Gostou do artigo? Compartilhe!

Mulheres podem apresentar sintomas de derrame (acidente vascular cerebral) diferentes dos apresentados por homens

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Ao chegar à emergência1 de um hospital, as mulheres nem sempre mostram os sintomas2 clássicos de um acidente vascular cerebral3 (AVC) descritos pela American Stroke Association (ASA), mesmo tendo este AVC confirmado após atendimento. É o que aponta a conclusão de um estudo apresentado na reunião anual da ASA.

 

Foram analisados mais de 1700 pacientes com acidente vascular cerebral3 (AVC) confirmado. As mulheres apresentaram 33% a menos de probabilidade de apresentarem qualquer um dos cinco sintomas2 clássicos de alerta de um AVC, quando comparadas aos homens. Isso significa que mulheres e homens não se queixam dos mesmos sintomas2.


As mulheres que sofrem um AVC são 40% menos prováveis de relatar tonturas4, distúrbios da marcha, do equilíbrio ou de coordenação e 20% menos prováveis de relatar problemas visuais.


"Se a queixa principal não se relaciona aos sintomas2 clássicos de derrame5 para o atendimento inicial em uma sala de emergência1, isso atrasa o diagnóstico6 e o início do tratamento com um trombolítico", diz Julia W. Gargano, uma das pesquisadoras do estudo. Estes achados são consistentes com o que já foi visto em relação ao infarto do miocárdio7 e suas diferenças de sintomas2 em homens e mulheres.


Os registros incluídos no estudo foram de hospitais de ensino, urbanos e rurais, e hospitais da comunidade de 16 grandes centros. A queixa principal de 1724 pacientes, anotada por enfermeiras chefes da triagem desses hospitais, foram avaliadas durante a pesquisa. Todos os pacientes do estudo chegaram a uma sala de emergência1 e tiveram o AVC confirmado após atendimento.


Significativamente mais mulheres que homens não relataram nenhum dos cinco sintomas2 tradicionais de derrame5 descritos pela ASA: 15% versus 10%, odds ratio 1.49, intervalo de confiança de 95% 1.19 a 1.85.


As queixas mais comuns foram:


- Perda de consciência ou desmaio (88 pacientes, 60% mulheres);

- Queixas respiratórias (65 pacientes, 58% mulheres);

- Quedas ou acidentes (32 pacientes, 63% mulheres);

- Dor (30 pacientes, 70% mulheres);

- Convulsão8 (12 pacientes, 58% mulheres).


Para os sinais9 de alerta típicos descritos pela ASA foi observado:


- Paralisia10 ou fraqueza repentina na face11, braço ou perna especialmente de um lado do corpo foram descritos tão frequentemente por mulheres quanto por homens (56% versus 58%, OR 0.95, 95% CI 0.77 a 1.17);

- Confusão mental súbita, problemas na fala ou na compreensão foram descritos tão frequentemente por mulheres quanto por homens (33% versus 31%, OR 0.96, 95% CI 0.74 a 1.24);

- Problemas de visão12 em um ou nos dois olhos13 tenderam a ser descritos menos frequentemente por mulheres do que por homens (4% versus 6%, OR 0.78, 95% CI 0.60 a 1.01);

- Problemas súbitos para andar, tontura14, perda de equilíbrio ou de coordenação foram relatos menos frequentes em mulheres que em homens (11% versus 16%, OR 0.60, 95% CI 0.50 a 0.73);

- Dor de cabeça15 súbita e severa sem causa definida foi igualmente relatada em homens e mulheres (9% cada, OR 1.23, 95% CI 1.19 a 1.85).


Os achados foram diferentes na triagem, mas os pacientes tiveram os mesmos achados clínicos quando examinados por um médico.


É importante saber que essas observações afetaram um pequeno número de pacientes, mas podem ter um impacto clínico relevante no cuidado de pacientes. Estudos futuros são necessários para elucidar as razões dessas diferenças. Os pesquisadores dizem que podem ser biológicas, de comunicação ou circunstanciais.

 


Fonte: Stroke Conference

NEWS.MED.BR, 2007. Mulheres podem apresentar sintomas de derrame (acidente vascular cerebral) diferentes dos apresentados por homens. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/10480/mulheres-podem-apresentar-sintomas-de-derrame-acidente-vascular-cerebral-diferentes-dos-apresentados-por-homens.htm>. Acesso em: 15 jul. 2020.

Complementos

1 Emergência: 1. Ato ou efeito de emergir. 2. Situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito. 3. Setor de uma instituição hospitalar onde são atendidos pacientes que requerem tratamento imediato; pronto-socorro. 4. Eclosão. 5. Qualquer excrescência especializada ou parcial em um ramo ou outro órgão, formada por tecido epidérmico (ou da camada cortical) e um ou mais estratos de tecido subepidérmico, e que pode originar nectários, acúleos, etc. ou não se desenvolver em um órgão definido.
2 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
3 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
4 Tonturas: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
5 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
6 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
7 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
8 Convulsão: Episódio agudo caracterizado pela presença de contrações musculares espasmódicas permanentes e/ou repetitivas (tônicas, clônicas ou tônico-clônicas). Em geral está associada à perda de consciência e relaxamento dos esfíncteres. Pode ser devida a medicamentos ou doenças.
9 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
10 Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
11 Face: Parte anterior da cabeça que inclui a pele, os músculos e as estruturas da fronte, olhos, nariz, boca, bochechas e mandíbula.
12 Visão: 1. Ato ou efeito de ver. 2. Percepção do mundo exterior pelos órgãos da vista; sentido da vista. 3. Algo visto, percebido. 4. Imagem ou representação que aparece aos olhos ou ao espírito, causada por delírio, ilusão, sonho; fantasma, visagem. 5. No sentido figurado, concepção ou representação, em espírito, de situações, questões etc.; interpretação, ponto de vista. 6. Percepção de fatos futuros ou distantes, como profecia ou advertência divina.
13 Olhos:
14 Tontura: O indivíduo tem a sensação de desequilíbrio, de instabilidade, de pisar no vazio, de que vai cair.
15 Cabeça:
Gostou do artigo? Compartilhe!