Gostou do artigo? Compartilhe!

A gravidez avança a idade "biológica" das mulheres, mas o parto a faz retroceder

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Dores e desconfortos não são tudo o que a gravidez1 compartilha com o envelhecimento. Preparar um bebê leva a mudanças na distribuição de certos marcadores químicos no DNA de uma pessoa grávida – mudanças semelhantes àquelas que são uma marca registrada do envelhecimento.

Mas uma nova pesquisa, publicada na revista Cell Metabolism, mostra que, vários meses depois de uma pessoa dar à luz, os padrões químicos revertem para um estado anterior. Os resultados fortalecem trabalhos anteriores em ratos e resultados preliminares em humanos.

O envelhecimento biológico é um processo complexo, encapsulado por alterações nos padrões de metilação do DNA. Estas alterações, especificamente a distribuição de grupos metil no DNA, não alteram o código genético do indivíduo, mas influenciam a atividade genética, afetando assim a idade biológica. Ao contrário da idade cronológica, a idade biológica proporciona um reflexo mais matizado das tensões fisiológicas2 e dos fatores ambientais pelos quais o corpo passou ao longo do tempo.

Leia sobre "Idade metabólica versus idade cronológica" e "O processo de envelhecimento".

Para fazer a nova descoberta, o professor assistente do Yale Child Study Center, Kieran O’Donnell, PhD, e a sua equipe utilizaram uma coorte3 de gravidez1 única que forneceu dados epigenéticos durante a gravidez1, permitindo-lhes calcular medidas de envelhecimento biológico utilizando “relógios epigenéticos”.

Eles avaliaram os efeitos da gravidez1, da sua progressão e da sua cessação no envelhecimento biológico humano (materno). Segundo os pesquisadores, está bem estabelecido que o estado da gravidez1 impõe um estresse fisiológico4 considerável no compartimento materno. Com base nesta observação, eles propuseram que a gravidez1 sirva como um desafio natural que pode revelar vulnerabilidades latentes relacionadas com o estresse, relevantes para o risco futuro de doenças.

No entanto, falta atualmente um biomarcador do impacto fisiológico4 global imposto pela gravidez1.

No estudo eles identificaram que, do início ao final da gravidez1, um período de aproximadamente 20 semanas, a idade biológica – ou epigenética – aumentou aproximadamente dois anos, sugerindo que a gravidez1 de fato acelera o envelhecimento. No entanto, quando O’Donnell e sua equipe examinaram a idade biológica das mesmas mulheres, três meses depois, o que viram foi uma surpresa.

“Aos três meses pós-parto, vimos uma diminuição notavelmente grande na idade biológica, de até oito anos para algumas mulheres, portanto, embora a gravidez1 aumente a idade biológica, há uma recuperação clara (e pronunciada) no pós-parto”, comentou O'Donnell.

Estas novas descobertas replicam as de um estudo anterior, também publicado na Cell Metabolism, sugerindo que diferentes fontes de estresse podem aumentar a idade biológica de forma transitória.

No novo estudo a equipe também descobriu que o índice de massa corporal5 materna pré-gravidez1 impactou negativamente esse efeito de recuperação, resultando em estimativas de idade biológica mais altas no pós-parto. Em contraste, a amamentação6 resultou num declínio mais acentuado da idade biológica materna desde a gravidez1 até aos três meses pós-parto. O’Donnell diz que estas descobertas fornecem uma nova direção interessante para a pesquisa sobre o envelhecimento.

“Há muito o que acompanhar aqui”, disse O’Donnell. “Em primeiro lugar, não sabemos se o efeito da recuperação pós-parto é relevante para os resultados de saúde7 materna a curto ou longo prazo e se estes efeitos se acumulam ao longo de gestações sucessivas. Da mesma forma, não sabemos se a diminuição da idade biológica pós-parto é simplesmente a recuperação do sistema para a idade biológica pré-gravidez1 ou, mais provocativamente, se a gravidez1 pode ter um efeito rejuvenescedor”.

 

Fontes:
Cell Metabolism, publicação em 22 de março de 2024.
Nature, notícia publicada em 22 de março de 2024.
Yale School of Medicine, notícia publicada em 22 de março de 2024.

 

NEWS.MED.BR, 2024. A gravidez avança a idade "biológica" das mulheres, mas o parto a faz retroceder. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1468342/a-gravidez-avanca-a-idade-quot-biologica-quot-das-mulheres-mas-o-parto-a-faz-retroceder.htm>. Acesso em: 28 mai. 2024.

Complementos

1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Fisiológicas: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
3 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
4 Fisiológico: Relativo à fisiologia. A fisiologia é estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
5 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
6 Amamentação: Ato da nutriz dar o peito e o lactente mamá-lo diretamente. É um fenômeno psico-sócio-cultural. Dar de mamar a; criar ao peito; aleitar; lactar... A amamentação é uma forma de aleitamento, mas há outras formas.
7 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
Gostou do artigo? Compartilhe!