Gostou do artigo? Compartilhe!

Suplementação de vitamina D durante a lactação deve ser para a mãe ou para o bebê?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Para comparar a eficácia da suplementação1 materna de vitamina2 D3 com 6.400 UI diárias à suplementação1 infantil e materna com 400 UI por dia, foi realizado um estudo com lactantes3 em amamentação4 exclusiva que viviam em Charleston, SC, ou Rochester, NY, em 4 a 6 semanas após o parto. Elas foram randomizadas para receber 400, 2.400 ou 6.400 UI de vitamina2 D3 por dia, durante seis meses.

Bebês5 amamentando em mães do grupo de 400 UI receberam 400 UI de vitamina2 D3/dia, por via oral; já os bebês5 nos grupos de mães usando 2.400 e 6.400 UI recebiam 0 UI/dia (placebo6). A deficiência de vitamina2 D foi definida como níveis de 25-hidroxivitamina D sérica (25(OH)D) menor do que 50 nmol/L. O grupo de 2.400 UI terminou em 2009 com a maior deficiência infantil de vitamina2 D. Os níveis séricos maternos de vitamina2 D, 25(OH)D, cálcio, concentrações de fósforo e taxa de depuração urinária de cálcio/creatinina7 foram medidos no início do estudo, em seguida, mensalmente. Os parâmetros sanguíneos infantis foram medidos no início do estudo e no quarto e sétimo meses.

Dos 334 pares mãe-filho nos grupos de 400 UI e de 6.400 UI no início do estudo, 216 (64,7%) ainda estavam em amamentação exclusiva8 na primeira visita; 148 (44,3%) continuaram em amamentação4 exclusiva aos 4 meses e 95 (28,4%) aos 7 meses. A deficiência de vitamina2 D em crianças em aleitamento materno9 foi bastante afetada pela raça. Em comparação ao uso de 400 UI de vitamina2 D3 por dia, o uso de 6.400 UI/dia aumentou significativamente e de forma segura os níveis maternos de vitamina2 D e de 25(OH)D a partir do início do estudo (P 0,0001). Em comparação com bebês5 recebendo 400 UI/dia, os bebês5 no grupo de mães recebendo 6.400 UI/dia não apresentaram diferenças.

A suplementação1 materna de vitamina2 D com 6400 UI/dia fornece no leite materno a quantidade adequada de vitamina2 D para satisfazer as exigências dos bebês5 e é uma alternativa à suplementação1 infantil.

Fonte: Pediatrics, publicação online, de 28 de setembro de 2015

NEWS.MED.BR, 2015. Suplementação de vitamina D durante a lactação deve ser para a mãe ou para o bebê?. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/804979/suplementacao-de-vitamina-d-durante-a-lactacao-deve-ser-para-a-mae-ou-para-o-bebe.htm>. Acesso em: 23 jul. 2019.

Complementos

1 Suplementação: Que serve de suplemento para suprir o que falta, que completa ou amplia.
2 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
3 Lactantes: Que produzem leite; que aleitam.
4 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
5 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
6 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
7 Creatinina: Produto residual das proteínas da dieta e dos músculos do corpo. É excretada do organismo pelos rins. Uma vez que as doenças renais progridem, o nível de creatinina aumenta no sangue.
8 Amamentação exclusiva: Uso do leite materno, habitualmente até os 6 meses de vida como único alimento da criança, não sendo admitidos chás ou água como exceção.
9 Aleitamento Materno: Compreende todas as formas do lactente receber leite humano ou materno e o movimento social para a promoção, proteção e apoio à esta cultura. Toda mulher após o parto tem produção de leite - lactação; mas, infelizmente nem todas amamentam.
Gostou do artigo? Compartilhe!