Gostou do artigo? Compartilhe!

História de infertilidade foi associada ao aumento do risco de insuficiência cardíaca em mulheres

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Um histórico de infertilidade1 pode aumentar o risco de uma mulher desenvolver insuficiência cardíaca2 em 16%, de acordo com uma nova análise de mais de 35.000 mulheres na pós-menopausa3, publicada no Journal of the American College of Cardiology.

Usando dados da Women's Health Initiative, uma equipe do Massachusetts General Hospital avaliou o risco de insuficiência cardíaca2 em uma coorte4 de 38.528 mulheres na pós-menopausa3 com base no histórico de infertilidade1 e descobriu que ter um histórico de infertilidade1 estava independentemente associado a um aumento de 16% no risco de insuficiência cardíaca2 futura em geral e risco 27% maior de insuficiência cardíaca2 com fração de ejeção preservada (ICFEp).

“Nós, como cientistas e médicos, estamos começando a reconhecer a importância do histórico reprodutivo de uma mulher para o risco futuro de doença cardíaca. A infertilidade1 é um dos muitos fatores de risco cardiovascular, como a hipertensão5, mas a história reprodutiva não é rotineiramente considerada como parte da avaliação de risco cardiovascular”, disse a investigadora principal Emily Lau, MD, cardiologista6 e diretora da Menopause, Hormones and Cardiovascular Clinic no Massachusetts General Hospital, em um comunicado. “Não podemos mudar o histórico de infertilidade1 de uma mulher, mas se soubermos que uma mulher teve um histórico de infertilidade1, podemos ser mais agressivos em aconselhá-la sobre outros fatores de risco modificáveis, incluindo pressão alta, colesterol7 alto, tabagismo e outros”.

Saiba mais sobre "Infertilidade1 feminina" e "Sinais8 de doenças cardíacas em mulheres".

No artigo, os pesquisadores contextualizam como há um crescente reconhecimento de que os fatores reprodutivos estão associados ao aumento do risco de doenças cardiovasculares9 futuras. A infertilidade1 tem sido menos estudada, embora dados emergentes apoiem sua associação com o aumento do risco de doença cardiovascular. Não se sabe se a infertilidade1 está associada ao risco futuro de insuficiência cardíaca2 (IC).

Este estudo procurou examinar o desenvolvimento de IC e dos subtipos IC em mulheres com e sem história de infertilidade1.

Acompanhou-se prospectivamente mulheres da Women's Health Initiative na pós-menopausa3 para o desenvolvimento de IC. A infertilidade1 foi autorrelatada no início do estudo. Modelos multivariáveis de Cox de causa específica foram usados para avaliar a associação de infertilidade1 com IC geral incidente10 com os subtipos de IC (insuficiência cardíaca2 com fração de ejeção preservada [ICFEp]: fração de ejeção do ventrículo esquerdo ≥50% vs insuficiência cardíaca2 com fração de ejeção reduzida [ICFEr]: fração de ejeção do ventrículo esquerdo <50%]).

Entre 38.528 mulheres na pós-menopausa3 (idade média: 63 ± 7 anos), 5.399 (14%) participantes relataram história de infertilidade1. Ao longo de um acompanhamento médio de 15 anos, 2.373 desenvolveram IC incidente10, incluindo 807 com ICFEr e 1.133 com ICFEp.

A infertilidade1 foi independentemente associada ao risco futuro de IC geral (HR: 1,16; IC 95%: 1,04-1,30; P = 0,006). Notavelmente, ao examinar os subtipos de IC, a infertilidade1 foi associada ao risco futuro de ICFEp (HR: 1,27; IC 95%: 1,09-1,48; P = 0,002), mas não de ICFEr (HR: 0,97; IC 95%: 0,80-1,18).

O estudo concluiu que a infertilidade1 foi significativamente associada à insuficiência cardíaca2 incidente10. Isso foi impulsionado pelo aumento do risco de ICFEp, mas não de ICFEr, e parecia independente dos fatores de risco cardiovascular tradicionais e outras condições relacionadas à infertilidade1.

Pesquisas futuras devem investigar os mecanismos subjacentes à associação entre infertilidade1 e ICFEp.

Leia sobre "Insuficiência cardíaca congestiva11", "Diferença entre infertilidade1 e esterilidade12" e "Menopausa3".

 

Fontes:
Journal of the American College of Cardiology, Vol. 79, Nº 16, em abril de 2022.
Practical Cardiology, notícia publicada em 19 de abril de 2022.

 

NEWS.MED.BR, 2022. História de infertilidade foi associada ao aumento do risco de insuficiência cardíaca em mulheres. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1415175/historia-de-infertilidade-foi-associada-ao-aumento-do-risco-de-insuficiencia-cardiaca-em-mulheres.htm>. Acesso em: 24 mai. 2022.

Complementos

1 Infertilidade: Capacidade diminuída ou ausente de gerar uma prole. O termo não implica a completa inabilidade para ter filhos e não deve ser confundido com esterilidade. Os clínicos introduziram elementos físicos e temporais na definição. Infertilidade é, portanto, freqüentemente diagnosticada quando, após um ano de relações sexuais não protegidas, não ocorre a concepção.
2 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
3 Menopausa: Estado fisiológico caracterizado pela interrupção dos ciclos menstruais normais, acompanhada de alterações hormonais em mulheres após os 45 anos.
4 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
5 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
6 Cardiologista: Médico especializado em tratar pessoas com problemas cardíacos.
7 Colesterol: Tipo de gordura produzida pelo fígado e encontrada no sangue, músculos, fígado e outros tecidos. O colesterol é usado pelo corpo para a produção de hormônios esteróides (testosterona, estrógeno, cortisol e progesterona). O excesso de colesterol pode causar depósito de gordura nos vasos sangüíneos. Seus componentes são: HDL-Colesterol: tem efeito protetor para as artérias, é considerado o bom colesterol. LDL-Colesterol: relacionado às doenças cardiovasculares, é o mau colesterol. VLDL-Colesterol: representa os triglicérides (um quinto destes).
8 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
9 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
10 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
11 Insuficiência Cardíaca Congestiva: É uma incapacidade do coração para efetuar as suas funções de forma adequada como conseqüência de enfermidades do próprio coração ou de outros órgãos. O músculo cardíaco vai diminuindo sua força para bombear o sangue para todo o organismo.
12 Esterilidade: Incapacidade para conceber (ficar grávida) por meios naturais. Suas causas podem ser masculinas, femininas ou do casal.
Gostou do artigo? Compartilhe!