Atalho: 674W2GG
Gostou do artigo? Compartilhe!

Doença coronariana: rosuvastatina e atorvastatina retardam progressão da aterosclerose coronariana de maneira semelhante, publicado pelo NEJM

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudo publicado pelo The New England Journal of Medicine (NEJM) mostrou que o uso de altas doses de rosuvastatina ou de atorvastatina resultou em regressão significativa da aterosclerose1 coronariana, independente dos níveis de LDL colesterol2 e de HDL colesterol3 obtidos com a rosuvastatina.

Ultrassonografia4 intravascular5 foi realizada em 1.039 pacientes com doença coronariana6, no início do estudo e após 104 semanas de tratamento com atorvastatina, 80 mg por dia, ou com rosuvastatina, 40 mg por dia. O objetivo foi comparar o efeito destes dois regimes intensivos de uso de estatinas sobre a progressão da aterosclerose1 coronariana, bem como avaliar sua segurança e efeitos colaterais7.

Após 104 semanas de tratamento, o grupo rosuvastatina apresentou níveis mais baixos de LDL colesterol2 do que o grupo da atorvastatina (P <0,001) e níveis mais elevados de HDL colesterol3 (P = 0,01). Ambos os agentes induziram a regressão do ateroma na maioria dos pacientes: 63,2% com atorvastatina e 68,5% com rosuvastatina para o volume percentual da placa8 de ateroma (P = 0,07) e 64,7% e 71,3%, respectivamente, para o volume total do ateroma (P = 0,02). Ambos os agentes tiveram aceitáveis perfis de efeitos colaterais7, com uma baixa incidência9 de alterações laboratoriais e de eventos cardiovasculares.

O uso de altas doses de rosuvastatina ou de atorvastatina resultou em regressão significativa da aterosclerose1 coronariana. Grau semelhante de regressão foi observado nos dois grupos de tratamento, independente dos níveis de LDL colesterol2 e de HDL colesterol3 obtidos com a rosuvastatina.

Fonte: NEJM, de 15 de novembro de 2011

 

NEWS.MED.BR, 2011. Doença coronariana: rosuvastatina e atorvastatina retardam progressão da aterosclerose coronariana de maneira semelhante, publicado pelo NEJM. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/pharma-news/247740/doenca-coronariana-rosuvastatina-e-atorvastatina-retardam-progressao-da-aterosclerose-coronariana-de-maneira-semelhante-publicado-pelo-nejm.htm>. Acesso em: 28 out. 2020.

Complementos

1 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
2 LDL colesterol: Do inglês low-density lipoprotein cholesterol, colesterol de baixa densidade ou colesterol ruim.
3 HDL colesterol: Do inglês high-density-lipoprotein cholesterol, ou colesterol de alta densidade. Também chamado de bom colesterol.
4 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
5 Intravascular: Relativo ao interior dos vasos sanguíneos e linfáticos, ou que ali se situa ou ocorre.
6 Doença coronariana: Doença do coração causada por estreitamento das artérias que fornecem sangue ao coração. Se o fluxo é cortado, o resultado é um ataque cardíaco.
7 Efeitos colaterais: 1. Ação não esperada de um medicamento. Ou seja, significa a ação sobre alguma parte do organismo diferente daquela que precisa ser tratada pelo medicamento. 2. Possível reação que pode ocorrer durante o uso do medicamento, podendo ser benéfica ou maléfica.
8 Placa: 1. Lesão achatada, semelhante à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
9 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!

Complementos

29/11/2011 - Complemento feito por marcos
Re: Doença coronariana: rosuvastatina e atorvastatina retardam progressão da aterosclerose coronariana de maneira semelhante, publicado pelo NEJM
A ateroesclerose, se dá, quando, a quantidade de lipídeos circulantes é grande, principalmente o colesterol e seus derivados, sendo que estas moléculas de gordura aderem as paredes das artérias, formando um local onde ocorre uma reação inflamatória, e assim se, este processo não for controlado a tempo, maiores depósitos de gordura irão se formar, até ao ponto de impedir o fluxo do sangue na artéria comprometida, quando este processo de dá nas artérias coronarianas, temos uma obstrução do fluxo sanguíneo para o coração, fazendo com que sua função como " bomba propulsora " de sangue a todas as células do organismo fique comprometida ou até mesmo inviável.Portanto, medidas no sentido de reduzir a probabilidade de eventos que impeçam a circulação coronariana, devem ser adotados de forma sistemática, principalmente em indivíduos propensos a ter tais patologias, como os portadores de diabetes, hipertensão, principalmente, bem como todos os pacientes com o perfil lipídico alterado.

  • Entrar
  • Assinar