Gostou do artigo? Compartilhe!

Metilcobalamina em dose ultra-alta pode retardar o declínio funcional na esclerose lateral amiotrófica em estágio inicial

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A injeção intramuscular1 duas vezes por semana de 50 mg de metilcobalamina em dose ultra-alta retarda a progressão clínica na esclerose2 lateral amiotrófica em estágio inicial?

A eficácia dos medicamentos atualmente aprovados para a esclerose2 lateral amiotrófica (ELA) é restrita; há necessidade de desenvolver outros tratamentos. Estudos iniciais mostraram que a metilcobalamina em dose ultra-alta é um agente promissor.

O objetivo deste estudo, publicado no JAMA Neurology, foi validar a eficácia e segurança da metilcobalamina em dose ultra-alta para pacientes3 com ELA inscritos dentro de 1 ano após o início da doença.

Saiba mais sobre "Esclerose2 lateral amiotrófica" e "Doenças neuromusculares".

Este foi um ensaio clínico multicêntrico, controlado por placebo4, duplo-cego, randomizado5 de fase 3 com observação de 12 semanas e período randomizado5 de 16 semanas, realizado de 17 de outubro de 2017 a 30 de setembro de 2019.

Os pacientes foram recrutados de 25 centros de neurologia no Japão; aqueles com ELA diagnosticada dentro de 1 ano do início pelos critérios atualizados de Awaji foram inicialmente inscritos. Destes, os pacientes que preencheram os seguintes critérios após 12 semanas de observação foram elegíveis para randomização: diminuição de 1 ou 2 pontos na pontuação total da Escala de Avaliação Funcional da Esclerose2 Lateral Amiotrófica Revisada (ALSFRS-R), uma porcentagem da capacidade vital forçada6 maior que 60%, sem história de suporte respiratório não invasivo e traqueostomia7, e ser ambulatorial.

O número de participantes alvo foi de 64 em ambos os grupos de metilcobalamina e de placebo4. Os pacientes foram aleatoriamente designados por meio de um sistema eletrônico de resposta na web para metilcobalamina ou placebo4.

A intervenção do estudo foi injeção intramuscular1 de metilcobalamina (dose de 50 mg) ou placebo4 duas vezes por semana durante 16 semanas.

O desfecho primário foi a alteração na pontuação total da ALSFRS-R desde a linha de base até a semana 16 no conjunto de análise completo.

Um total de 130 pacientes (média [DP] idade, 61,0 [11,7] anos; 74 homens [56,9%]) foram aleatoriamente designados para metilcobalamina ou placebo4 (65 cada). Um total de 129 pacientes foram elegíveis para o conjunto de análise completo e 126 completaram o estágio duplo-cego. Destes, 124 pacientes prosseguiram para o período estendido de rótulo aberto.

A diferença média dos mínimos quadrados na pontuação total da ALSFRS-R na semana 16 do período randomizado5 foi 1,97 pontos maior com metilcobalamina do que com placebo4 (-2,66 vs -4,63; IC 95%, 0,44-3,50; P = ,01). A incidência8 de eventos adversos foi semelhante entre os 2 grupos.

Os resultados deste ensaio clínico randomizado5 mostraram que a metilcobalamina em dose ultra-alta foi eficaz em retardar o declínio funcional em pacientes com esclerose2 lateral amiotrófica em estágio inicial e com taxa de progressão moderada e foi segura para uso durante o período de tratamento de 16 semanas.

Leia também sobre "Doenças degenerativas9".

 

Fonte: JAMA Neurology, publicação em 09 de maio de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. Metilcobalamina em dose ultra-alta pode retardar o declínio funcional na esclerose lateral amiotrófica em estágio inicial. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1417250/metilcobalamina-em-dose-ultra-alta-pode-retardar-o-declinio-funcional-na-esclerose-lateral-amiotrofica-em-estagio-inicial.htm>. Acesso em: 13 ago. 2022.

Complementos

1 Injeção intramuscular: Injetar medicamento em forma líquida no músculo através do uso de uma agulha e seringa.
2 Esclerose: 1. Em geriatria e reumatologia, é o aumento patológico de tecido conjuntivo em um órgão, que ocorre em várias estruturas como nervos, pulmões etc., devido à inflamação crônica ou por razões desconhecidas. 2. Em anatomia botânica, é o enrijecimento das paredes celulares das plantas, por espessamento e/ou pela deposição de lignina. 3. Em fitopatologia, é o endurecimento anormal de um tecido vegetal, especialemnte da polpa dos frutos.
3 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
4 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
5 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
6 Capacidade vital forçada: Representa o volume máximo de ar exalado com esforço máximo, a partir do ponto de máxima inspiração.
7 Traqueostomia: Procedimento cirúrgico mediante o qual se produz um orifício na região anterior do pescoço, para permitir a entrada de ar na traquéia quando existe uma obstrução ao fluxo aéreo acima desta. Pode ser temporária (necessária apenas durante uma doença aguda e revertida posteriormente) ou permanente (como em caso de ablação da laringe devido a câncer laríngeo, no qual a traqueostomia passa a ser a via aérea definitiva).
8 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
9 Degenerativas: Relativas a ou que provocam degeneração.
Gostou do artigo? Compartilhe!