Gostou do artigo? Compartilhe!

Esfregaços vaginais podem ser usados para prever a probabilidade de partos prematuros

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Muitas vezes não sabemos as causas do parto prematuro, mas a análise de substâncias metabólicas no microbioma1 vaginal pode ser uma forma de prever o risco de parto prematuro, apontou um estudo publicado na revista Nature Microbiology.

As novas descobertas indicam que testar o microbioma1 vaginal durante a gravidez2 pode ajudar os profissionais de saúde3 a identificar e gerenciar gestações de alto risco.

Tal Korem, da Universidade de Columbia em Nova York, e seus colegas avaliaram 232 amostras de esfregaço vaginal coletadas durante o segundo trimestre da gravidez2, 80 das quais vieram de gestações que terminaram em parto prematuro. Cerca de 75% das amostras vieram de pessoas que se identificaram como negras, um grupo desproporcionalmente afetado por partos prematuros nos Estados Unidos.

Estudos anteriores implicaram o microbioma1 vaginal no parto prematuro, mas, ao contrário do trabalho anterior, Korem e seus colegas identificaram tanto os micróbios quanto os metabólitos4 em cada amostra.

Saiba mais sobre "Parto prematuro" e "Prematuridade e os cuidados com os prematuros".

Metabólitos4 são pequenas substâncias produzidas quando alimentos, medicamentos ou outros produtos químicos se degradam. A equipe usou esses dados para treinar modelos de aprendizado de máquina para prever se uma gravidez2 terminaria em parto prematuro e descobriu que certos metabólitos4, mas não os micróbios, tinham a associação mais forte com parto prematuro.

Um modelo usando dados sobre metabólitos4 e raça teve 78% de chance de identificar corretamente se uma amostra era de uma pessoa cuja gravidez2 terminou em parto prematuro ou não, enquanto um modelo usando dados sobre micróbios, raça e outros fatores clínicos teve 59% de chance.

Notavelmente, muitos dos metabólitos4 associados ao nascimento prematuro não foram criados por micróbios ou humanos, diz Korem. “Eles vêm de uma fonte externa”, diz ele. Embora seja necessária uma análise mais aprofundada para identificar a fonte, alguns desses metabólitos4, como etil glicosídeo e EDTA, estão presentes em certos produtos cosméticos e higiênicos.

“Isso está longe de ser uma prova”, diz Korem, que observa que essas descobertas são apenas uma associação e não provam uma relação causal. Portanto, nenhuma recomendação pode ser feita para evitar certos produtos. “Isso é muito preliminar, mas estamos levantando uma bandeira e dizendo, olhe, há algo suspeito aqui que precisamos investigar”, diz ele.

“Este estudo, porque realmente houve um foco no recrutamento de mulheres negras, fez um trabalho muito bom em super-representar os sub-representados”, diz Christine Metz, do Feinstein Institutes for Medical Research, em Nova York. No entanto, como o microbioma1 pode mudar dependendo de vários fatores, como exposições ambientais, é possível que o modelo produza resultados diferentes para amostras coletadas da mesma pessoa em dias diferentes, diz ela.

No artigo, os pesquisadores relatam como o parto prematuro está associado a xenobióticos e pode ser previsto pelo metaboloma5 vaginal.

O parto prematuro espontâneo (PPe) é uma das principais causas de morbidade6 e mortalidade7 materna e neonatal, mas sua prevenção e estratificação de risco precoce são limitadas.

Investigações anteriores sugeriram que micróbios vaginais e metabólitos4 podem estar implicados no PPe. Neste estudo, pesquisadores realizaram metabolômica não direcionada em 232 amostras vaginais do segundo trimestre, 80 de gestações que terminaram prematuramente.

Foram encontradas múltiplas associações entre metabólitos4 vaginais e nascimento prematuro subsequente, e foi proposto que vários desses metabólitos4, incluindo dietanolamina e etil glicosídeo, são exógenos.

Observou-se associações entre os perfis de metaboloma5 e microbioma1 previamente obtidos usando sequenciamento de amplicon de RNA ribossomal 16S, incluindo correlações entre bactérias consideradas sub-ótimas, como Gardnerella vaginalis, e metabólitos4 enriquecidos em gestações a termo, como tiramina.

Investigou-se essas associações usando modelos metabólicos. Foram usados modelos de aprendizado de máquina para prever o risco de PPe a partir dos níveis de metabólitos4, semanas a meses antes do nascimento, com boa precisão (área sob a curva característica de operação do receptor de 0,78).

Esses modelos, que foi validado usando duas coortes externas, são mais precisos do que os modelos baseados em microbioma1 e co-variáveis maternas (área sob a curva característica de operação do receptor de 0,55-0,59).

Os resultados demonstram o potencial de metabólitos4 vaginais como biomarcadores precoces de parto prematuro espontâneo e destacam exposições exógenas como potenciais fatores de risco para prematuridade.

Leia sobre "Gravidez2 de risco: quando pode ocorrer".

 

Fontes:
Nature Microbiology, publicação em 12 de janeiro de 2023.
New Scientist, notícia publicada em 12 de janeiro de 2023.

 

NEWS.MED.BR, 2023. Esfregaços vaginais podem ser usados para prever a probabilidade de partos prematuros. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1432365/esfregacos-vaginais-podem-ser-usados-para-prever-a-probabilidade-de-partos-prematuros.htm>. Acesso em: 17 abr. 2024.

Complementos

1 Microbioma: Comunidade ecológica de microrganismos comensais, simbióticos e patogênicos que compartilham nosso espaço corporal. Microbioma humano é o conjunto de microrganismos que reside no corpo do Homo sapiens, mantendo uma relação simbiótica com o hospedeiro. O conceito vai além do termo microbiota, incluindo também a relação entre as células microbianas e as células e sistemas humanos, por meio de seus genomas, transcriptomas, proteomas e metabolomas.
2 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
3 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
4 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
5 Metaboloma: É o conjunto de todos os metabólitos em uma célula, fluido biológico, tecido ou organismo. Estas substâncias são consideradas os produtos finais dos processos celulares.
6 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
7 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
Gostou do artigo? Compartilhe!