Gostou do artigo? Compartilhe!

Antibióticos do grupo das fluoroquinolonas usados em pacientes em diálise foram associados à morte súbita cardíaca

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

As fluoroquinolonas foram associadas a um aumento modesto na morte súbita cardíaca (MSC) entre as pessoas em hemodiálise1, embora os benefícios desses antibióticos ainda possam superar seus riscos neste grupo, de acordo com um estudo.

As taxas de MSC dentro de 5 dias do início ambulatorial da antibioticoterapia foram 105,7 por 100.000 pessoas prescritas levofloxacina ou moxifloxacina, em comparação com 40,0 por 100.000 pessoas prescritas amoxicilina.

O número necessário para causar danos, estimado em quase 265.000 beneficiários do Medicare recebendo hemodiálise1 de manutenção, sugeriu que uma MSC adicional ocorreria para cada 2.273 episódios de tratamento respiratório com fluoroquinolona em pacientes com insuficiência renal2.

Os resultados foram consistentes quando o acompanhamento foi estendido para 7, 10 e 14 dias, relatou Jennifer Flythe, MD, da UNC School of Medicine em Chapel Hill, e colegas em estudo publicado no JAMA Cardiology.

Saiba mais sobre "Usos e abusos dos antibióticos", "Insuficiência renal2 crônica" e "Hemodiálise1 - como funciona".

“Nossos dados sugerem que reduzir a prescrição de fluoroquinolona respiratória pode ser uma estratégia acionável para mitigar3 o risco de MSC na população em hemodiálise1. No entanto, a redução do risco absoluto associado seria relativamente pequena”, disse Flythe e colegas.

“Dado que o tratamento direcionado a patógenos de infecções4 respiratórias é fundamental, os riscos associados ao subtratamento de uma infecção5 com um antibiótico à base de amoxicilina provavelmente superam os riscos cardíacos potenciais do tratamento com uma fluoroquinolona respiratória. Fluoroquinolonas respiratórias ainda devem ser prescritas para pacientes6 que recebem hemodiálise1 quando um antibiótico à base de amoxicilina seria abaixo do ideal”, eles recomendaram.

Antibióticos do grupo das fluoroquinolonas respiratórias são alguns dos medicamentos mais comuns com potencial de prolongamento do intervalo QT prescritos para pacientes6 com insuficiência renal2 dependente de hemodiálise1 – indivíduos com risco muito alto de morte súbita cardíaca (MSC). Até o momento, não houve estudos em grande escala, específicos para a população, avaliando a segurança cardíaca das fluoroquinolonas respiratórias na população em hemodiálise1.

O objetivo do estudo, portanto, foi investigar a segurança cardíaca das fluoroquinolonas respiratórias em indivíduos com insuficiência renal2 dependente de hemodiálise1.

Um estudo de coorte7 retrospectivo8 examinando9 a segurança usando um design de novo usuário com comparador ativo foi conduzido usando dados de reivindicações administrativas de um registro de insuficiência renal2 em todo os EUA de 1º de janeiro de 2007 a 31 de dezembro de 2016, incluindo 264.968 beneficiários do Medicare recebendo hemodiálise1 de manutenção no centro. A análise dos dados foi realizada de 4 de janeiro a 16 de agosto de 2021.

A exposição do estudo foi o tratamento com antibióticos à base de fluoroquinolona respiratória (levofloxacina ou moxifloxacina) vs amoxicilina (amoxicilina ou amoxicilina com ácido clavulânico).

O principal desfecho foi morte súbita cardíaca dentro de 5 dias do início ambulatorial de um antibiótico do estudo. Usou-se probabilidade inversa de modelos de sobrevivência10 ponderados por tratamento para estimar as razões de risco (HRs), diferenças de risco (RDs) e os ICs de 95% correspondentes. Morte devido a outra causa que não MSC foi tratada como um evento competitivo. Fratura11 foi considerada como um desfecho de controle negativo.

A coorte12 do estudo incluiu 264.968 pacientes únicos em hemodiálise1 no centro e 626.322 episódios de tratamento com antibióticos do estudo: 251.726 episódios de tratamento com fluoroquinolona respiratória (40,2%) e 374.596 episódios de tratamento à base de amoxicilina (59,8%).

Dos 264.968 pacientes, 135.236 (51,0%) eram homens, e a idade média (DP) foi de 61 (15) anos.

Tratamento com fluoroquinolona respiratória vs antibióticos à base de amoxicilina foi associado a um maior risco relativo e absoluto de MSC em 5 dias (HR ponderada, 1,95; IC de 95%, 1,57-2,41; e RD ponderada por 100.000 episódios de tratamento, 44,0; IC de 95%, 31,0-59,2).

Tratamento com fluoroquinolona respiratória versus antibióticos à base de amoxicilina não foi associado ao risco de fratura11 em 5 dias.

Neste estudo, em comparação com o tratamento com antibióticos à base de amoxicilina, o tratamento com fluoroquinolona respiratória foi associado a um maior risco de morte súbita cardíaca em curto prazo entre os pacientes com insuficiência renal2 dependente de hemodiálise1.

Esse achado sugere que as decisões entre o uso de fluoroquinolonas respiratórias e antibióticos à base de amoxicilina devem ser individualizadas, com os prescritores considerando tanto os benefícios clínicos quanto os potenciais riscos cardíacos.

Leia sobre "O que é morte súbita" e "Meios de cultura e antibiograma".

 

Fontes:
JAMA Cardiology, publicação em 20 de outubro de 2021. (doi:10.1001/jamacardio.2021.4234)
MedPage Today, notícia publicada em 20 de outubro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Antibióticos do grupo das fluoroquinolonas usados em pacientes em diálise foram associados à morte súbita cardíaca. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1405015/antibioticos-do-grupo-das-fluoroquinolonas-usados-em-pacientes-em-dialise-foram-associados-a-morte-subita-cardiaca.htm>. Acesso em: 27 nov. 2021.

Complementos

1 Hemodiálise: Tipo de diálise que vai promover a retirada das substâncias tóxicas, água e sais minerais do organismo através da passagem do sangue por um filtro. A hemodiálise, em geral, é realizada 3 vezes por semana, em sessões com duração média de 3 a 4 horas, com o auxílio de uma máquina, dentro de clínicas especializadas neste tratamento. Para que o sangue passe pela máquina, é necessária a colocação de um catéter ou a confecção de uma fístula, que é um procedimento realizado mais comumente nas veias do braço, para permitir que estas fiquem mais calibrosas e, desta forma, forneçam o fluxo de sangue adequado para ser filtrado.
2 Insuficiência renal: Condição crônica na qual o corpo retém líquido e excretas pois os rins não são mais capazes de trabalhar apropriadamente. Uma pessoa com insuficiência renal necessita de diálise ou transplante renal.
3 Mitigar: Tornar mais brando, mais suave, menos intenso (geralmente referindo-se à dor ou ao sofrimento); aliviar, suavizar, aplacar.
4 Infecções: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
5 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
6 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
7 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
8 Retrospectivo: Relativo a fatos passados, que se volta para o passado.
9 Examinando: 1. O que será ou está sendo examinado. 2. Candidato que se apresenta para ser examinado com o fim de obter grau, licença, etc., caso seja aprovado no exame.
10 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
11 Fratura: Solução de continuidade de um osso. Em geral é produzida por um traumatismo, mesmo que possa ser produzida na ausência do mesmo (fratura patológica). Produz como sintomas dor, mobilidade anormal e ruídos (crepitação) na região afetada.
12 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
Gostou do artigo? Compartilhe!