Gostou do artigo? Compartilhe!

Anticorpos em bebês nascidos de mães com pneumonia por COVID-19

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os testes de anticorpos1 IgG e IgM para o coronavírus da síndrome2 respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2) foram disponibilizados em fevereiro de 2020. Em 4 de março de 2020, a sétima edição do Novo Protocolo de Controle e Prevenção de Pneumonia3 por Coronavírus da nova doença de coronavírus 2019 (COVID-19) foi divulgado pela Comissão Nacional de Saúde4 da República Popular da China e acrescentou critérios de diagnóstico5 sorológico.

Um estudo anterior de nove grávidas e seus bebês6 não encontrou transmissão materno-infantil de SARS-CoV-2 com base em reação em cadeia da transcriptase-polimerase (RT-PCR7). Nessa pesquisa publicada pelo JAMA aplicou-se esses novos critérios a seis gestantes com COVID-19 confirmada e seus bebês6, porque os critérios sorológicos permitiriam uma investigação mais detalhada da infecção8 em recém-nascidos.

Os registros clínicos e os resultados laboratoriais foram revisados ​​retrospectivamente para 6 grávidas com COVID-19 internadas no Hospital Zhongnan da Universidade de Wuhan, de 16 de fevereiro a 6 de março de 2020, confirmadas com base em sintomas9, tomografia computadorizada10 de tórax11 e resultados positivos de RT-PCR7.

Saiba mais sobre "Coronavírus (SARS-CoV-2)" e "A gravidez12 e o coronavírus".

Amostras de sangue13 foram coletadas das mães no momento do parto e amostras de sangue13 e garganta14 de recém-nascidos foram coletadas no nascimento. Realizou-se RT-PCR7 quantitativa para ácido nucleico SARS-CoV-2 (Kit RT-PCR7, BioGerm) em amostras de soro15 e garganta14 neonatais. As citocinas16 inflamatórias (Kit II CBA humano de citocina17 Th1/Th2, BD Biosciences) foram testadas em soro15 neonatal. Amostras de soro15 materno e neonatal foram usadas para testar anticorpos1 IgG e IgM.

Todos os testes foram realizados por 2 pesquisadores (Y.T. e Q.D.), com amostras de IgG e IgM para SARS-CoV-2 dos bebês6 verificados duas vezes (Kit de ensaios CLIA, YHLO). A coleta, processamento e teste laboratorial das amostras seguiram as orientações da Organização Mundial da Saúde4. A sensibilidade e especificidade relatadas pelo fabricante para IgM são 88,2% e 99,0%, respectivamente, e para IgG são 97,8% e 97,9% .

Este estudo foi aprovado pelo conselho de revisão institucional do Hospital Zhongnan da Universidade de Wuhan, que dispensou o consentimento informado, porque os dados deste estudo retrospectivo18 foram recuperados dos prontuários médicos.

Todas as 6 mães apresentaram manifestações clínicas leves. Todas tiveram parto cesáreo no terceiro trimestre em salas de isolamento de pressão negativa. Todas as mães usavam máscaras e toda a equipe médica usava roupas de proteção e máscaras duplas. Os bebês6 foram isolados de suas mães imediatamente após o parto.

Todos os 6 bebês6 tiveram escores de Apgar de 1 minuto de 8 de 9 e escores de Apgar de 5 minutos de 9 a 10. Amostras de sangue13 e da garganta14 neonatais apresentaram resultados negativos nos testes de RT-PCR7.

Todos os 6 bebês6 tiveram anticorpos1 detectados no soro15. Dois bebês6 apresentaram concentrações de IgG e IgM superiores ao nível normal (<10 AU/mL). Um bebê teve um nível de IgG de 125,5 e um nível de IgM de 39,6 AU/mL; o segundo bebê apresentou nível de IgG de 113,91 AU/mL e nível de IgM de 16,25 AU/mL.

As mães também apresentaram níveis elevados de IgG e IgM. Três bebês6 tiveram níveis elevados de IgG (75,49; 73,19; 51,38 AU/mL), mas níveis normais de IgM; todas as três mães apresentaram níveis elevados de IgG e duas também apresentaram níveis elevados de IgM.

A citocina17 inflamatória IL-6 estava significativamente aumentada em todos os bebês6. Nenhum dos bebês6 apresentou sintomas9 em 8 de março de 2020.

Entre 6 mães com COVID-19 confirmada, o SARS-CoV-2 não foi detectado na coleta de amostra da garganta14 ou no soro15 por RT-PCR7 em nenhum de seus recém-nascidos. No entanto, anticorpos1 específicos para o vírus19 foram detectados em amostras de soro15 neonatal.

As concentrações de IgG foram elevadas em 5 crianças. A IgG é transferida passivamente através da placenta da mãe para o feto20 a partir do final do segundo trimestre e atinge altos níveis no momento do nascimento. No entanto, a IgM, que foi detectada em 2 bebês6, geralmente não é transferida da mãe para o feto20 por causa de sua estrutura macromolecular maior.

Em um estudo de mães com SARS, as placentas de duas mulheres convalescentes da infecção8 por SARS-CoV no terceiro trimestre de gravidez12 apresentaram pesos e patologia21 anormais. Não se sabe se as placentas das mulheres neste estudo foram danificadas ou anormais. Como alternativa, a IgM poderia ter sido produzida pelo bebê se o vírus19 atravessasse a placenta.

Este estudo é limitado pelo pequeno tamanho da amostra, falta de sangue do cordão umbilical22, líquido amniótico23 e leite materno e por informações incompletas sobre o resultado dos bebês6. Esses achados são importantes para a compreensão das características sorológicas de bebês6 cujas mães estão infectadas com SARS-CoV-2 e é necessário um estudo mais aprofundado.

Leia sobre "Mapeando a COVID-19", "Síndrome2 respiratória aguda grave (SARS)" e "Gestação semana a semana".

 

Fonte: JAMA, publicação em 26 de março de 2020.

 

NEWS.MED.BR, 2020. Anticorpos em bebês nascidos de mães com pneumonia por COVID-19. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1364683/anticorpos-em-bebes-nascidos-de-maes-com-pneumonia-por-covid-19.htm>. Acesso em: 31 mai. 2020.

Complementos

1 Anticorpos: Proteínas produzidas pelo organismo para se proteger de substâncias estranhas como bactérias ou vírus. As pessoas que têm diabetes tipo 1 produzem anticorpos que destroem as células beta produtoras de insulina do próprio organismo.
2 Síndrome: Conjunto de sinais e sintomas que se encontram associados a uma entidade conhecida ou não.
3 Pneumonia: Inflamação do parênquima pulmonar. Sua causa mais freqüente é a infecção bacteriana, apesar de que pode ser produzida por outros microorganismos. Manifesta-se por febre, tosse, expectoração e dor torácica. Em pacientes idosos ou imunodeprimidos pode ser uma doença fatal.
4 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
5 Diagnóstico: Determinação de uma doença a partir dos seus sinais e sintomas.
6 Bebês: Lactentes. Inclui o período neonatal e se estende até 1 ano de idade (12 meses).
7 PCR: Reação em cadeia da polimerase (em inglês Polymerase Chain Reaction - PCR) é um método de amplificação de DNA (ácido desoxirribonucleico).
8 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
9 Sintomas: Alterações da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não ser um indício de doença. Os sintomas são as queixas relatadas pelo paciente mas que só ele consegue perceber. Sintomas são subjetivos, sujeitos à interpretação pessoal. A variabilidade descritiva dos sintomas varia em função da cultura do indivíduo, assim como da valorização que cada pessoa dá às suas próprias percepções.
10 Tomografia computadorizada: Exame capaz de obter imagens em tons de cinza de “fatias” de partes do corpo ou de órgãos selecionados, as quais são geradas pelo processamento por um computador de uma sucessão de imagens de raios X de alta resolução em diversos segmentos sucessivos de partes do corpo ou de órgãos.
11 Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original Sinônimos: Peito; Caixa Torácica
12 Gravidez: Condição de ter um embrião ou feto em desenvolvimento no trato reprodutivo feminino após a união de ovo e espermatozóide.
13 Sangue: O sangue é uma substância líquida que circula pelas artérias e veias do organismo. Em um adulto sadio, cerca de 45% do volume de seu sangue é composto por células (a maioria glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas). O sangue é vermelho brilhante, quando oxigenado nos pulmões (nos alvéolos pulmonares). Ele adquire uma tonalidade mais azulada, quando perde seu oxigênio, através das veias e dos pequenos vasos denominados capilares.
14 Garganta: Tubo fibromuscular em forma de funil, que leva os alimentos ao ESÔFAGO e o ar à LARINGE e PULMÕES. Situa-se posteriormente à CAVIDADE NASAL, à CAVIDADE ORAL e à LARINGE, extendendo-se da BASE DO CRÂNIO à borda inferior da CARTILAGEM CRICÓIDE (anteriormente) e à borda inferior da vértebra C6 (posteriormente). É dividida em NASOFARINGE, OROFARINGE e HIPOFARINGE (laringofaringe).
15 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
16 Citocinas: Citoquina ou citocina é a designação genérica de certas substâncias segregadas por células do sistema imunitário que controlam as reações imunes do organismo.
17 Citocina: Citoquina ou citocina é a designação genérica de certas substâncias segregadas por células do sistema imunitário que controlam as reações imunes do organismo.
18 Retrospectivo: Relativo a fatos passados, que se volta para o passado.
19 Vírus: Pequeno microorganismo capaz de infectar uma célula de um organismo superior e replicar-se utilizando os elementos celulares do hospedeiro. São capazes de causar múltiplas doenças, desde um resfriado comum até a AIDS.
20 Feto: Filhote por nascer de um mamífero vivíparo no período pós-embrionário, depois que as principais estruturas foram delineadas. Em humanos, do filhote por nascer vai do final da oitava semana após a CONCEPÇÃO até o NASCIMENTO, diferente do EMBRIÃO DE MAMÍFERO prematuro.
21 Patologia: 1. Especialidade médica que estuda as doenças e as alterações que estas provocam no organismo. 2. Qualquer desvio anatômico e/ou fisiológico, em relação à normalidade, que constitua uma doença ou caracterize determinada doença. 3. Por extensão de sentido, é o desvio em relação ao que é próprio ou adequado ou em relação ao que é considerado como o estado normal de uma coisa inanimada ou imaterial.
22 Sangue do Cordão Umbilical: Sangue do feto. A troca de nutrientes e de resíduos entre o sangue fetal e o materno ocorre através da PLACENTA. O sangue do cordão é o sangue contido nos vasos umbilicais (CORDÃO UMBILICAL) no momento do parto.
23 Líquido amniótico: Fluido viscoso, incolor ou levemente esbranquiçado, que preenche a bolsa amniótica e envolve o embrião durante toda a gestação, protegendo-o contra infecções e choques mecânicos e térmicos.
Gostou do artigo? Compartilhe!