Gostou do artigo? Compartilhe!

Aninhar o bebê pele a pele logo após o nascimento, com o “Método Mãe Canguru”, aumenta as taxas de sobrevivência de bebês com baixo peso ao nascer

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O “método mãe canguru”, um tipo de cuidado com o recém-nascido que envolve o contato pele1 a pele1 com a mãe ou outro cuidador, é conhecido por reduzir o risco de morte para bebês2 nascidos prematuramente ou com baixo peso ao nascer (<2,0 kg).

Mas esses cuidados, que também envolvem alimentar os bebês2 exclusivamente com leite materno, geralmente são iniciados depois que os bebês2 mostram sinais3 de condição estável, como a capacidade de respirar por conta própria. Porém, a maior parte da mortalidade4 ocorre antes que a condição desses bebês2 se estabilize.

A segurança e a eficácia do método mãe canguru iniciado logo após o nascimento entre bebês2 com baixo peso ao nascer são incertas.

Saiba mais sobre "Prematuridade e os cuidados necessários" e "Baixo peso ao nascer: causas e consequências".

Agora, um novo estudo publicado no The New England Journal of Medicine demonstrou que bebês2 vulneráveis ​​têm uma chance melhor de sobrevivência5 se começarem a receber os cuidados do método mãe canguru – que exige que os bebês2 passem o máximo de tempo possível em contato direto com a pele1 de um cuidador – imediatamente após o nascimento.

Rajiv Bahl e Suman Rao da Organização Mundial da Saúde6 em Genebra, Suíça, e seus colegas designaram aleatoriamente mais de 3.200 recém-nascidos com peso entre 1 e 1,8 kg para iniciar o método canguru logo após o nascimento ou assim que sua condição tivesse se estabilizado.

A equipe descobriu que iniciar o método mãe canguru imediatamente após o nascimento melhorou a chance de sobrevivência5 dos bebês2 em 25% – um benefício tão claro que os monitores do estudo interromperam o estudo precocemente.

Os pesquisadores conduziram um ensaio clínico randomizado7 e controlado em cinco hospitais em Gana, Índia, Malawi, Nigéria e Tanzânia envolvendo bebês2 com peso ao nascer entre 1,0 e 1,799 kg que foram designados para receber cuidados com o método mãe canguru imediato (intervenção) ou cuidados convencionais em uma incubadora ou um aquecedor radiante até que sua condição se estabilizasse e o método mãe canguru depois disso (controle).

Os desfechos primários foram óbito8 no período neonatal (primeiros 28 dias de vida) e nas primeiras 72 horas de vida.

Um total de 3.211 bebês2 e suas mães foram aleatoriamente designados para o grupo de intervenção (1.609 bebês2 com suas mães) ou o grupo de controle (1.602 bebês2 com suas mães). A duração média diária do contato pele1 a pele1 na unidade de terapia intensiva9 neonatal foi de 16,9 horas (intervalo interquartil, 13,0 a 19,7) no grupo de intervenção e 1,5 horas (intervalo interquartil, 0,3 a 3,3) no grupo controle.

A morte neonatal ocorreu nos primeiros 28 dias em 191 bebês2 no grupo de intervenção (12,0%) e em 249 bebês2 no grupo controle (15,7%) (risco relativo de morte, 0,75; intervalo de confiança [IC] de 95%, 0,64 a 0,89 ; P = 0,001); morte neonatal nas primeiras 72 horas de vida ocorreu em 74 bebês2 no grupo de intervenção (4,6%) e em 92 bebês2 no grupo de controle (5,8%) (risco relativo de morte, 0,77; IC 95%, 0,58 a 1,04; P = 0,09).

O estudo foi interrompido precocemente por recomendação do comitê de monitoramento de dados e segurança devido ao achado de mortalidade4 reduzida entre bebês2 que receberam cuidados com o método mãe canguru imediato.

Assim, o estudo concluiu que entre os bebês2 com peso ao nascer entre 1,0 e 1,799 kg, aqueles que receberam o método mãe canguru imediato tiveram mortalidade4 mais baixa em 28 dias do que aqueles que receberam cuidados convencionais com método mãe canguru iniciado após a estabilização; a diferença entre os grupos favorecendo o método mãe canguru imediato em 72 horas não foi significativa.

Leia sobre "Mortalidade infantil10 no Brasil", "Sofrimento fetal ou hipóxia11 neonatal" e "O que é parto prematuro".

 

Fontes:
The New England Journal of Medicine, publicação em 27 de maio de 2021.
Nature, notícia publicada em 26 de maio de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Aninhar o bebê pele a pele logo após o nascimento, com o “Método Mãe Canguru”, aumenta as taxas de sobrevivência de bebês com baixo peso ao nascer. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1396425/aninhar-o-bebe-pele-a-pele-logo-apos-o-nascimento-com-o-metodo-mae-canguru-aumenta-as-taxas-de-sobrevivencia-de-bebes-com-baixo-peso-ao-nascer.htm>. Acesso em: 4 dez. 2021.

Complementos

1 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
2 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
3 Sinais: São alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida.
4 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
5 Sobrevivência: 1. Ato ou efeito de sobreviver, de continuar a viver ou a existir. 2. Característica, condição ou virtude daquele ou daquilo que subsiste a um outro. Condição ou qualidade de quem ainda vive após a morte de outra pessoa. 3. Sequência ininterrupta de algo; o que subsiste de (alguma coisa remota no tempo); continuidade, persistência, duração.
6 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
7 Randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle – o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
8 Óbito: Morte de pessoa; passamento, falecimento.
9 Terapia intensiva: Tratamento para diabetes no qual os níveis de glicose são mantidos o mais próximo do normal possível através de injeções freqüentes ou uso de bomba de insulina, planejamento das refeições, ajuste em medicamentos hipoglicemiantes e exercícios baseados nos resultados de testes de glicose além de contatos freqüentes entre o diabético e o profissional de saúde.
10 Mortalidade Infantil: A taxa de mortalidade infantil é o quociente entre os óbitos de menores de um ano ocorridos em uma determinada unidade geográfica e período de tempo, e os nascidos vivos da mesma unidade nesse período, segundo a fórmula: Taxa de Mortalidade Infantil = (Óbitos de Menores de 1 ano / Nascidos Vivos) x 1.000
11 Hipóxia: Estado de baixo teor de oxigênio nos tecidos orgânicos que pode ocorrer por diversos fatores, tais como mudança repentina para um ambiente com ar rarefeito (locais de grande altitude) ou por uma alteração em qualquer mecanismo de transporte de oxigênio, desde as vias respiratórias superiores até os tecidos orgânicos.
Gostou do artigo? Compartilhe!