Gostou do artigo? Compartilhe!

JAMA: efeito da suplementação de vitamina D na cartilagem tibial e na dor em pacientes com osteoartrite sintomática do joelho

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Estudos observacionais sugerem que a suplementação1 de vitamina2 D está associada a benefícios em casos de osteoartrite3 do joelho, mas a evidência atual ainda é contraditória.

Com o objetivo de comparar os efeitos da suplementação1 de vitamina2 D versus placebo4 na dor no joelho e no volume da cartilagem5 do joelho, em pacientes com osteoartrite3 sintomática6 do joelho e com níveis baixos de vitamina2 D, foi realizado um ensaio clínico randomizado7 publicado pelo The Journal of the American Medical Association (JAMA).

Um estudo clínico multicêntrico, randomizado7, duplo-cego, controlado com placebo4, foi realizado na Austrália, com pacientes com osteoartrite3 sintomática6 do joelho e baixos níveis de 25-hidroxivitamina D (12,5-60 nmol/L), a partir de junho de 2010 até dezembro de 2011. O estudo foi concluído em dezembro de 2013.

Os participantes foram distribuídos aleatoriamente para receberem o tratamento mensal com vitamina2 D3 oral (50.000 UI, n=209) ou um placebo4 idêntico (n=204) durante dois anos.

Os principais resultados observados foram a mudança no volume da cartilagem5 tibial (avaliada por ressonância magnética8 [MRI]) e a mudança no escore de dor Western Ontario and McMaster Universities Arthritis Index (WOMAC) (0 [nenhuma dor] e 500 [pior dor]) desde o início até o 24º mês de seguimento. Os desfechos secundários foram defeitos da cartilagem5 e lesões9 da medula óssea10 (avaliados por MRI).

Dos 413 participantes inscritos (idade média 63,2 anos; 50% mulheres), 340 (82,3%) completaram o estudo. O nível de 25-hidroxivitamina D aumentou mais no grupo da vitamina2 D (40,6 nmol/L) do que no grupo de placebo4 (6,7 nmol/L) (P<0,001) ao longo de 2 anos. Não houve diferenças significativas na mudança anual de volume da cartilagem5 tibial ou no escore de dor WOMAC entre os dois grupos (P=0,10). Também não houve diferenças significativas na mudança de defeitos da cartilagem5 tibiofemoral ou alterações em lesões9 da medula óssea10 tibiofemoral nos grupos. Os eventos adversos (≥1 por paciente) ocorreram em 56 participantes no grupo da vitamina2 D e em 37 participantes no grupo placebo4 (P=0,04).

As conclusões deste estudo mostram que entre os pacientes com osteoartrite3 sintomática6 do joelho e níveis séricos baixos de 25-hidroxivitamina D, a suplementação1 de vitamina2 D, em comparação ao placebo4, não resultou em diferenças significativas na alteração do volume da cartilagem5 tibial medido por MRI ou no escore WOMAC de dor no joelho ao longo de 2 anos. Estes resultados não suportam o uso de suplementos de vitamina2 D para prevenir a perda de cartilagem5 tibial ou melhorar a dor no joelho em pacientes com osteoartrite3 do joelho.

 

Fonte: The Journal of the American Medical Association (JAMA), volume 315, número 10, de 8 de março de 2016

NEWS.MED.BR, 2016. JAMA: efeito da suplementação de vitamina D na cartilagem tibial e na dor em pacientes com osteoartrite sintomática do joelho. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/821934/jama-efeito-da-suplementacao-de-vitamina-d-na-cartilagem-tibial-e-na-dor-em-pacientes-com-osteoartrite-sintomatica-do-joelho.htm>. Acesso em: 22 out. 2019.

Complementos

1 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
2 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
3 Osteoartrite: Termo geral que se emprega para referir-se ao processo degenerativo da cartilagem articular, manifestado por dor ao movimento, derrame articular, etc. Também denominado artrose.
4 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
5 Cartilagem: Tecido resistente e flexível, de cor branca ou cinzenta, formado de grandes células inclusas em substância que apresenta tendência à calcificação e à ossificação.
6 Sintomática: 1. Relativo a ou que constitui sintoma. 2. Que é efeito de alguma doença. 3. Por extensão de sentido, é o que indica um particular estado de coisas, de espírito; revelador, significativo.
7 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
8 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
9 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
10 Medula Óssea: Tecido mole que preenche as cavidades dos ossos. A medula óssea apresenta-se de dois tipos, amarela e vermelha. A medula amarela é encontrada em cavidades grandes de ossos grandes e consiste em sua grande maioria de células adiposas e umas poucas células sangüíneas primitivas. A medula vermelha é um tecido hematopoiético e é o sítio de produção de eritrócitos e leucócitos granulares. A medula óssea é constituída de um rede, em forma de treliça, de tecido conjuntivo, contendo fibras ramificadas e preenchida por células medulares.
Gostou do artigo? Compartilhe!