Gostou do artigo? Compartilhe!

Garcinia cambogia, um suplemento à base de ervas para emagrecer, foi associado a graves danos ao fígado

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Suplementos dietéticos contendo extrato de Garcinia cambogia (G. cambogia) levaram a lesões1 hepáticas2 que eram clinicamente indistinguíveis das lesões1 causadas por chá verde, revelou uma análise da Drug-Induced Liver Injury Network.

Entre mais de 1.400 casos documentados de lesão3 hepática4 induzida por drogas de 2004 a 2018, houve 22 casos relacionados a suplementos de G. cambogia com ou sem chá verde; destes, 91% necessitaram de hospitalização por lesão3 hepática4 hepatocelular com icterícia5, um paciente precisou de um transplante e dois morreram, relatou Victor Navarro, MD, da Einstein Healthcare Network na Filadélfia, e colegas em publicação no jornal científico Clinical Gastroenterology and Hepatology.

A Garcinia cambogia, sozinha ou com chá verde, é comumente promovida para perda de peso. Casos esporádicos de insuficiência hepática6 por G. cambogia foram relatados, mas seu papel na lesão3 hepática4 é controverso.

Saiba mais sobre "Insuficiência hepática6", "Suplementos alimentares" e "O perigo dos remédios para emagrecer".

Entre 1.418 pacientes inscritos na Drug-Induced Liver Injury Network (DILIN) de 2004 a 2018, foram identificados 22 casos (julgados com alta confiança) de lesão3 hepática4 por G. cambogia, seja sozinha (n = 5) ou em combinação com chá verde (n = 16) ou Ashwagandha (n = 1). Os grupos de controle consistiram em 57 pacientes com lesão3 hepática4 por causa de suplementos fitoterápicos e dietéticos (SFD) contendo chá verde sem G. cambogia e 103 pacientes de outros SFD.

Os pacientes que tomaram G. cambogia tinham entre 17 e 54 anos, com lesão3 hepática4 ocorrendo 13-223 dias (mediana = 51) após começar a tomar o suplemento. Um paciente morreu, um necessitou de transplante de fígado7 e 91% foram hospitalizados. A lesão3 hepática4 era hepatocelular com icterícia5.

Embora os valores de pico de aminotransferases tenham sido significativamente maiores (2001 ± 1386 U/L) no grupo G. cambogia (P <0,018), o tempo médio para melhora na bilirrubina8 total foi significativamente menor em comparação com os grupos de controle (10 vs 17 e 13 dias; P = 0,03).

A presença do alelo9 HLA-B∗35:01 foi significativamente maior nos pacientes com lesão3 por SFD contendo G. cambogia (55%) em comparação com pacientes com lesão3 por causa de outros SFD (19%) (P = 0,002) e aqueles com lesão3 hepática4 aguda causada por drogas convencionais (12%) (P = 2,55 × 10–6).

Os pesquisadores concluíram que a lesão3 hepática4 causada por Garcinia cambogia e chá verde é clinicamente indistinguível. A possível associação com o alelo9 HLA-B∗35:01 sugere um mecanismo de lesão3 imunomediado.

“Embora a frequência do alelo9 tenha sido menor do que o relatado recentemente com lesão3 hepática4 associada ao chá verde (72-90% dependendo da pontuação de causalidade), o padrão hepatocelular de elevações enzimáticas e curso moderado a grave com icterícia5 aumenta a possibilidade de que a lesão3 hepática4 por Garcinia cambogia seja imunomediada e ocorra em indivíduos predispostos”, escreveram Navarro e co-autores. “No entanto, esta associação precisa ser confirmada.”

“Antes de iniciar qualquer suplemento, encorajo meus pacientes a discutir o produto comigo para que possamos discutir a segurança e possivelmente considerar estratégias alternativas”, disse Michelle T. Long, médica, do Boston Medical Center, que não esteve envolvida neste estudo.

“Alguns indivíduos experimentaram lesão3 hepática4 12 meses após tomar Garcinia cambogia ou suplemento contendo HCA (ácido hidroxicítrico), o que destaca a necessidade dos pacientes manterem um controle cuidadoso de todos os produtos que usam, mesmo por um longo período de tempo”, disse ela ao MedPage Today.

G. cambogia foi usado principalmente por mulheres jovens, principalmente brancas e hispânicas, que estavam com sobrepeso10, mas não obesas”, disseram os autores. “A menos que o clínico persiga ativamente as perguntas durante a obtenção da história clínica, G. cambogia como o agente implicado para lesão3 hepática4 pode ser facilmente esquecido. Esta situação enfatiza a necessidade dos médicos indagarem sobre o uso de suplementos fitoterápicos e dietéticos em todos os casos de hepatite11 aguda.”

Michelle T. Long acrescentou que os médicos também devem perguntar aos pacientes sobre os suplementos que eles não estão mais tomando se houver suspeita de lesão3 hepática4 induzida por drogas.

Leia sobre "Fitoterápicos - o que são", "Informações importantes sobre medicamentos", "Hepatite fulminante12" e "Como é o transplante de fígado7".

 

Fontes:
Clinical Gastroenterology and Hepatology, publicação em 14 de agosto de 2021.
MedPage Today, notícia publicada em 17 de agosto de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Garcinia cambogia, um suplemento à base de ervas para emagrecer, foi associado a graves danos ao fígado. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1400995/garcinia-cambogia-um-suplemento-a-base-de-ervas-para-emagrecer-foi-associado-a-graves-danos-ao-figado.htm>. Acesso em: 21 out. 2021.

Complementos

1 Lesões: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
2 Hepáticas: Relativas a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
3 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
4 Hepática: Relativa a ou que forma, constitui ou faz parte do fígado.
5 Icterícia: Coloração amarelada da pele e mucosas devido a uma acumulação de bilirrubina no organismo. Existem dois tipos de icterícia que têm etiologias e sintomas distintos: icterícia por acumulação de bilirrubina conjugada ou direta e icterícia por acumulação de bilirrubina não conjugada ou indireta.
6 Insuficiência hepática: Deterioração grave da função hepática. Pode ser decorrente de hepatite viral, cirrose e hepatopatia alcoólica (lesão hepática devido ao consumo de álcool) ou medicamentosa (causada por medicamentos como, por exemplo, o acetaminofeno). Para que uma insuficiência hepática ocorra, deve haver uma lesão de grande porção do fígado.
7 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
8 Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (por exemplo, cálculos biliares, hepatite).
9 Alelo: 1. Que ocupa os mesmos loci (locais) nos cromossomos (diz-se de gene). 2. Em genética, é cada uma das formas que um gene pode apresentar e que determina características diferentes.
10 Sobrepeso: Peso acima do normal, índice de massa corporal entre 25 e 29,9.
11 Hepatite: Inflamação do fígado, caracterizada por coloração amarela da pele e mucosas (icterícia), dor na região superior direita do abdome, cansaço generalizado, aumento do tamanho do fígado, etc. Pode ser produzida por múltiplas causas como infecções virais, toxicidade por drogas, doenças imunológicas, etc.
12 Hepatite fulminante: Alteração aguda e grave da função hepatocelular secundária à toxicidade hepatocitária ou colestase. Refere-se a insuficiência hepática aguda complicada por encefalopatia. Tem um início rápido e segue um curso curto e severo. Pode ser desencadeada por causas tóxicas e não tóxicas, como o uso de acetaminofeno, metotrexate, alopurinol, dentre outros medicamentos.
Gostou do artigo? Compartilhe!