Gostou do artigo? Compartilhe!

Demência foi associada a flutuações nos lipídios do sangue ao longo do tempo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Flutuações nos níveis de colesterol1 total e de triglicerídeos em pessoas com 60 anos ou mais foram associadas a um maior risco de demência2 incidente3, incluindo a doença de Alzheimer4, mostrou um estudo longitudinal publicado no jornal científico Neurology.

Durante um acompanhamento médio de 12,9 anos, os participantes no quintil5 mais alto da variabilidade do colesterol1 total versus o quintil5 mais baixo tiveram um risco 19% maior de Alzheimer6 ou demências relacionadas incidentes7 (HR 1,19, IC 95% 1,04-1,36, P = 0,011), relataram Suzette Bielinski, PhD, da Mayo Clinic em Rochester, Minnesota, EUA, e co-autores.

Aqueles no quintil5 mais alto de variabilidade de triglicerídeos tiveram um risco 23% maior em comparação com o quintil5 mais baixo (HR 1,23, IC 95% 1,08-1,41, P = 0,002).

“Os exames de rotina para os níveis de colesterol1 e triglicerídeos são comumente feitos como parte do tratamento médico padrão”, disse Bielinski em um comunicado. “Flutuações nesses resultados ao longo do tempo podem potencialmente nos ajudar a identificar quem está em maior risco de demência2, nos ajudar a entender os mecanismos para o desenvolvimento da demência2 e, finalmente, determinar se o nivelamento dessas flutuações pode desempenhar um papel na redução do risco de demência”.

Leia sobre "Entendendo o colesterol1 do organismo", "Triglicérides8 elevados - que fazer" e "Dislipidemia - informações necessárias".

No artigo, os pesquisadores relatam que estratégias de prevenção para a doença de Alzheimer4 e demências relacionadas à doença de Alzheimer4 (DA/DRDAs) são urgentemente necessárias. A variabilidade lipídica, ou flutuações nos níveis de lipídios no sangue9 em diferentes pontos no tempo, não foi examinada extensivamente e pode contribuir para o risco de DA/DRDA.

Fatores de risco vascular10, incluindo hiperlipidemia11, foram associados à demência2, mas a maioria dos estudos os mediu em um único momento, observaram Bielinski e seus colegas. A pesquisa sobre a variação do colesterol1 ao longo do tempo não avaliou as relações entre demência2 e flutuações no colesterol1 de lipoproteína de alta densidade (HDL12-C), colesterol1 de lipoproteína de baixa densidade (LDL13-C) e triglicerídeos, acrescentaram.

Os painéis lipídicos fazem parte da triagem de rotina na prática clínica e estão rotineiramente disponíveis nos registros eletrônicos de saúde14. Assim, em uma grande coorte15 de base populacional geograficamente definida, investigou-se a variação de vários tipos de lipídios e sua associação com o desenvolvimento de DA/DRDA.

Todos os residentes morando no Condado de Olmsted, Minnesota, EUA, na data índice 01/01/2006, com idade ≥60 anos sem diagnóstico16 de DA/DRDA, foram identificados. Pessoas com ≥3 medições lipídicas, incluindo colesterol1 total, triglicerídeos, colesterol1 de lipoproteína de baixa densidade (LDL13-C) ou colesterol1 de lipoproteína de alta densidade (HDL12-C) nos 5 anos anteriores à data índice foram incluídos.

A variação lipídica foi definida como qualquer alteração nos níveis lipídicos do indivíduo ao longo do tempo, independentemente da direção, e foi medida usando a variabilidade independente da média (VIM).

As associações entre os quintis de variação lipídica e a incidência17 de DA/DRDA foram avaliadas por meio da regressão de riscos proporcionais de Cox. Os participantes foram acompanhados até 2018 para DA/DRDA incidente3.

A análise final incluiu 11.571 participantes (idade média de 71 anos; 54% do sexo feminino). O acompanhamento médio foi de 12,9 anos com 2.473 casos de DA/DRDA incidente3.

Após o ajuste para variáveis de confusão, incluindo sexo, raça, medições lipídicas basais, educação, IMC18 e tratamento para redução de lipídios, os participantes no quintil5 mais alto da variabilidade do colesterol1 total tiveram um risco 19% maior de DA/DRDA incidente3 e aqueles no quintil5 mais alto da variabilidade de triglicerídeos tiveram um risco 23% maior.

Nenhuma relação entre variações de LDL13-C e HDL12-C e risco de demência2 foi observada.

O estudo concluiu que, nessa grande coorte15 derivada de registros eletrônicos de saúde14, aqueles no quintil5 mais alto de variabilidade para os níveis de colesterol1 total e triglicerídeos tiveram um risco aumentado de doença de Alzheimer4 e demências relacionadas à doença de Alzheimer4 incidentes7.

Não está claro por que ou como os níveis flutuantes de colesterol1 total e triglicerídeos estão relacionados ao risco de demência2, observou Bielinski. Mais estudos para identificar os mecanismos por trás dessa associação são necessários.

Alterações no IMC18, que podem ocorrer à medida que a demência2 se desenvolve, podem ser um fator. É possível que variações em alguns níveis lipídicos sejam biomarcadores, e não fatores de risco, para demência2, observaram os pesquisadores.

“São necessários mais estudos que analisem as mudanças ao longo do tempo para essa relação, a fim de confirmar nossos resultados e, potencialmente, considerar estratégias preventivas”, disse Bielinski.

O estudo teve várias limitações, reconheceram os pesquisadores. As pessoas incluídas no estudo tinham mais comorbidades19 do que outras. Os subtipos de demência2 não eram conhecidos e os códigos do CID podem ter subdiagnosticado a demência2 incidente3. Além disso, a coorte15 era predominantemente branca e os achados podem não ser representativos de outras populações.

Veja também sobre "Demência2", "Mal de Alzheimer6" e "Distúrbio neurocognitivo".

 

Fontes:
Neurology, publicação em 05 de julho de 2023.
MedPage Today, notícia publicada em 05 de julho de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Demência foi associada a flutuações nos lipídios do sangue ao longo do tempo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1441805/demencia-foi-associada-a-flutuacoes-nos-lipidios-do-sangue-ao-longo-do-tempo.htm>. Acesso em: 24 set. 2023.

Complementos

1 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
2 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
3 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
4 Doença de Alzheimer: É uma doença progressiva, de causa e tratamentos ainda desconhecidos que acomete preferencialmente as pessoas idosas. É uma forma de demência. No início há pequenos esquecimentos, vistos pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. Os pacientes tornam-se confusos e por vezes agressivos, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmos quando colocados frente a um espelho. Tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão integral, até mesmo para as atividades elementares como alimentação, higiene, vestuário, etc..
5 Quintil: 1. Em estatística, diz-se de ou qualquer separatriz que divide a área de uma distribuição de frequência em cinco domínios de áreas iguais. O termo quintil também é utilizado, por vezes, para designar uma das quintas partes da amostra ordenada. 2. Em astronomia, é o aspecto de dois planetas distantes 72° entre si (distância angular correspondente a um quinto do Zodíaco). 3. Em matemática, é o mesmo que quíntico. A palavra quintil deriva do latim quintus, que significa quinto.
6 Alzheimer: Doença degenerativa crônica que produz uma deterioração insidiosa e progressiva das funções intelectuais superiores. É uma das causas mais freqüentes de demência. Geralmente começa a partir dos 50 anos de idade e tem incidência similar entre homens e mulheres.
7 Incidentes: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
8 Triglicérides: A principal maneira de armazenar os lipídeos no tecido adiposo é sob a forma de triglicérides. São também os tipos de lipídeos mais abundantes na alimentação. Podem ser definidos como compostos formados pela união de três ácidos graxos com glicerol. Os triglicérides sólidos em temperatura ambiente são conhecidos como gorduras, enquanto os líquidos são os óleos. As gorduras geralmente possuem uma alta proporção de ácidos graxos saturados de cadeia longa, já os óleos normalmente contêm mais ácidos graxos insaturados de cadeia curta.
9 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
10 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
11 Hiperlipidemia: Condição em que os níveis de gorduras e colesterol estão mais altos que o normal.
12 HDL: Abreviatura utilizada para denominar um tipo de proteína encarregada de transportar o colesterol sanguíneo, que se relaciona com menor risco cardiovascular. Também é conhecido como “Bom Colesterol”. Seus valores normais são de 35-50mg/dl.
13 LDL: Lipoproteína de baixa densidade, encarregada de transportar colesterol através do sangue. Devido à sua tendência em depositar o colesterol nas paredes arteriais e a produzir aterosclerose, tem sido denominada “mau colesterol“.
14 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
15 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
16 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
17 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
18 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
19 Comorbidades: Coexistência de transtornos ou doenças.
Gostou do artigo? Compartilhe!