Gostou do artigo? Compartilhe!

Adoçante xilitol foi associado a maior risco de ataques cardíacos e AVCs

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um adoçante chamado xilitol, comumente usado em bebidas sem açúcar1, gomas de mascar e pasta de dente2, foi associado a um risco maior de ataques cardíacos e acidentes vasculares3 cerebrais.

Em um estudo publicado no European Heart Journal, pessoas que tinham níveis mais elevados de xilitol no sangue4 tinham maior probabilidade de ter um ataque cardíaco ou AVC nos próximos três anos, com experiências de laboratório sugerindo que o adoçante promove a coagulação5 do sangue4.

Frequentemente comercializado como “com baixo teor de carboidratos”, “natural” e “amigável às dietas keto”, o xilitol é um álcool de açúcar1 encontrado em frutas e vegetais, mas em níveis cerca de 1000 vezes mais baixos do que aqueles adicionados a produtos comerciais. Também pode ser preparado artificialmente por meio de reações químicas a partir de materiais vegetais.

No ano passado, Stanley Hazen, da Cleveland Clinic, em Ohio, EUA, e seus colegas descobriram que o adoçante eritritol estava associado a um risco cardiovascular aumentado. Querendo saber se o xilitol também pode afetar a saúde6 do coração7, Hazen liderou uma investigação com 3.306 adultos nos EUA e na Europa.

Saiba mais sobre "Adoçantes: prós e contras", "Doenças cardiovasculares8" e "Como se dá a coagulação5 sanguínea".

Os pesquisadores analisaram uma amostra única de sangue4 dos participantes para verificar seus níveis de xilitol após jejuarem durante a noite. Ao longo de um período de acompanhamento de três anos, a equipe descobriu que um terço das pessoas que apresentavam os níveis mais elevados de xilitol circulante tinham maior probabilidade de sofrer um evento cardiovascular, como ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral9.

Para compreender melhor esta tendência, os pesquisadores examinaram em laboratório os efeitos do xilitol nas células sanguíneas10 humanas chamadas plaquetas11 e na atividade plaquetária em camundongos. As plaquetas11 agrupam-se no local de uma lesão12 para evitar sangramento, mas também podem coagular13 dentro dos vasos sanguíneos14. Isto pode afetar o fornecimento de sangue4 ao coração7 e ao cérebro15, aumentando o risco de eventos cardiovasculares.

Os pesquisadores descobriram que as plaquetas11 humanas mostraram sinais16 de serem mais propensas à coagulação5 quando incubadas com xilitol, em comparação com uma incubação17 com solução salina. Os camundongos também tiveram formação de coágulos significativamente mais rápida nas veias18 após receberem injeções de xilitol.

Finalmente, a equipe rastreou a atividade plaquetária em 10 pessoas depois de lhes dar água adoçada com a mesma quantidade de xilitol. Em 30 minutos, eles mostraram um salto de 1.000 vezes nos níveis de xilitol no plasma sanguíneo19 e todas as medidas que apoiam a prontidão da coagulação5 plaquetária aumentaram, especialmente para aqueles que tinham os níveis mais altos de xilitol no sangue4.

“Este estudo mostra novamente a necessidade imediata de investigar álcoois de açúcar1 e adoçantes artificiais”, diz Hazen. “Isso não significa jogar fora a pasta de dente2 se ela contiver xilitol, mas devemos estar cientes de que o consumo de um produto contendo níveis elevados pode aumentar o risco de eventos relacionados a coágulos sanguíneos.”

Combinadas com as descobertas anteriores sobre o eritritol, as conclusões “destacam a necessidade de estudos sistemáticos sobre os efeitos dos adoçantes artificiais nos riscos cardiovasculares”, afirma Silvia Radenkovic, do Centro Médico Universitário de Utrecht, na Holanda.

No artigo publicado, os pesquisadores relatam a descoberta de que o xilitol é pró-trombótico20 e associado a risco cardiovascular.

Eles contextualizam que as vias e metabólitos21 que contribuem para os riscos residuais de doenças cardiovasculares8 não são claros. Os adoçantes de baixas calorias22 são substitutos do açúcar1 amplamente utilizados em alimentos processados23, com supostos benefícios à saúde6. Muitos adoçantes de baixas calorias22 são álcoois de açúcar1 que também são produzidos endogenamente24, embora em níveis mais de 1000 vezes inferiores aos observados após o consumo como substituto do açúcar1.

Estudos metabolômicos não direcionados foram realizados em amostras de plasma25 em jejum noturno em uma coorte26 de descoberta (n = 1.157) de indivíduos estáveis sequenciais submetidos a avaliações cardíacas diagnósticas eletivas27; análises subsequentes de diluição de isótopos estáveis por cromatografia líquida acoplada à espectrometria de massa em tandem (LC-MS/MS) foram realizadas em uma coorte26 de validação independente e não sobreposta (n = 2.149).

Estudos complementares isolados de plaquetas11 humanas, plasma25 rico em plaquetas11, sangue4 total e modelos animais examinaram o efeito do xilitol na capacidade de resposta plaquetária e na formação de trombos28 in vivo. Finalmente, foi realizado um estudo de intervenção para avaliar os efeitos do consumo de xilitol na função plaquetária em voluntários saudáveis (n = 10).

Em estudos metabolômicos iniciais não direcionados (coorte26 de descoberta), os níveis circulantes de um poliol provisoriamente designado como xilitol foram associados ao risco de evento cardiovascular adverso maior (ECAM) incidente29 (3 anos).

As análises subsequentes de diluição de isótopos estáveis por LC-MS/MS (coorte26 de validação) específicas para xilitol (e não seus isômeros estruturais) confirmaram sua associação com o risco incidente29 de ECAM (taxa de risco ajustada do terceiro vs. primeiro tercil [intervalo de confiança de 95%], 1,57 [1,12-2,21], P <0,01).

Estudos mecanísticos complementares mostraram múltiplos índices de reatividade plaquetária melhorados com xilitol e formação de trombose30 in vivo em níveis observados no plasma25 em jejum. Em estudos de intervenção, o consumo de uma bebida adoçada com xilitol aumentou acentuadamente os níveis plasmáticos e melhorou múltiplas medidas funcionais de resposta plaquetária em todos os indivíduos.

O estudo concluiu que o xilitol está associado ao risco incidente29 de ECAM. Além disso, o xilitol aumentou a reatividade plaquetária e o potencial de trombose30 in vivo. São necessários mais estudos que examinem a segurança cardiovascular do xilitol.

Leia sobre "Trombocitose31 ou plaquetose" e "Distúrbios da coagulação5 sanguínea".

 

Fontes:
European Heart Journal, publicação em 06 de junho de 2024.
New Scientist, notícia publicada em 06 de junho de 2024.

 

NEWS.MED.BR, 2024. Adoçante xilitol foi associado a maior risco de ataques cardíacos e AVCs. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1470317/adocante-xilitol-foi-associado-a-maior-risco-de-ataques-cardiacos-e-avcs.htm>. Acesso em: 18 jul. 2024.

Complementos

1 Açúcar: 1. Classe de carboidratos com sabor adocicado, incluindo glicose, frutose e sacarose. 2. Termo usado para se referir à glicemia sangüínea.
2 Dente: Uma das estruturas cônicas duras situadas nos alvéolos da maxila e mandíbula, utilizadas na mastigação e que auxiliam a articulação. O dente é uma estrutura dérmica composta de dentina e revestida por cemento na raiz anatômica e por esmalte na coroa anatômica. Consiste numa raiz mergulhada no alvéolo, um colo recoberto pela gengiva e uma coroa, a parte exposta. No centro encontra-se a cavidade bulbar preenchida com retículo de tecido conjuntivo contendo uma substância gelatinosa (polpa do dente) e vasos sangüíneos e nervos que penetram através de uma abertura ou aberturas no ápice da raiz. Os 20 dentes decíduos ou dentes primários surgem entre o sexto e o nono e o vigésimo quarto mês de vida; sofrem esfoliação e são substituídos pelos 32 dentes permanentes, que aparecem entre o quinto e sétimo e entre o décimo sétimo e vigésimo terceiro anos. Existem quatro tipos de dentes
3 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
4 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
5 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
6 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
7 Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sangüínea.
8 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
9 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
10 Células Sanguíneas: Células encontradas no líquido corpóreo circulando por toda parte do SISTEMA CARDIOVASCULAR.
11 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
12 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
13 Coagular: Promover a coagulação ou solidificação; perder a fluidez, transformar-se em massa ou sólido.
14 Vasos Sanguíneos: Qualquer vaso tubular que transporta o sangue (artérias, arteríolas, capilares, vênulas e veias).
15 Cérebro: Derivado do TELENCÉFALO, o cérebro é composto dos hemisférios direito e esquerdo. Cada hemisfério contém um córtex cerebral exterior e gânglios basais subcorticais. O cérebro inclui todas as partes dentro do crânio exceto MEDULA OBLONGA, PONTE e CEREBELO. As funções cerebrais incluem as atividades sensório-motora, emocional e intelectual.
16 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
17 Incubação: 1. Ato ou processo de chocar ovos, natural ou artificialmente. 2. Processo de laboratório, por meio do qual se cultivam microrganismos com o fim de estudar ou facilitar o seu desenvolvimento. 3. Em infectologia, é o período que vai da penetração do agente infeccioso no organismo até o aparecimento dos primeiros sinais da doença.
18 Veias: Vasos sangüíneos que levam o sangue ao coração.
19 Plasma Sanguíneo: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
20 Trombótico: Relativo à trombose, ou seja, à formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo).
21 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
22 Calorias: Dizemos que um alimento tem “x“ calorias, para nos referirmos à quantidade de energia que ele pode fornecer ao organismo, ou seja, à energia que será utilizada para o corpo realizar suas funções de respiração, digestão, prática de atividades físicas, etc.
23 Alimentos processados: São aqueles que passam por processamento industrial (larga escala) ou doméstico, contendo elementos químicos. Este processo de transformação, mesmo que caseiro, é percebido como menos saudável que o natural. Geralmente estes produtos sofrem junção com outro tipo de produto, como conservantes, ou alterações em sua temperatura. Exemplo: qualquer produto enlatado, engarrafado ou embutidos.
24 Endogenamente: De crescimento endógeno, algo que cresceu internamente.
25 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
26 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
27 Eletivas: 1. Relativo à eleição, escolha, preferência. 2. Em medicina, sujeito à opção por parte do médico ou do paciente. Por exemplo, uma cirurgia eletiva é indicada ao paciente, mas não é urgente. 3. Cujo preenchimento depende de eleição (diz-se de cargo). 4. Em bioquímica ou farmácia, aquilo que tende a se combinar com ou agir sobre determinada substância mais do que com ou sobre outra.
28 Trombos: Coágulo aderido à parede interna de uma veia ou artéria. Pode ocasionar a diminuição parcial ou total da luz do mesmo com sintomas de isquemia.
29 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
30 Trombose: Formação de trombos no interior de um vaso sanguíneo. Pode ser venosa ou arterial e produz diferentes sintomas segundo os territórios afetados. A trombose de uma artéria coronariana pode produzir um infarto do miocárdio.
31 Trombocitose: É o número excessivo de plaquetas no sangue. Contrário de trombocitopenia. Quando a quantidade de plaquetas no sangue é superior a 750.000/mm³ (e particularmente acima de 1.000.000/mm³) justifica-se investigação e intervenção médicas. Quanto à origem, pode ser reativa ou primária (provocada por doença mieloproliferativa). Apesar de freqüentemente ser assintomática (particularmente quando se origina como uma reação secundária), pode provocar uma predisposição para a trombose.
Gostou do artigo? Compartilhe!