Gostou do artigo? Compartilhe!

Pacientes com psoríase podem ter até 50% mais chances de desenvolver doenças cardiovasculares, com risco aumentado de acordo com a gravidade da condição na pele

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Em artigo de revisão publicado no Journal of the American College of Cardiology, Michael S. Garshick, MD, MS, et al., discutem a identificação e gestão do risco cardiovascular em pacientes com psoríase1, as áreas de incerteza e as direções futuras para pesquisas e terapias.

Especificamente, o artigo de revisão examina a ligação proposta entre psoríase1 e aterosclerose2; como os fatores de risco cardiovascular tradicionais contribuem para a doença cardiovascular em indivíduos com psoríase1; triagem de risco cardiovascular e biomarcadores de risco cardiovascular; artrite3 psoriática; tratamento de fatores de risco cardiovascular modificáveis ​​em pacientes com psoríase1; e a inflamação4 como alvo na psoríase1.

De acordo com o artigo, a psoríase1 é uma doença inflamatória crônica da pele5, e a resposta imune tem sido associada à inflamação4 vascular6 e ao desenvolvimento de aterosclerose2. O artigo observa que a maioria das diretrizes da sociedade médica, incluindo as do American College of Cardiology, recomendam que o diagnóstico7 de psoríase1 seja incorporado à previsão de risco cardiovascular e às estratégias de prevenção.

Leia sobre "Psoríase1 - ela não é contagiosa8", "Doenças cardiovasculares9" e "Aterosclerose2".

De acordo com os autores, “a maior parte dos dados epidemiológicos e clínico-translacionais sugerem uma forte contribuição da psoríase” para as doenças cardiovasculares9. Eles sugerem uma “abordagem agressiva tanto para o estilo de vida quanto para a terapia medicamentosa”, junto com o aumento da conscientização do paciente e do médico sobre a ligação entre a psoríase1 e a doença cardiovascular, e a realização dos ensaios clínicos10 randomizados que investiguem o benefício das estratégias de prevenção cardiovascular, incluindo o foco na inflamação4 para reduzir o risco cardiovascular em pacientes com psoríase1.

A psoríase1 é uma doença inflamatória crônica da pele5 que afeta de 2% a 3% da população dos Estados Unidos. A resposta imune na psoríase1 inclui ativação intensificada de células11 T e células11 mieloides, ativação de plaquetas12 e regulação positiva de interferons, fator de necrose13 tumoral-α e interleucinas (ILs) IL-23, IL-17 e IL-6, que estão ligados à inflamação4 vascular6 e ao desenvolvimento da aterosclerose2.

Pacientes com psoríase1 têm até 50% mais probabilidade de desenvolver doença cardiovascular (CV), e esse risco CV aumenta com a gravidade da condição na pele5. As principais diretrizes da sociedade de cardiologia agora defendem a incorporação de um diagnóstico7 de psoríase1 na previsão de risco cardiovascular e nas estratégias de prevenção.

Embora os dados de registro sugiram que o tratamento direcionado à doença de pele5 da psoríase1 reduz a inflamação4 vascular6 e a carga da placa14 coronariana, e pode reduzir o risco CV, os estudos randomizados controlados com placebo15 são inconclusivos até o momento. Mais estudos são necessários para definir as metas tradicionais dos fatores de risco CV, o papel ideal da terapia antiplaquetária e hipolipemiante e terapias direcionadas à psoríase1 no risco CV.

Destaques do estudo

  • Pacientes com psoríase1 apresentam risco aumentado de doença cardiovascular.
  • Acredita-se que a inflamação4 cutânea16 e sistêmica associada a um histórico de fatores de risco cardiovascular tradicionais aumentem o risco cardiovascular na psoríase1.
  • Ensaios clínicos10 randomizados são necessários para determinar se o tratamento da psoríase1 reduz o risco de desenvolver doenças cardiovasculares9.
Veja também sobre "Artrite3: por que acontece".

 

Fontes:
Journal of the American College of Cardiology, Vol. 77, Nº 13, em abril de 2021.
American College of Cardiiology, notícia publicada em 29 de março de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Pacientes com psoríase podem ter até 50% mais chances de desenvolver doenças cardiovasculares, com risco aumentado de acordo com a gravidade da condição na pele. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1391580/pacientes-com-psoriase-podem-ter-ate-50-mais-chances-de-desenvolver-doencas-cardiovasculares-com-risco-aumentado-de-acordo-com-a-gravidade-da-condicao-na-pele.htm>. Acesso em: 15 mai. 2021.

Complementos

1 Psoríase: Doença imunológica caracterizada por lesões avermelhadas com descamação aumentada da pele dos cotovelos, joelhos, couro cabeludo e costas juntamente com alterações das unhas (unhas em dedal). Evolui através do tempo com melhoras e pioras, podendo afetar também diferentes articulações.
2 Aterosclerose: Tipo de arteriosclerose caracterizado pela formação de placas de ateroma sobre a parede das artérias.
3 Artrite: Inflamação de uma articulação, caracterizada por dor, aumento da temperatura, dificuldade de movimentação, inchaço e vermelhidão da área afetada.
4 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
5 Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.
6 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
7 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
8 Contagiosa: 1. Que é transmitida por contato ou contágio. 2. Que constitui veículo para o contágio. 3. Que se transmite pela intensidade, pela influência, etc.; contagiante.
9 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
10 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
11 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
12 Plaquetas: Elemento do sangue (não é uma célula porque não apresenta núcleo) produzido na medula óssea, cuja principal função é participar da coagulação do sangue através da formação de conglomerados que tamponam o escape do sangue por uma lesão em um vaso sangüíneo.
13 Necrose: Conjunto de processos irreversíveis através dos quais se produz a degeneração celular seguida de morte da célula.
14 Placa: 1. Lesão achatada, semelhante à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
15 Placebo: Preparação neutra quanto a efeitos farmacológicos, ministrada em substituição a um medicamento, com a finalidade de suscitar ou controlar as reações, geralmente de natureza psicológica, que acompanham tal procedimento terapêutico.
16 Cutânea: Que diz respeito à pele, à cútis.
Gostou do artigo? Compartilhe!