertensão arterial, insuficiência renal, insuficiência cardiaca ou cirrose do fígado. Há dois tipos de diuréticos, os que atuam diretamente nos túbulos renais, modificando a sua atividade secretora e absorvente; e aqueles que modificam o conteúdo do filtrado glomerular, dificultando indiretamente a reabsorção da água e sal.
7 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
8 Edemas: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
9 Edema: 1. Inchaço causado pelo excesso de fluidos no organismo. 2. Acúmulo anormal de líquido nos tecidos do organismo, especialmente no tecido conjuntivo.
10 Lábio: Cada uma das duas margens carnudas e altamente irrigadas da boca.
11 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
12 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
13 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
14 Cutâneas: Que dizem respeito à pele, à cútis.
15 Histológico: Relativo à histologia, ou seja, relativo à disciplina biomédica que estuda a estrutura microscópica, composição e função dos tecidos vivos.
16 Biópsias: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
Gostou do artigo? Compartilhe!