Gostou do artigo? Compartilhe!

Transtornos hipertensivos da gravidez foram associados a riscos moderadamente aumentados de transtornos do espectro autista e TDAH na prole

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os transtornos hipertensivos da gravidez1 (THG) têm sido associados a piores resultados de desenvolvimento neurológico na prole, mas o papel da confusão familiar nessas associações não é claro.

O objetivo desse estudo, publicado pelo JAMA Pediatrics, foi investigar associações de THG maternos com riscos na prole de transtornos do espectro autista (TEAs), transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) e deficiência intelectual (DI), bem como a variação no desempenho cognitivo2 geral na prole.

Este estudo sueco usou dados de uma coorte3 de nascimentos dividida em 1.085.024 indivíduos nascidos entre 1987 e 1996 e acompanhados até 31 de dezembro de 2014, e 285.901 homens nascidos entre 1982 e 1992 que compareceram a avaliações para recrutamento militar, incluindo um teste de função cognitiva4. A análise estatística foi realizada de 1º de abril de 2019 a 1º de junho de 2020.

Leia sobre "Hipertensão5 da gravidez1", "Desenvolvimento infantil" e "Autismo: como reconhecer os sintomas6 precoces".

A exposição do estudo foi diagnósticos de THG, fornecidos pelo Registro Médico de Nascimento. Os diagnósticos de TEAs, TDAH e DI foram extraídos do Registro Nacional de Pacientes. A função cognitiva4 foi avaliada por meio de testes escritos e resumida como um escore único de 9 pontos. Foram realizadas análises de coorte3 inteira e entre irmãos; esta última considerou fatores de confusão familiares não medidos compartilhados pelos irmãos.

O estudo incluiu 1.085.024 indivíduos (556.912 participantes do sexo masculino [51,3%]) nascidos entre 1987 e 1996 e 285.901 homens nascidos entre 1982 e 1992 que compareceram a avaliações para recrutamento militar.

A prevalência7 de THG maternos foi de 4,0% na coorte3 de nascimentos de 1987-1996 (n = 42.980) e 5,1% na coorte3 de alistamento militar (n = 14.515).

Um total de 15.558 participantes receberam um diagnóstico8 de TEA, 36.852 receberam um diagnóstico8 de TDAH e 8.454 receberam um diagnóstico8 de DI. A pontuação cognitiva4 média (DP) entre os homens na coorte3 de recrutamento foi de 5,1 (1,9).

Em análises de coorte3 inteira com ajuste multivariável, THG foram associados a TEAs na prole (razão de risco [HR], 1,22; IC 95%, 1,13-1,31), TDAH (HR, 1,10; IC 95%, 1,05-1,16) e DI (HR, 1,39; IC 95%, 1,27-1,53).

As análises comparando irmãos discordantes para THG foram menos potentes estatisticamente, mas indicaram estimativas de magnitude semelhante para TEAs (HR, 1,19; IC 95%, 1,00-1,42) e possivelmente TDAH (HR, 1,09; IC 95%, 0,95-1,24), mas não para DI (HR, 1,04; IC 95%, 0,83-1,29).

Os transtornos hipertensivos da gravidez1 foram associados a escores cognitivos9 um pouco mais baixos na análise de toda a coorte3 (diferença média comparando os filhos expostos aos não expostos, -0,10; IC 95%, -0,13 a -0,07), mas na análise entre irmãos a associação foi nula (diferença média, 0,00; IC 95%, -0,09 a 0,08).

Os resultados do estudo sugerem que os transtornos hipertensivos da gravidez1 estão associados a pequenos riscos aumentados de transtorno do espectro autista e possivelmente de transtorno do déficit de atenção e hiperatividade na prole, enquanto as associações com deficiência intelectual e desempenho cognitivo2 são provavelmente confundidas por fatores familiares compartilhados (ambientais ou genéticos).

Saiba mais sobre "Transtornos do espectro autista", "Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade" e "Deficiência intelectual".

 

Fonte: JAMA Pediatrics, publicação em 22 de março de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Transtornos hipertensivos da gravidez foram associados a riscos moderadamente aumentados de transtornos do espectro autista e TDAH na prole. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1390860/transtornos-hipertensivos-da-gravidez-foram-associados-a-riscos-moderadamente-aumentados-de-transtornos-do-espectro-autista-e-tdah-na-prole.htm>. Acesso em: 14 abr. 2021.

Complementos

1 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
2 Desempenho cognitivo: Desempenho dos processos de aprendizagem e de aquisição de conhecimento através da percepção.
3 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
4 Cognitiva: 1. Relativa ao conhecimento, à cognição. 2. Relativa ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
5 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
6 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
7 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
8 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
9 Cognitivos: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
Gostou do artigo? Compartilhe!