Gostou do artigo? Compartilhe!

Pacientes com distúrbios autoimunes têm um risco aproximadamente 1,4 a 3,6 vezes maior de desenvolver doenças cardiovasculares

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Algumas doenças autoimunes1 estão associadas a um risco aumentado de doença cardiovascular. Nesse estudo, publicado no The Lancet, o objetivo foi determinar se isso é verdade ou não, e em que medida, para uma ampla gama de condições autoimunes1.

Neste estudo de base populacional, usou-se registros de cuidados primários e secundários vinculados do Clinical Practice Research Datalink (CPRD), dos conjuntos de dados GOLD e Aurum, para reunir uma coorte2 de indivíduos em todo o Reino Unido que foram diagnosticados recentemente com qualquer uma das 19 doenças autoimunes1 entre 1º de janeiro de 2000 e 31 de dezembro de 2017, com idade inferior a 80 anos no momento do diagnóstico3 e livre de doenças cardiovasculares4 até 12 meses após o diagnóstico3.

Também foi montada uma coorte2 pareada com até cinco indivíduos pareados por idade, sexo, nível socioeconômico, região e ano civil, que estavam livres de doenças autoimunes1 e livres de doenças cardiovasculares4 até 12 meses após a entrada no estudo.

Ambas as coortes foram acompanhadas até 30 de junho de 2019. Investigou-se a incidência5 de 12 desfechos cardiovasculares e usou-se modelos de riscos proporcionais de Cox para examinar diferenças em pacientes com e sem doenças autoimunes1.

Dos 22.009.375 indivíduos identificados nas bases de dados do CPRD, identificou-se 446.449 indivíduos elegíveis com doenças autoimunes1 e 2.102.830 controles pareados. Na coorte2 autoimune6, a idade média ao diagnóstico3 foi de 46,2 anos (DP 19,8); 271.410 (60,8%) eram mulheres e 175.039 (39,2%) eram homens.

68.413 (15,3%) pessoas com e 231.410 (11,0%) sem doenças autoimunes1 desenvolveram doença cardiovascular incidente7 durante uma mediana de 6,2 anos (IQR 2,7-10,8) de acompanhamento.

A taxa de incidência5 de doença cardiovascular foi de 23,3 eventos por 1.000 pacientes-ano entre pacientes com doença autoimune6 e 15,0 eventos por 1.000 pacientes-ano entre aqueles sem doença autoimune6 (hazard ratio [HR] 1,56 [IC 95% 1,52-1,59]).

Um risco aumentado de doença cardiovascular com doença autoimune6 foi observado para cada doença cardiovascular individual e aumentou progressivamente com o número de doenças autoimunes1 presentes (uma doença: HR 1,41 [IC 95% 1,37-1,45]; duas doenças: 2,63 [2,49-2,78]); três ou mais doenças: 3,79 [3,36-4,27]), e em grupos etários mais jovens (idade <45 anos: 2,33 [2,16-2,51]; 55-64 anos: 1,76 [1,67-1,85]; ≥75 anos: 1,30 [1,24-1,36]).

Entre as doenças autoimunes1, esclerose8 sistêmica (3,59 [2,81-4,59]), doença de Addison (2,83 [1,96-4,09]), lúpus9 eritematoso10 sistêmico11 (2,82 [2,38-3,33]) e diabetes tipo 112 (2,36 [2,21-2,52]) tiveram o maior risco cardiovascular global.

Esses achados justificam medidas de prevenção cardiovascular direcionadas, em particular em pacientes mais jovens com doenças autoimunes1, e mais pesquisas sobre os mecanismos fisiopatológicos subjacentes a essas complicações.

Saiba mais sobre "Doenças autoimunes1" e "Doenças cardiovasculares4".

 

Fonte: The Lancet, Vol. 400, Nº 10354, em 03 de setembro de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Pacientes com distúrbios autoimunes têm um risco aproximadamente 1,4 a 3,6 vezes maior de desenvolver doenças cardiovasculares. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1425085/pacientes-com-disturbios-autoimunes-tem-um-risco-aproximadamente-1-4-a-3-6-vezes-maior-de-desenvolver-doencas-cardiovasculares.htm>. Acesso em: 3 out. 2022.

Complementos

1 Autoimunes: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
2 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
3 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
4 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
5 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
6 Autoimune: 1. Relativo à autoimunidade (estado patológico de um organismo atingido por suas próprias defesas imunitárias). 2. Produzido por autoimunidade. 3. Autoalergia.
7 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
8 Esclerose: 1. Em geriatria e reumatologia, é o aumento patológico de tecido conjuntivo em um órgão, que ocorre em várias estruturas como nervos, pulmões etc., devido à inflamação crônica ou por razões desconhecidas. 2. Em anatomia botânica, é o enrijecimento das paredes celulares das plantas, por espessamento e/ou pela deposição de lignina. 3. Em fitopatologia, é o endurecimento anormal de um tecido vegetal, especialemnte da polpa dos frutos.
9 Lúpus: 1. É uma inflamação crônica da pele, caracterizada por ulcerações ou manchas, conforme o tipo específico. 2. Doença autoimune rara, mais frequente nas mulheres, provocada por um desequilíbrio do sistema imunológico. Nesta patologia, a defesa imunológica do indivíduo se vira contra os tecidos do próprio organismo como pele, articulações, fígado, coração, pulmão, rins e cérebro. Essas múltiplas formas de manifestação clínica, às vezes, podem confundir e retardar o diagnóstico. Lúpus exige tratamento cuidadoso por médicos especializados no assunto.
10 Eritematoso: Relativo a ou próprio de eritema. Que apresenta eritema. Eritema é uma vermelhidão da pele, devido à vasodilatação dos capilares cutâneos.
11 Sistêmico: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
12 Diabetes tipo 1: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada por deficiência na produção de insulina. Ocorre quando o próprio sistema imune do organismo produz anticorpos contra as células-beta produtoras de insulina, destruindo-as. O diabetes tipo 1 se desenvolve principalmente em crianças e jovens, mas pode ocorrer em adultos. Há tendência em apresentar cetoacidose diabética.
Gostou do artigo? Compartilhe!