Gostou do artigo? Compartilhe!

Efeito da substituição de sal na incidência de hipertensão arterial: estudo publicado pela Nature Medicine

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

A substituição do sal comum por substitutos enriquecidos com potássio reduz a pressão arterial1 em situações controladas, principalmente entre pessoas com hipertensão arterial2. Em artigo publicado pela revista Nature Medicine, em amostra representativa da população do Peru, relatou-se uma implementação dessa estratégia em um estudo randomizado3 por cluster de forma escalonada.

O sal regular nos domicílios inscritos no estudo foi removido e substituído, gratuitamente, por uma combinação de 75% de NaCl e 25% de KCl. Um total de 2.376 participantes foram inscritos, de seis aldeias em Tumbes, no Peru.

A análise de intenção de tratamento totalmente ajustada mostrou uma redução média de 1,29 mmHg [intervalo de confiança (IC) de 95% (-2,17, -0,41)] na pressão arterial sistólica4 e 0,76 mmHg [IC 95% (-1,39, - 0,13)] na pressão arterial diastólica5. Entre os participantes sem hipertensão6 no início do estudo, no modelo ajustado por tempo e cluster, o uso do substituto do sal foi associado a um risco reduzido de 51% [IC 95% (29%-66%)] de desenvolver hipertensão6 em comparação ao grupo controle.

Nas amostras de urina7 de 24 horas não houve evidência de diferenças nos níveis de sódio [diferença média de 0,01; IC 95% (0,25, -0,23)], mas os níveis de potássio foram mais altos no final do estudo do que na linha de base [diferença média de 0,63; IC 95% (0,78, 0,47)].

Os resultados sustentam um argumento para a implementação de uma estratégia pragmática de substituição de sal em toda a população para reduzir a pressão arterial1 e a incidência8 de hipertensão6.

Leia sobre "Estratégias para reduzir o sal na dieta e evitar hipertensão6", "Hipertensão arterial2" e "Dor no peito9".

 

Fonte: Nature Medicine, em 17 de fevereiro de 2020.

NEWS.MED.BR, 2020. Efeito da substituição de sal na incidência de hipertensão arterial: estudo publicado pela Nature Medicine. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1360943/efeito-da-substituicao-de-sal-na-incidencia-de-hipertensao-arterial-estudo-publicado-pela-nature-medicine.htm>. Acesso em: 31 mar. 2020.

Complementos

1 Pressão arterial: A relação que define a pressão arterial é o produto do fluxo sanguíneo pela resistência. Considerando-se a circulação como um todo, o fluxo total é denominado débito cardíaco, enquanto a resistência é denominada de resistência vascular periférica total.
2 Hipertensão arterial: Aumento dos valores de pressão arterial acima dos valores considerados normais, que no adulto são de 140 milímetros de mercúrio de pressão sistólica e 85 milímetros de pressão diastólica.
3 Estudo randomizado: Ensaios clínicos comparativos randomizados são considerados o melhor delineamento experimental para avaliar questões relacionadas a tratamento e prevenção. Classicamente, são definidos como experimentos médicos projetados para determinar qual de duas ou mais intervenções é a mais eficaz mediante a alocação aleatória, isto é, randomizada, dos pacientes aos diferentes grupos de estudo. Em geral, um dos grupos é considerado controle - o que algumas vezes pode ser ausência de tratamento, placebo, ou mais frequentemente, um tratamento de eficácia reconhecida. Recursos estatísticos são disponíveis para validar conclusões e maximizar a chance de identificar o melhor tratamento. Esses modelos são chamados de estudos de superioridade, cujo objetivo é determinar se um tratamento em investigação é superior ao agente comparativo.
4 Pressão arterial sistólica: É a pressão mais elevada (pico) verificada nas artérias durante a fase de sístole do ciclo cardíaco, é também chamada de pressão máxima.
5 Pressão arterial diastólica: É a pressão mais baixa detectada no sistema arterial sistêmico, observada durante a fase de diástole do ciclo cardíaco. É também denominada de pressão mínima.
6 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
7 Urina: Resíduo líquido produzido pela filtração renal no organismo, estocado na bexiga e expelido pelo ato de urinar.
8 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
9 Peito: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original
Gostou do artigo? Compartilhe!