Gostou do artigo? Compartilhe!

Novo teste de escaneamento encontra células de câncer de próstata ocultas no corpo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Depois que os médicos descobriram câncer1 na próstata2 do Dr. Mark Samberg no primeiro semestre de 2020, o urologista3 aposentado de 70 anos se preparou para a remoção da próstata2. Ele sabia que a cirurgia o curaria, supondo que o câncer1 estivesse confinado ao órgão.

Mas seus médicos tinham uma preocupação persistente – as células4 cancerosas vistas na biópsia5 eram agressivas e poderiam já ter escapado de sua próstata2. Nesse caso, a operação não o curaria. O problema para o Dr. Samberg, e para muitos homens com câncer1 de próstata2 agressivo, era este: se há células4 cancerosas fora da próstata2, como podem ser encontradas?

Agora, a Food and Drug Administration aprovou nos Estados Unidos um teste que pode localizar células4 de câncer1 de próstata2 onde quer que estejam. Segundo reportagem publicada pelo The New York Times, especialistas em câncer1 disseram que o teste alteraria o tratamento de pacientes em todo o país. O teste parece melhorar o diagnóstico6 e o tratamento de uma doença que mata 33.000 homens americanos a cada ano.

O teste se baseia em uma etiqueta radioativa ligada a uma molécula que se dirige às células4 do câncer1 de próstata2 que se espalharam para outros locais do corpo e podem espalhar novos tumores. Uma vez marcados, os grupos de células4 aparecem como pontos brilhantes em exames PET Scan.

No momento, a aprovação da FDA se aplica apenas a testes na University of California, San Francisco e na University of California, Los Angeles, que realizaram ensaios clínicos7. Mas várias empresas esperam comercializar testes semelhantes em breve.

Agora, os especialistas esperam usar a técnica para matar células4 cancerosas, não apenas encontrá-las. A ideia é anexar um medicamento radioativo8 à molécula que busca as células4 do câncer1 de próstata2. A molécula entregará a droga diretamente a essas células4 e, espera-se, a radiação destruirá o câncer1. Os experimentos já começaram nas universidades acima citadas.

Leia sobre "Câncer1 de próstata2", "Biópsia5 da próstata2" e "PET Scan".

O caminho para o novo teste foi longo. Quase 30 anos atrás, os pesquisadores descobriram que as células4 do câncer1 de próstata2 carregam uma proteína única em suas superfícies chamada antígeno9 de membrana específico da próstata2, ou PSMA. Mais recentemente, os pesquisadores descobriram pequenas moléculas que poderiam se alojar no PSMA.

Os cientistas teorizaram que os traçadores radioativos ligados a essas moléculas poderiam tornar as células4 cancerosas da próstata2 visíveis em exames PET Scan. Em 2010, pesquisadores da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, publicaram as primeiras imagens de células4 cancerosas da próstata2 localizadas dessa forma.

Nos últimos quatro anos, estudos envolvendo cerca de 1.000 pacientes realizados pelo Dr. Jeremie Calais, médico de medicina nuclear da University of California, Los Angeles’, e pelo Dr. Thomas Hope, médico de medicina nuclear da University of California, San Francisco, mostraram que a varredura detectou com precisão células4 de câncer1 de próstata2 em qualquer parte do corpo antes do tratamento e mesmo após o tratamento, quando o câncer1 pode reaparecer.

A pesquisa levou a mudanças no tratamento para a maioria dos pacientes, incluindo decisões de recomendar radiação direcionada, guiada pelos exames, em vez de quimioterapia10 ou terapia de bloqueio de andrógeno11, tratamentos que afetam todo o corpo.

O Dr. Hope descreveu duas situações nas quais os exames PET podem transformar as decisões de tratamento.

A maioria dos homens descobre que tem câncer1 de próstata2 quando um simples exame de sangue12 encontra altos níveis de antígeno9 prostático específico, ou PSA. A próxima etapa é uma biópsia5 da próstata2 e remoção das células4 cancerosas para exame para ver o quão agressivas elas parecem.

Os homens costumam fazer exames de ressonância magnética13 para ver se a cápsula ao redor da próstata2 foi rompida – um sinal14 de que o câncer1 foi eliminado. E os médicos consideram o quão alto são os níveis de PSA. Quanto mais altos eles estão, mais câncer1 no corpo e maior a probabilidade de se espalhar.

O segundo cenário ocorre depois que um homem teve sua próstata2 removida ou destruída por radiação. Se os níveis de PSA do paciente começam a subir meses ou anos depois, o câncer1 que os médicos pensaram ter curado já havia se espalhado em outro lugar no corpo do homem.

Em ambas as situações, “sabemos que eles têm doença, mas não sabemos onde está”, disse Hope. O novo exame parece capaz de mostrar aos médicos onde procurar. Os pesquisadores agora estão conduzindo estudos para ver se essas revisões de tratamento, em última análise, prolongam a vida dos pacientes.

O Dr. Samberg foi um dos participantes do ensaio clínico. Antes de sua prostatectomia programada, o exame revelou células4 cancerosas em seus ossos e nódulos linfáticos.

Sem o novo teste, os médicos teriam removido a próstata2 do Dr. Samberg e teriam percebido que ele ainda tinha câncer1 quando seus níveis de PSA começassem a subir. Em casos assim, os médicos geralmente irradiam a área onde ficava a próstata2 – o leito da próstata2, que é o local dos cânceres remanescentes um pouco mais da metade das vezes.

Para o Dr. Samberg, esse procedimento, como a prostatectomia, não teria ajudado. “A terapia padrão para mim falharia”, disse ele. Em vez disso, a descoberta de que seu câncer1 estava em seus ossos e nódulos linfáticos apontou para terapia de radiação direcionada, terapia hormonal e, mais recentemente, imunoterapia.

“Estou em remissão completa”, disse Samberg. “Espero que faça diferença a longo prazo.”

Veja também sobre "Antígeno9 Prostático Específico ou PSA", "Prostatectomia" e "Radioterapia15".

 

Fonte: The New York Times, publicação em 16 de dezembro de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2021. Novo teste de escaneamento encontra células de câncer de próstata ocultas no corpo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1385380/novo-teste-de-escaneamento-encontra-celulas-de-cancer-de-prostata-ocultas-no-corpo.htm>. Acesso em: 22 out. 2021.

Complementos

1 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
2 Próstata: Glândula que (nos machos) circunda o colo da BEXIGA e da URETRA. Secreta uma substância que liquefaz o sêmem coagulado. Está situada na cavidade pélvica (atrás da parte inferior da SÍNFISE PÚBICA, acima da camada profunda do ligamento triangular) e está assentada sobre o RETO.
3 Urologista: Médico especializado em tratar pessoas com problemas no trato urinário e homens com problemas nos órgãos genitais, como impotência.
4 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
5 Biópsia: 1. Retirada de material celular ou de um fragmento de tecido de um ser vivo para determinação de um diagnóstico. 2. Exame histológico e histoquímico. 3. Por metonímia, é o próprio material retirado para exame.
6 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
7 Ensaios clínicos: Há três fases diferentes em um ensaio clínico. A Fase 1 é o primeiro teste de um tratamento em seres humanos para determinar se ele é seguro. A Fase 2 concentra-se em saber se um tratamento é eficaz. E a Fase 3 é o teste final antes da aprovação para determinar se o tratamento tem vantagens sobre os tratamentos padrões disponíveis.
8 Radioativo: Que irradia ou emite radiação, que contém radioatividade.
9 Antígeno: 1. Partícula ou molécula capaz de deflagrar a produção de anticorpo específico. 2. Substância que, introduzida no organismo, provoca a formação de anticorpo.
10 Quimioterapia: Método que utiliza compostos químicos, chamados quimioterápicos, no tratamento de doenças causadas por agentes biológicos. Quando aplicada ao câncer, a quimioterapia é chamada de quimioterapia antineoplásica ou quimioterapia antiblástica.
11 Andrógeno: Termo genérico para qualquer composto natural ou sintético, geralmente um hormônio esteróide, que estimula ou controla o desenvolvimento e manutenção das características masculinas em vertebrados ao ligar-se a receptores andrógenos. Isso inclui a atividade dos órgãos sexuais masculinos acessórios e o desenvolvimento de características sexuais secundárias masculinas. Também são os esteróides anabólicos originais. São precursores de todos os estrógenos, os hormônios sexuais femininos. São exemplos de andrógeno: testosterona, dehidroepiandrosterona (DHEA), androstenediona (Andro), androstenediol, androsterona e dihidrotestosterona (DHT).
12 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
13 Ressonância magnética: Exame que fornece imagens em alta definição dos órgãos internos do corpo através da utilização de um campo magnético.
14 Sinal: 1. É uma alteração percebida ou medida por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde, sem o relato ou comunicação do paciente. Por exemplo, uma ferida. 2. Som ou gesto que indica algo, indício. 3. Dinheiro que se dá para garantir um contrato.
15 Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
Gostou do artigo? Compartilhe!