Gostou do artigo? Compartilhe!

JAMA: qual é a relação entre a quantidade de passos ao dia e a mortalidade por todas as causas para mulheres idosas?

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Uma meta de 10.000 passos/dia é comumente considerada pelo público como necessária para a saúde1, mas esse número tem base científica limitada. Além disso, desconhece-se se a maior intensidade dos passos está associada a benefícios para a saúde1, independentemente do número de passos dados por dia.

Um dos objetivos deste trabalho foi examinar as associações de número e intensidade dos passos dados por dia com mortalidade2 por todas as causas.

Este estudo de coorte3 prospectivo4 incluiu 18.289 mulheres americanas do Women's Health Study que concordaram em participar usando um acelerômetro durante as horas de vigília, por 7 dias, entre 2011 e 2015. Um total de 17.708 mulheres usaram e retornaram seus dispositivos; os dados foram baixados com sucesso de 17.466 dispositivos. Destas mulheres, 16.741 eram usuárias compatíveis (≥10h/dia de uso em ≥4 dias) e incluídas nas análises, as quais ocorreram entre 2018 e 2019.

Foram observados os passos por dia e várias medidas de intensidade de passos (ou seja, pico de cadência de 1 minuto; pico de cadência de 30 minutos; cadência máxima de 5 minutos; tempo gasto a uma taxa de ≥40 passos/minuto, refletindo etapas propositais).

Das 16.741 mulheres que preencheram os critérios de inclusão, a idade média (DP) foi de 72,0 (5,7) anos. A média da contagem de passos foi de 5.499 por dia, com 51,4%, 45,5% e 3,1% do tempo gasto em 0 passos/min, 1 a 39 passos/min (passos casuais) e 40 passos/min ou mais (passos intencionais), respectivamente.

Durante um seguimento médio de 4,3 anos, 504 mulheres morreram. Média de passos por dia em quartis de distribuição de baixo a alto foram 2.718, 4.363, 5.905 e 8.442, respectivamente. As taxas de risco de quartis correspondentes (HRs) associadas à mortalidade2 e ajustadas para potenciais confundidores foram 1,00 (referência), 0,59 (IC 95% 0,47-0,75), 0,54 (IC 95% 0,41-0,72) e 0,42 (IC 95% 0,30-0,60), respectivamente (P<0,01).

Na análise de splines, observou-se que os hazard ratios (HRs) diminuem progressivamente com uma média de passos mais alta por dia até aproximadamente 7.500 passos/dia, após o quê se nivelaram.

Para as medidas de intensidade de passo, intensidades mais altas foram associadas com taxas de mortalidade2 significativamente menores; entretanto, após o ajuste para passos por dia, todas as associações foram atenuadas e a maioria não foi mais significativa (maior contra menor quartil para pico de 1 minuto de cadência, HR = 0,87 [IC 95% 0,68-1,11]; pico de cadência de 30 minutos ,HR = 0,86 [IC 95% 0,65-1,13], cadência máxima de 5 minutos, HR = 0,80 [IC 95% 0,62-1,05] e tempo gasto a uma taxa de ≥40 passos/min, HR = 1,27 [IC 95% 0,96-1,68], P>0,05).

Concluiu-se que entre as idosas estudadas, apenas cerca de 4.400 passos/dia foram significativamente relacionados com menores taxas de mortalidade2, em comparação com aproximadamente 2.700 passos/dia. Com mais passos por dia, as taxas de mortalidade2 diminuíram progressivamente até se nivelarem em aproximadamente 7.500 passos/dia. A intensidade dos passos não foi claramente relacionada a taxas de mortalidade2 mais baixas após contabilizado o total de passos por dia.

Leia também sobre "Caminhada", "Atividade física" e "Envelhecimento saudável".

 

Fonte: JAMA Internal Medicine, em 29 de maio de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. JAMA: qual é a relação entre a quantidade de passos ao dia e a mortalidade por todas as causas para mulheres idosas?. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1344103/jama-qual-e-a-relacao-entre-a-quantidade-de-passos-ao-dia-e-a-mortalidade-por-todas-as-causas-para-mulheres-idosas.htm>. Acesso em: 12 nov. 2019.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
3 Estudo de coorte: Um estudo de coorte é realizado para verificar se indivíduos expostos a um determinado fator apresentam, em relação aos indivíduos não expostos, uma maior propensão a desenvolver uma determinada doença. Um estudo de coorte é constituído, em seu início, de um grupo de indivíduos, denominada coorte, em que todos estão livres da doença sob investigação. Os indivíduos dessa coorte são classificados em expostos e não-expostos ao fator de interesse, obtendo-se assim dois grupos (ou duas coortes de comparação). Essas coortes serão observadas por um período de tempo, verificando-se quais indivíduos desenvolvem a doença em questão. Os indivíduos expostos e não-expostos devem ser comparáveis, ou seja, semelhantes quanto aos demais fatores, que não o de interesse, para que as conclusões obtidas sejam confiáveis.
4 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
Gostou do artigo? Compartilhe!