Gostou do artigo? Compartilhe!

Efeito mundial da COVID-19 na atividade física: um estudo descritivo

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Em 11 de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde1 declarou a doença do coronavírus 2019 (COVID-19) como uma pandemia2 global. Para conter a propagação da doença, vários governos regionais e nacionais defenderam medidas de distanciamento social com vários graus de fiscalização, que vão desde recomendações não impostas até quarentena e fechamento de negócios.

A atividade física é um importante determinante da saúde1 e provavelmente é afetada por medidas de distanciamento social. A contagem de passos diários, uma representação da atividade física, tem sido associada à mortalidade3 por todas as causas. Além da atividade física, as tendências regionais de contagem de passos também podem fornecer uma representação da adesão ao distanciamento social, fornecendo percepções em tempo real para informar as decisões de políticas públicas. Como se considera que o distanciamento social prolongado contém a infecção4 pelo coronavírus, será importante avaliar a adesão a essas medidas e seus efeitos em outros aspectos da saúde1, como a atividade física.

O objetivo desse estudo, publicado no Annals of Internal Medicine, foi examinar as mudanças mundiais na contagem de passos antes e depois do anúncio da COVID-19 como uma pandemia2 global.

Neste estudo descritivo, foram usados dados sem identificação em nível individual de 19 de janeiro a 1º de junho de 2020, coletados de uma amostra de conveniência de usuários do aplicativo gratuito e popular de saúde1 e bem-estar para smartphones Argus (Azumio).

Saiba mais sobre "Coronavírus - como é e como evitar a contaminação", "Atividade física" e "Orientações para isolamento de casos de COVID-19".

As contagens diárias de passos foram determinadas usando acelerômetros de smartphone e algoritmos da Apple ou do Android para contagem de passos. A localização do usuário foi determinada pelo endereço IP do smartphone. A data da declaração de pandemia2 de COVID-19 usada foi 11 de março de 2020.

As médias de passos regionais foram calculadas diariamente, e a porcentagem de mudança nos passos foi calculada diariamente como uma porcentagem da média regional de 19 de janeiro a 11 de março de 2020. As regiões dos números exibidos foram selecionadas para alcançar metade das regiões menos afetadas e metade das mais afetadas no que diz respeito à COVID-19 e ao distanciamento social, e mais de 1000 e 700 usuários nos níveis nacional e municipal, respectivamente.

Um total de 19.144.639 medições diárias de contagem de passos foram fornecidas por 455.404 usuários únicos de 187 países únicos durante o período de estudo; 92% dos smartphones eram Apple e 8% eram Android.

Em todo o mundo, dentro de 10 dias da declaração de pandemia2, houve uma redução de 5,5% na média de passos (287 passos), e em 30 dias, houve uma redução de 27,3% na média de passos (1.432 passos).

Houve ampla variação regional na mudança média da contagem de passos e no tempo e na taxa dessa mudança. Por exemplo, a Itália declarou um lockdown nacional em 9 de março de 2020 e exibiu uma redução máxima de 48,7%, enquanto a Suécia, até o momento do estudo, tinha defendido principalmente o distanciamento social e as limitações nas reuniões e mostrou uma redução máxima de 6,9%.

Amostras de países como Itália e Irã, que tiveram surtos regionais de COVID-19 mais cedo, exibiram diminuições da contagem de passos em relação às suas linhas de base relativas também mais cedo. Amostras de diferentes países variaram amplamente no número de dias após a declaração de pandemia2 em que foi observada uma diminuição de 15% na contagem de passos: Itália (5 dias), Espanha (9 dias), França (12 dias), Índia (14 dias), Estados Unidos (15 dias), Reino Unido (17 dias), Austrália (19 dias) e Japão (24 dias). As tendências de contagem de passos em amostras de cidades dos EUA exibiram semelhanças, embora houvesse grande variabilidade internacional.

No geral, a contagem de passos diminuiu em todo o mundo no período após a COVID-19 ser declarada uma pandemia2 global. Foram observadas diferenças entre as regiões, provavelmente refletindo a variação regional no tempo da COVID-19, a fiscalização regional e a mudança de comportamento. Países que, até o momento do estudo, tiveram taxas de infecção4 de COVID-19 relativamente baixas e, portanto, não instituíram lockdowns, como Coréia do Sul, Taiwan e Japão, ainda exibiram reduções na contagem geral de passos.

As tendências de contagem de passos dentro da região provavelmente refletem uma combinação de mudanças na atividade física (por exemplo, caminhar e se exercitar) e nas atividades da vida diária (por exemplo, deslocamento e compras) devido aos esforços de distanciamento social. Presumindo que não haja mudanças regulatórias que afetem a prática de atividades físicas em uma região, suspeita-se que as tendências sustentadas no nível da população ao longo do tempo podem refletir mudanças na adesão ao distanciamento social (por exemplo, muitas regiões mostraram aumentos de seu ponto mais baixo de contagem de passos regionais antes que as ordens fossem suspensas).

A variação observada na contagem de passos também é provavelmente influenciada por desigualdades socioeconômicas entre as regiões e disparidades na capacidade de se engajar ou ter acesso à atividade física recreativa dentro de uma região.

As limitações deste estudo incluem viés de amostragem devido à dependência da posse de smartphone e de aplicativo, erro de medição de contagens de passos medidos em smartphones, variabilidade nos hábitos de uso e transporte de smartphones, nenhuma avaliação da intensidade da atividade e incapacidade de capturar exercícios sem passos. O conjunto de dados é uma amostra de conveniência não representativa com um número variável de usuários contribuintes diários. Ele também carece de características de participante além do endereço IP, limitando as comparações entre as regiões.

Reduções rápidas na contagem de passos em todo o mundo foram observadas durante a pandemia2 de COVID-19, com variabilidade regional. As tendências de contagem de passos dentro da região podem refletir medidas de distanciamento social e mudanças na adesão ao distanciamento social; no entanto, estudos analíticos mais formais são necessários. O efeito das medidas de distanciamento social sobre a atividade física geral, um importante determinante da saúde1, deve ser considerado, especialmente se o distanciamento social prolongado for necessário.

Leia sobre "Relação entre a quantidade de passos ao dia e a mortalidade3" e "Caminhada".

 

Fonte: Annals of Internal Medicine, publicação em 29 de junho de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Efeito mundial da COVID-19 na atividade física: um estudo descritivo. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1380678/efeito-mundial-da-covid-19-na-atividade-fisica-um-estudo-descritivo.htm>. Acesso em: 24 nov. 2020.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Pandemia: É uma epidemia de doença infecciosa que se espalha por um ou mais continentes ou por todo o mundo, causando inúmeras mortes. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a pandemia pode se iniciar com o aparecimento de uma nova doença na população, quando o agente infecta os humanos, causando doença séria ou quando o agente dissemina facilmente e sustentavelmente entre humanos. Epidemia global.
3 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
4 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
Gostou do artigo? Compartilhe!