Gostou do artigo? Compartilhe!

Repensando a utilização de medicações em oncologia: o diclofenaco como um agente anti-câncer

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Pesquisadores vinculados ao projeto Repurposing Drugs in Oncology, que pretende propor novas indicações de uso na oncologia para medicações já existentes e usadas no tratamento de outras patologias, analisaram a literatura disponível e acreditam que os dados disponíveis são suficientes para que se dê início a ensaios clínicos1 de uso do diclofenaco no tratamento de vários tipos de câncer2.

O diclofenaco (DCF) é um fármaco3 anti-inflamatório não esteroide (AINE), bem conhecido e amplamente utilizado, com uma série de ações que são de interesse no contexto oncológico. Embora tenha havido um longo interesse no uso de AINEs em quimioprevenção, não estão emergindo no momento evidências clínicas de que tais medicações podem ter atividade em um tratamento padrão de câncer2.

O diclofenaco é um potente inibidor da COX-2 e da síntese de prostaglandina4 E2, exibe uma variedade de efeitos sobre o sistema imunitário5, na cascata angiogênica, na quimio e na radio6 sensibilidade de vários tumores e no metabolismo7 tumoral. As evidências pré-clínicas e clínicas destes efeitos, em vários tipos de câncer2, foram avaliadas e resumidas e os mecanismos pertinentes de ação foram delineados em um trabalho publicado no Ecancer por pesquisadores do projeto Repurposing Drugs in Oncology (ReDO).

Com base nessas evidências, deve ser criado um processo para posterior investigação clínica dos efeitos anticancerígenos do diclofenaco, particularmente em combinação com outros agentes - uma variedade de possíveis combinações multidrogas e multimodalidades definidas nos materiais complementares que acompanham o artigo principal publicado.

O artigo cita que os próximos passos devem levar em consideração que as evidências mais fortes são para ensaios clínicos1 do diclofenaco em combinação com outros agentes nos seguintes tipos de câncer2:

  • Tumores desmoides (quimioterapia8 metronômica)
  • Tumores inflamatórios miofibroblásticos
  • Neuroblastoma metastático ou refratário de alto risco

O uso perioperatório do diclofenaco é também de interesse nos seguintes tumores:

 

Fonte: ecancer2, de 11 de janeiro de 2016

NEWS.MED.BR, 2016. Repensando a utilização de medicações em oncologia: o diclofenaco como um agente anti-câncer. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/815809/repensando-a-utilizacao-de-medicacoes-em-oncologia-o-diclofenaco-como-um-agente-anti-cancer.htm>. Acesso em: 17 set. 2019.

Complementos

1 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
2 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
3 Fármaco: Qualquer produto ou preparado farmacêutico; medicamento.
4 Prostaglandina: É qualquer uma das várias moléculas estruturalmente relacionadas, lipossolúveis, derivadas do ácido araquidônico. Ela tem função reguladora de diversas vias metabólicas.
5 Sistema Imunitário: Mecanismo de defesa do corpo contra organismos ou substâncias estranhas e células nativas anormais. Inclui a resposta imune humoral e a resposta mediada por célula e consiste de um complexo de componentes celulares, moleculares e genéticos interrelacionados.
6 Rádio:
7 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
8 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
9 Cabeça:
10 Pescoço:
11 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
12 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
13 Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.
14 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
Gostou do artigo? Compartilhe!