Gostou do artigo? Compartilhe!

Aparelhos auditivos autoajustáveis de venda livre se mostraram tão benéficos quanto aparelhos ajustados por fonoaudiólogos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Aparelhos auditivos autoajustáveis de venda livre produzem resultados clínicos e autorrelatados semelhantes aos de aparelhos auditivos ajustados por fonoaudiólogos para adultos com perda auditiva leve a moderada, de acordo com um estudo publicado no JAMA Otolaryngology-Head & Neck Surgery.

No artigo os pesquisadores relatam que a perda auditiva é uma condição altamente prevalente, com inúmeras consequências debilitantes quando não tratada. No entanto, menos de 20% dos adultos norte-americanos com perda auditiva usam aparelhos auditivos.

Os aparelhos auditivos de venda livre foram disponibilizados em outubro de 2022 nos Estados Unidos para melhorar o acesso e o custo. No entanto, os estudos de eficácia clínica de aparelhos auditivos de venda livre disponíveis usando os dispositivos existentes no mercado são limitados.

Leia sobre "Aparelho auditivo ancorado no osso" e "Implante1 coclear ou ouvido biônico".

O objetivo deste estudo foi comparar a eficácia clínica de um aparelho auditivo autoajustável de venda livre com suporte remoto e um aparelho auditivo ajustado usando as melhores práticas de ajuste por fonoaudiólogos.

Este ensaio clínico randomizado2 de eficácia foi conduzido entre 14 de abril e 29 de agosto de 2022. Sessenta e oito adultos com autopercepção de perda auditiva leve a moderada foram recrutados e designados aleatoriamente para o grupo autoajustável ou para o grupo ajustado por fonoaudiólogos.

Após o ajuste bilateral do aparelho auditivo, os participantes primeiro completaram um teste de campo de 2 semanas, para levar para casa, sem qualquer apoio. O acesso ao ajuste fino para ambos os grupos só estava disponível após o teste de 2 semanas. Suporte e ajuste foram fornecidos remotamente para o grupo autoajustável mediante solicitação e pelo fonoaudiólogo para o grupo ajustado por fonoaudiólogo. Os participantes foram então reavaliados após um teste adicional de 4 semanas para levar para casa.

Um aparelho auditivo autoajustável de venda livre disponível comercialmente foi fornecido aos participantes do grupo autoajustável, que deveriam configurar os aparelhos auditivos usando o material de instrução fornecido comercialmente e o aplicativo de smartphone que o acompanha.

No grupo ajustado por fonoaudiólogos, os profissionais ajustaram o mesmo aparelho auditivo de acordo com o algoritmo não linear versão 2 do National Acoustics Laboratories para meta de ganho prescritivo usando verificação de ouvido real com instruções de uso do aparelho auditivo.

O desfecho primário foi o benefício autorrelatado do aparelho auditivo, medido usando o Perfil Abreviado de Benefícios do Aparelho Auditivo (APHAB). As medidas secundárias incluíram o Inventário Internacional de Resultados para Aparelhos Auditivos (IOI-HA) e o reconhecimento de fala no ruído medido usando um teste abreviado de fala no ruído e um teste de dígitos no ruído. Todas as medidas foram completadas no início do estudo e em 2 intervalos após o ajuste do aparelho auditivo (2 e 6 semanas).

Sessenta e quatro participantes foram incluídos na amostra analítica (33 homens [51,6%]; idade média [DP], 63,6 [14,1] anos), com números iguais de participantes (n = 32) randomizados em cada grupo. Os grupos não diferiram significativamente em idade (tamanho do efeito r = -0,2 [IC 95%, -0,3 a 0,2]) ou média de tons puros de 4 frequências (tamanho do efeito r = 0,2 [IC 95%, -0,1 a 0,4]).

Após o teste de campo de 2 semanas, o grupo autoajustável teve uma vantagem inicial em comparação com o grupo ajustado por fonoaudiólogo no APHAB (Cohen d = -0,5 [IC 95%, -1,0 a 0]) e no IOI-HA (tamanho do efeito r = 0,3 [IC 95%, 0,0-0,5]) autorrelatados, mas não no reconhecimento de fala no ruído. No final do ensaio de 6 semanas, não foram evidentes diferenças significativas entre os grupos em quaisquer medidas de resultados.

Neste estudo randomizado3 de eficácia clínica, aparelhos auditivos de venda livre autoajustáveis com suporte remoto produziram resultados 6 semanas após o ajuste comparáveis aos de aparelhos auditivos ajustados usando as melhores práticas por fonoaudiólogos. Essas descobertas sugerem que os aparelhos auditivos de venda livre autoajustáveis podem fornecer uma intervenção eficaz para perda auditiva leve a moderada.

Os autores divulgaram vínculos financeiros com o financiador, grupo HearX. O financiador forneceu dispositivos Lexie Lumen4 e suporte de software.

Veja também sobre "Surdez", "Deficiência auditiva", "Audiometria5" e "Fonoaudiologia - o que ela faz".

 

Fontes:
JAMA Otolaryngology-Head & Neck Surgery, publicação em 13 de abril de 2023.
Medical Xpress, notícia publicada em 23 de abril de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2024. Aparelhos auditivos autoajustáveis de venda livre se mostraram tão benéficos quanto aparelhos ajustados por fonoaudiólogos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1463292/aparelhos-auditivos-autoajustaveis-de-venda-livre-se-mostraram-tao-beneficos-quanto-aparelhos-ajustados-por-fonoaudiologos.htm>. Acesso em: 18 jul. 2024.

Complementos

1 Implante: 1. Em cirurgia e odontologia é o material retirado do próprio indivíduo, de outrem ou artificialmente elaborado que é inserido ou enxertado em uma estrutura orgânica, de modo a fazer parte integrante dela. 2. Na medicina, é qualquer material natural ou artificial inserido ou enxertado no organismo. 3. Em patologia, é uma célula ou fragmento de tecido, especialmente de tumores, que migra para outro local do organismo, com subsequente crescimento.
2 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
3 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
4 Lúmen: 1. Lúmen é um espaço interno ou cavidade dentro de uma estrutura com formato de tubo em um corpo, como as artérias e o intestino. 2. Na anatomia geral, é o mesmo que luz ou espaço. 3. Na óptica, é a unidade de fluxo luminoso do Sistema Internacional, definida como fluxo luminoso emitido por uma fonte puntiforme com intensidade uniforme de uma candela, contido num ângulo sólido de um esferorradiano.
5 Audiometria: Método utilizado para estudar a capacidade e acuidade auditivas perante diferentes freqüências sonoras.
Gostou do artigo? Compartilhe!