Gostou do artigo? Compartilhe!

Estudo demonstra consequências metabólicas da obesidade no estado hipercoagulável da síndrome dos ovários policísticos

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A síndrome1 dos ovários2 policísticos (SOP) foi reconhecida como um distúrbio reprodutivo-metabólico devido ao excesso de prevalência3 de diabetes tipo 24, hipertensão5 e doenças cardiovasculares6 nessa população em um estágio mais avançado da vida.

Pacientes com SOP apresentam aumento da agregação plaquetária e diminuição da atividade fibrinolítica plasmática, resultando em propensão pró-trombótica7. Marcadores de coagulação8 elevados foram relatados na SOP em comparação aos controles e os parâmetros de coagulação8, incluindo tempo de protrombina9, tempo de trombina10 e produtos de degradação da fibrina11 podem ser preditivos de SOP.

Leia sobre "Entendendo os ovários2 policísticos", "Como se dá a coagulação8 sanguínea" e "O que saber sobre os cistos ovarianos".

Foi relatado que as proteínas12 de coagulação8, como o inibidor de fibrinólise13 ativável por trombina10, PAI-1, dímero D, antitrombina III e trombomodulina, estão significativamente aumentadas em mulheres com SOP em comparação com controles com idade e IMC14 semelhantes. Isso sugere que a SOP, independente de suas características metabólicas, pode ser um fator de risco15 para um estado hipercoagulável.

Assim, mulheres com síndrome1 dos ovários2 policísticos têm um estado hipercoagulável; no entanto, não está claro se isso é intrinsecamente devido à SOP ou, alternativamente, uma consequência de suas complicações metabólicas.

Este estudo, publicado na revista Scientific Reports, foi realizado para determinar os parâmetros que contribuem para o estado hipercoagulável relatado para SOP.

Os pesquisadores determinaram os níveis de proteína da via de coagulação8 do plasma16 em mulheres com SOP (n = 146) e mulheres controle (n = 97) recrutadas para um biobanco de SOP.

Os níveis circulantes de um painel de 18 proteínas12 da via de coagulação8 foram determinados por medição de proteína plasmática por varredura de Aptâmeros modificada com taxa de desaceleração lenta. As coortes foram pareadas por idade, embora o grupo SOP tivesse elevado índice de massa corporal17 (p <0,001), insulina18 (p <0,001) e proteína C reativa (PCR19) (p <0,0001).

Oito proteínas12 pró-coagulação8 estavam elevadas na SOP:

  • inibidor 1 do ativador do plasminogênio (p <0,0001)
  • fibrinogênio20 (p <0,01)
  • cadeia gama do fibrinogênio20 (p <0,0001)
  • fibronectina (p <0,01)
  • fator de von Willebrand (p < 0,05)
  • D-dímero (p <0,0001)
  • P-selectina (p <0,05)
  • calicreína plasmática (p <0,001)

No entanto, duas proteínas12 anticoagulantes21, a proteína S dependente da vitamina22 K (p <0,0001) e o cofator-II da heparina (p <0,001), estavam elevadas e a protrombina9 estava diminuída (p <0,05). A PCR19, como marcador de inflamação23, e a resistência à insulina24 (HOMA-IR25) se correlacionaram com 11 e 6 das proteínas12 de coagulação8, respectivamente (p <0,05). Quando feito pareamento para IMC14 <25 (16 SOP, 53 controles), a HOMA-IR25 permaneceu elevada (p <0,05) e o cofator-II da heparina estava aumentado (p <0,05).

Em uma análise multivariada considerando inflamação23, resistência à insulina24 e IMC14, não houve correlação da SOP com nenhuma das proteínas12 de coagulação8.

O estudo concluiu que o estado hipercoagulável na síndrome1 dos ovários2 policísticos não é intrínseco à doença, pois pode ser totalmente explicado pelo IMC14, inflamação23 e resistência à insulina24.

Veja também sobre "Obesidade26", "Cálculo27 do IMC14", "Coagulopatias" e "Riscos e benefícios da retirada dos ovários2".

 

Fonte: Scientific Reports, publicação em 05 de março de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Estudo demonstra consequências metabólicas da obesidade no estado hipercoagulável da síndrome dos ovários policísticos. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1390650/estudo-demonstra-consequencias-metabolicas-da-obesidade-no-estado-hipercoagulavel-da-sindrome-dos-ovarios-policisticos.htm>. Acesso em: 23 out. 2021.

Complementos

1 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
2 Ovários: São órgãos pares com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura cada um. Eles estão presos ao útero e à cavidade pelvina por meio de ligamentos. Na puberdade, os ovários começam a secretar os hormônios sexuais, estrógeno e progesterona. As células dos folículos maduros secretam estrógeno, enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrógeno.
3 Prevalência: Número de pessoas em determinado grupo ou população que são portadores de uma doença. Número de casos novos e antigos desta doença.
4 Diabetes tipo 2: Condição caracterizada por altos níveis de glicose causada tanto por graus variáveis de resistência à insulina quanto por deficiência relativa na secreção de insulina. O tipo 2 se desenvolve predominantemente em pessoas na fase adulta, mas pode aparecer em jovens.
5 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
6 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
7 Trombótica: Relativo à trombose, ou seja, à formação ou desenvolvimento de um trombo (coágulo).
8 Coagulação: Ato ou efeito de coagular(-se), passando do estado líquido ao sólido.
9 Protrombina: Proteína plasmática inativa, é a precursora da trombina e essencial para a coagulação sanguínea.
10 Trombina: Enzima presente no plasma. Ela catalisa a conversão do fibrinogênio em fibrina, participando do processo de coagulação sanguínea.
11 Fibrina: Proteína formada no plasma a partir da ação da trombina sobre o fibrinogênio. Ela é o principal componente dos coágulos sanguíneos.
12 Proteínas: Um dos três principais nutrientes dos alimentos. Alimentos que fornecem proteína incluem carne vermelha, frango, peixe, queijos, leite, derivados do leite, ovos.
13 Fibrinólise: Processo de dissolução progressiva da fibrina e assim do coágulo, que posteriormente à sua formação deve ser dissolvido.
14 IMC: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
15 Fator de risco: Qualquer coisa que aumente a chance de uma pessoa desenvolver uma doença.
16 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
17 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
18 Insulina: Hormônio que ajuda o organismo a usar glicose como energia. As células-beta do pâncreas produzem insulina. Quando o organismo não pode produzir insulna em quantidade suficiente, ela é usada por injeções ou bomba de insulina.
19 PCR: Reação em cadeia da polimerase (em inglês Polymerase Chain Reaction - PCR) é um método de amplificação de DNA (ácido desoxirribonucleico).
20 Fibrinogênio: Proteína plasmática precursora da fibrina (que dá origem à fibrina) e que participa da coagulação sanguínea.
21 Anticoagulantes: Substâncias ou medicamentos que evitam a coagulação, especialmente do sangue.
22 Vitamina: Compostos presentes em pequenas quantidades nos diversos alimentos e nutrientes e que são indispensáveis para o desenvolvimento dos processos biológicos normais.
23 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
24 Resistência à insulina: Inabilidade do corpo para responder e usar a insulina produzida. A resistência à insulina pode estar relacionada à obesidade, hipertensão e altos níveis de colesterol no sangue.
25 HOMA-IR: O cálculo do índice HOMA-IR, do inglês, Homeostatic Model Assessment , é feito com base nas dosagens de insulina e glicemia de jejum e ajuda a determinar o grau de resistência à insulina.
26 Obesidade: Condição em que há acúmulo de gorduras no organismo além do normal, mais severo que o sobrepeso. O índice de massa corporal é igual ou maior que 30.
27 Cálculo: Formação sólida, produto da precipitação de diferentes substâncias dissolvidas nos líquidos corporais, podendo variar em sua composição segundo diferentes condições biológicas. Podem ser produzidos no sistema biliar (cálculos biliares) e nos rins (cálculos renais) e serem formados de colesterol, ácido úrico, oxalato de cálcio, pigmentos biliares, etc.
Gostou do artigo? Compartilhe!