Gostou do artigo? Compartilhe!

Estudo mostra que há uma heterogeneidade considerável na apresentação, tratamento e resultados entre pacientes idosos com infarto do miocárdio

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os pacientes idosos mais velhos (≥85 anos) constituem metade das hospitalizações por infarto1 agudo2 do miocárdio3 entre idosos e mais comumente têm apresentação atípica, subtratamento e comprometimento funcional. No entanto, este grupo não foi bem caracterizado.

Nessa publicação do The American Journal of Medicine, caracterizou-se diferenças na apresentação, deficiências funcionais, tratamentos, estado de saúde4 e mortalidade5 entre pacientes idosos de meia idade (75-84 anos) e idosos mais velhos com infarto do miocárdio6.

Foram analisados os dados do estudo ComprehenSIVe Evaluation of Risk Factors in Older Patients with AMI (SILVER-AMI) que envolveu 3.041 pacientes ≥75 anos de idade de 94 hospitais nos EUA entre 2013 e 2016.

Realizou-se a regressão de riscos proporcionais de Cox para examinar a associação entre as categorias de idade mais velhas (n = 831) e de meia-idade (n = 2.210) com ajuste da taxa de letalidade pós-alta em 6 meses para variáveis ​​sociodemográficas e clínicas, e prejuízo da mobilidade.

Os idosos mais velhos eram menos propensos a apresentar dor no peito7 (52,7% vs 57,7%) como sintoma8 principal ou a receber revascularização coronária (58,1% vs 71,8) (P <0,01 para ambos).

Os idosos mais velhos eram mais propensos a ter prejuízos funcionais e tiveram maior mortalidade5 em 6 meses em comparação com os pacientes idosos de meia idade (razão de risco 1,78, intervalo de confiança de 95%, 1,39-2,28). Essa associação foi substancialmente atenuada após o ajuste para deficiência de mobilidade (razão de risco 1,29, intervalo de confiança, 0,99-1,68).

Concluiu-se que há uma heterogeneidade considerável na apresentação, tratamento e resultados entre pacientes idosos com infarto do miocárdio6. A deficiência de mobilidade, um marcador de fragilidade, modifica a associação entre idade avançada e tratamentos, bem como resultados.

Leia sobre "O processo de envelhecimento", "Infarto do Miocárdio6" e "Ponte de safena".

 

Fonte: The American Journal of Medicine, Vol. 134, Nº 1, em 01 de janeiro de 2021.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Estudo mostra que há uma heterogeneidade considerável na apresentação, tratamento e resultados entre pacientes idosos com infarto do miocárdio. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1387235/estudo-mostra-que-ha-uma-heterogeneidade-consideravel-na-apresentacao-tratamento-e-resultados-entre-pacientes-idosos-com-infarto-do-miocardio.htm>. Acesso em: 22 jun. 2021.

Complementos

1 Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
2 Agudo: Descreve algo que acontece repentinamente e por curto período de tempo. O oposto de crônico.
3 Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sangüíneo. Sinônimos: Músculo Cardíaco; Músculo do Coração
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
6 Infarto do miocárdio: Interrupção do suprimento sangüíneo para o coração por estreitamento dos vasos ou bloqueio do fluxo. Também conhecido por ataque cardíaco.
7 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
8 Sintoma: Qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. O sintoma é a queixa relatada pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
Gostou do artigo? Compartilhe!