Gostou do artigo? Compartilhe!

Canela pode ser útil para prevenir e reduzir o comprometimento da função cognitiva

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notcia

A canela, o conhecido tempero aromático que muitos de nós usamos para assar bolos e cozinhar receitas saborosas, é derivada da casca interna das árvores Cinnamomum. Estas são árvores perenes encontradas no Himalaia e outras áreas montanhosas, bem como em florestas tropicais e outras florestas no sul da China, Índia e sudeste da Ásia.

Além de seu sabor único, a canela pode ter outras propriedades benéficas para os seres humanos. Por exemplo, estudos sugerem que a canela tem propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e anticancerígenas, e também pode estimular o sistema imunológico1.

Alguns trabalhos ainda mostraram que seus compostos bioativos podem aprimorar a função cerebral, principalmente a memória e o aprendizado. No entanto, a validade dessas descobertas ainda não foi estabelecida com certeza.

Leia sobre "Os chás caseiros e suas propriedades".

Agora, uma equipe de pesquisadores da Birjand University of Medical Sciences, no Irã, revisou vários estudos anteriores que exploram os efeitos da canela nas funções cognitivas. A análise, descrita na revista científica Nutritional Neuroscience, destaca o valor potencial da canela para prevenir ou reduzir problemas de memória ou aprendizado.

No artigo, os pesquisadores contextualizam que estudos demonstraram que a canela e seus compostos bioativos podem influenciar a função cerebral e afetar as características comportamentais. O presente estudo, portanto, teve como objetivo revisar sistematicamente os estudos sobre a relação entre a canela e seus principais componentes na memória e no aprendizado.

Dois mil seiscentos e cinco estudos foram coletados de diferentes bancos de dados (PubMed, Scopus, Google Scholar e Web of Science) em setembro de 2021 e foram investigados para elegibilidade. Como resultado, 40 estudos atenderam aos critérios estabelecidos e foram incluídos na revisão sistemática.

Dentre os estudos incluídos, 33 eram estudos in vivo, cinco eram in vitro, e dois estudos clínicos também foram realizados.

O principal resultado da maioria dos estudos (n = 40) provou que a canela melhora significativamente a função cognitiva2 (memória e aprendizado).

Estudos in vivo mostraram que o uso de canela ou seus componentes, como eugenol, cinamaldeído e ácido cinâmico, pode alterar positivamente a função cognitiva2. Estudos in vitro também mostraram que a adição de canela ou cinamaldeído a um meio celular pode reduzir a agregação de tau, a β amiloide e aumentar a viabilidade celular. Para estudos clínicos, um estudo mostrou efeitos positivos e outro não relatou alterações na função cognitiva2.

A maioria dos estudos relatou que a canela pode ser útil para prevenir e reduzir o comprometimento da função cognitiva2. Ela pode ser usada como adjuvante no tratamento de doenças relacionadas. No entanto, mais estudos precisam ser feitos sobre esse assunto.

Veja também sobre "Envelhecimento cerebral normal ou patológico" e "Como melhorar a memória".

 

Fontes:
Nutritional Neuroscience, publicação em 18 de janeiro de 2023.
Medical Xpress, notícia publicada em 03 de fevereiro de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Canela pode ser útil para prevenir e reduzir o comprometimento da função cognitiva. Disponvel em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1434010/canela-pode-ser-util-para-prevenir-e-reduzir-o-comprometimento-da-funcao-cognitiva.htm>. Acesso em: 31 mai. 2023.

Complementos

1 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
2 Cognitiva: 1. Relativa ao conhecimento, à cognição. 2. Relativa ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
Gostou do artigo? Compartilhe!