Gostou do artigo? Compartilhe!

Exercício pode afetar a imunidade para reduzir o risco de câncer: células T citotóxicas medeiam reduções no crescimento tumoral induzidas por exercício

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Malhar pode aumentar a capacidade do sistema imunológico1 de atingir e erradicar as células2 cancerosas, sugere um estudo em ratos. O exercício pode ajudar a combater o câncer3 alterando o funcionamento interno de certas células2 do sistema imunológico1, de acordo com o novo estudo sobre como a corrida afeta os tumores. O estudo envolveu roedores, mas também pode ter implicações para a compreensão de como os exercícios podem afetar o câncer3 nas pessoas.

Saiba mais sobre "Câncer3 - informações importantes", "Exercícios aeróbicos" e "Prevenção do câncer3".

O exercício tem uma ampla gama de efeitos sistêmicos4. Em modelos animais, o esforço repetido reduz a progressão do tumor5 maligno e, clinicamente, o exercício pode melhorar o desfecho para pacientes6 com câncer3. A etiologia7 dos efeitos do exercício na progressão do tumor5 não é clara, assim como os atores celulares envolvidos. Estudos em animais mostram que o exercício diminui a inflamação8 e pode tornar o ambiente interno do corpo menos hospitaleiro a doenças malignas. Mas questões fundamentais permanecem sem resposta sobre a interação entre exercícios e câncer3. Então, recentemente, um grupo de cientistas do Instituto Karolinska em Estocolmo e de outras instituições começou a se perguntar sobre os glóbulos brancos.

Agora, para o novo estudo que foi publicado em outubro na eLife, os cientistas na Suécia decidiram aprender mais inoculando camundongos com diferentes tipos de células2 cancerígenas e deixando alguns dos roedores correrem, enquanto outros permaneceram sedentários. Depois de várias semanas, os pesquisadores viram que alguns dos corredores apresentavam poucas evidências de crescimento do tumor5. Mais intrigante, a maioria desses camundongos ativos foi inoculada com células2 cancerosas que são conhecidas por serem particularmente vulneráveis a um tipo específico de célula9 imune, conhecida como células2 T CD8+, que tendem, principalmente, a lutar contra certas formas de câncer3 de mama10 e outros tumores sólidos.

O estudo mostrou que, em camundongos, a redução no crescimento do tumor5 induzida por exercício é dependente de células2 T CD8+, e que metabólitos11 produzidos no músculo esquelético12 e excretados no plasma13 em altos níveis durante o esforço em camundongos e humanos aumentam o perfil efetor das células2 T CD8+. Descobriu-se que as células2 T CD8+ murinas ativadas alteram seu metabolismo14 de carbono central em resposta ao esforço in vivo, e que as células2 imunes de camundongos treinados são células2 efetoras antitumorais mais potentes quando transferidas para animais não treinados portadores de tumor5.

Esses dados demonstram que as células2 T CD8+ são metabolicamente alteradas pelo exercício de uma maneira que atua para melhorar sua eficácia antitumoral.

Esses resultados surpreenderam e entusiasmaram os pesquisadores, diz Randall Johnson, professor de fisiologia15 molecular com duas nomeações na Universidade de Cambridge, na Inglaterra, e no Instituto Karolinska, que supervisionou o novo estudo. Eles pareciam demonstrar “que o efeito do exercício nas células2 T é intrínseco às próprias células2 e é persistente”, diz ele.

Em outras palavras, o exercício mudou as células2 de maneira duradoura.

Leia sobre "Atividade física", "Distinção entre tumores benignos e malignos" e "É possível acabar com o câncer3?"

 

Fontes:
eLife, publicação em 23 de outubro de 2020.
The New York Times, notícia publicada em 11 de novembro de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Exercício pode afetar a imunidade para reduzir o risco de câncer: células T citotóxicas medeiam reduções no crescimento tumoral induzidas por exercício. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1383303/exercicio-pode-afetar-a-imunidade-para-reduzir-o-risco-de-cancer-celulas-t-citotoxicas-medeiam-reducoes-no-crescimento-tumoral-induzidas-por-exercicio.htm>. Acesso em: 25 jan. 2021.

Complementos

1 Sistema imunológico: Sistema de defesa do organismo contra infecções e outros ataques de micro-organismos que enfraquecem o nosso corpo.
2 Células: Unidades (ou subunidades) funcionais e estruturais fundamentais dos organismos vivos. São compostas de CITOPLASMA (com várias ORGANELAS) e limitadas por uma MEMBRANA CELULAR.
3 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
4 Sistêmicos: 1. Relativo a sistema ou a sistemática. 2. Relativo à visão conspectiva, estrutural de um sistema; que se refere ou segue um sistema em seu conjunto. 3. Disposto de modo ordenado, metódico, coerente. 4. Em medicina, é o que envolve o organismo como um todo ou em grande parte.
5 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
6 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
7 Etiologia: 1. Ramo do conhecimento cujo objeto é a pesquisa e a determinação das causas e origens de um determinado fenômeno. 2. Estudo das causas das doenças.
8 Inflamação: Conjunto de processos que se desenvolvem em um tecido em resposta a uma agressão externa. Incluem fenômenos vasculares como vasodilatação, edema, desencadeamento da resposta imunológica, ativação do sistema de coagulação, etc.Quando se produz em um tecido superficial (pele, tecido celular subcutâneo) pode apresentar tumefação, aumento da temperatura local, coloração avermelhada e dor (tétrade de Celso, o cientista que primeiro descreveu as características clínicas da inflamação).
9 Célula: Unidade funcional básica de todo tecido, capaz de se duplicar (porém algumas células muito especializadas, como os neurônios, não conseguem se duplicar), trocar substâncias com o meio externo à célula, etc. Possui subestruturas (organelas) distintas como núcleo, parede celular, membrana celular, mitocôndrias, etc. que são as responsáveis pela sobrevivência da mesma.
10 Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.
11 Metabólitos: Qualquer composto intermediário das reações enzimáticas do metabolismo.
12 Músculo Esquelético: Subtipo de músculo estriado fixado por TENDÕES ao ESQUELETO. Os músculos esqueléticos são inervados e seu movimento pode ser conscientemente controlado. Também são chamados de músculos voluntários.
13 Plasma: Parte que resta do SANGUE, depois que as CÉLULAS SANGÜÍNEAS são removidas por CENTRIFUGAÇÃO (sem COAGULAÇÃO SANGÜÍNEA prévia).
14 Metabolismo: É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos. São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será ultilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam e movimentem-se. O metabolismo divide-se em duas etapas: catabolismo e anabolismo.
15 Fisiologia: Estudo das funções e do funcionamento normal dos seres vivos, especialmente dos processos físico-químicos que ocorrem nas células, tecidos, órgãos e sistemas dos seres vivos sadios.
Gostou do artigo? Compartilhe!