Gostou do artigo? Compartilhe!

A maioria dos pacientes com AVC tem fatores de risco maiores não diagnosticados

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os resultados de um novo estudo estão sublinhando a necessidade de estratégias de prevenção e educação do paciente, com dados sugerindo que a maioria dos pacientes com acidente vascular cerebral1 isquêmico2 agudo3 tinha fatores de risco vasculares4 maiores não diagnosticados.

O estudo, apresentado no Congresso de 2022 da Academia Europeia de Neurologia, realizou uma análise de dados de mais de 4.300 pacientes com AVC de um registro suíço abrangendo mais de uma década e os resultados indicaram que 67,7% dos pacientes com AVC tinham pelo menos 1 ou mais fatores de risco maiores não diagnosticados, sendo os mais comuns dislipidemia e hipertensão5.

“Nossas descobertas ressaltam a importância de testar e tratar desequilíbrios de gordura6 no sangue7, como níveis elevados de colesterol8 e triglicerídeos, bem como a pressão arterial9, e identificar e tratar aqueles com fibrilação atrial e diabetes10 tipo 2”, disse o investigador principal André Rêgo, do Hospital Universitário de Lausanne na Suíça, em comunicado.

Leia sobre "Medicina preventiva" e "Doenças cardiovasculares11".

O resumo do estudo, publicado no European Journal of Neurology, descreve os fatores de risco maiores não diagnosticados em pacientes com acidente vascular cerebral1 isquêmico2 agudo3.

Os pesquisadores relatam que existem escassas informações clínicas sobre a frequência, perfil do paciente e mecanismos do AVC em pacientes com AVC isquêmico2 agudo3 com fatores de risco vasculares4 maiores não diagnosticados anteriormente.

Em uma análise retrospectiva do registro ASTRAL de 2003-2018, analisou-se variáveis demográficas, clínicas, terapêuticas e prognósticas. Foram realizadas análises de regressão logística univariada e multivariada.

Após excluir 763 (14,9%) pacientes por falta de consentimento e 3 por falta de informação, analisou-se 4.354 pacientes (idade mediana de 70 anos [IQR 15,2], 44,7% do sexo feminino).

Nos 1.125 (25,8%) pacientes com fatores de risco não diagnosticados, 30,3% (n = 341) não tinham fatores de risco e 67,7% (n = 784) tinham pelo menos um fator de risco12.

Os fatores de risco maiores recentemente detectados foram dislipidemia (61,4%), hipertensão5 (23,7%), fibrilação atrial (10,2%), diabetes mellitus13 (5,2%), fração de ejeção <35% (2,0%) e doença coronariana14 (1,0%).

A análise multivariada mostrou associação positiva com menor idade, etnia não caucasiana, forame15 oval patente, uso de anticoncepcional (em pacientes <55 anos) e tabagismo (para pacientes16 ≥55 anos). Também encontrou-se associações negativas com o uso de antiplaquetários antes do evento e IMC17 mais elevado.

Em relação aos mecanismos do AVC, a análise multivariada mostrou maior frequência de AVCs relacionados ao forame15 oval patente e menor frequência para AVCs de grandes vasos, de causas lacunares, cardíacas ou de múltiplas causas coexistentes. O resultado funcional em 12 meses e as recorrências18 cerebrovasculares não foram diferentes entre os grupos.

Nesta grande coorte19 de centro único de AVC isquêmico2 agudo3, 67,7% dos pacientes com fatores de risco vasculares4 maiores não diagnosticados foram recentemente diagnosticados com fatores de risco, sendo os mais comuns dislipidemia, hipertensão5 e fibrilação atrial.

Os pacientes do grupo de fatores de risco não diagnosticados eram mais jovens e com maior frequência de forame15 oval patente, além de uso de anticoncepcionais e de tabaco.

Saiba mais sobre "Acidente Vascular Cerebral1", "Forame15 oval patente" e "Dislipidemia".

 

Fontes:
European Journal of Neurology, Vol. 29, Sup. 1, em junho de 2022.
Practical Cardiology, notícia publicada em 28 de junho de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. A maioria dos pacientes com AVC tem fatores de risco maiores não diagnosticados. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1420055/a-maioria-dos-pacientes-com-avc-tem-fatores-de-risco-maiores-nao-diagnosticados.htm>. Acesso em: 26 nov. 2022.

Complementos

1 Acidente vascular cerebral: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
2 Isquêmico: Relativo à ou provocado pela isquemia, que é a diminuição ou suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição.
3 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
4 Vasculares: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
5 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
6 Gordura: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Os alimentos que fornecem gordura são: manteiga, margarina, óleos, nozes, carnes vermelhas, peixes, frango e alguns derivados do leite. O excesso de calorias é estocado no organismo na forma de gordura, fornecendo uma reserva de energia ao organismo.
7 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
8 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
9 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
10 Diabetes: Nome que designa um grupo de doenças caracterizadas por diurese excessiva. A mais frequente é o Diabetes mellitus, ainda que existam outras variantes (Diabetes insipidus) de doença nas quais o transtorno primário é a incapacidade dos rins de concentrar a urina.
11 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
12 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
13 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
14 Doença coronariana: Doença do coração causada por estreitamento das artérias que fornecem sangue ao coração. Se o fluxo é cortado, o resultado é um ataque cardíaco.
15 Forame: Mesmo que forâmen. Abertura, buraco, furo, cova. Na anatomia geral, é um orifício, abertura ou perfuração através de um osso ou estrutura membranosa.
16 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
17 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
18 Recorrências: 1. Retornos, repetições. 2. Em medicina, é o reaparecimento dos sintomas característicos de uma doença, após a sua completa remissão. 3. Em informática, é a repetição continuada da mesma operação ou grupo de operações. 4. Em psicologia, é a volta à memória.
19 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
Gostou do artigo? Compartilhe!