Gostou do artigo? Compartilhe!

Avaliação da função endotelial periférica prediz risco futuro de câncer de tumor sólido

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

As métricas de saúde1 cardiovascular preveem o risco não apenas de doenças cardiovasculares2, mas também de vários tipos de câncer3. A disfunção endotelial microvascular pode prever eventos adversos cardiovasculares futuros, mas o valor preditivo da disfunção endotelial microvascular para o risco futuro de câncer3 de tumor4 sólido ainda não foi caracterizado.

Saiba mais sobre "Doenças cardiovasculares2".

Foram incluídos neste estudo, publicado no periódico European Journal of Preventive Cardiology, 488 pacientes submetidos à avaliação da função endotelial microvascular por tonometria arterial periférica de hiperemia5 reativa. A disfunção endotelial microvascular foi definida como um índice de tonometria arterial periférica de hiperemia5 reativa ≤2,0.

Dos 221 pacientes com um índice basal de tonometria arterial periférica de hiperemia5 reativa ≤2,0, 21 pacientes (9,5%) foram diagnosticados com câncer3 de tumor4 sólido incidente6 durante o acompanhamento, enquanto que, de 267 pacientes com um índice basal de tonometria arterial periférica de hiperemia5 reativa >2,0, 10 pacientes (3,7%) foram diagnosticados com câncer3 de tumor4 sólido incidente6 durante o acompanhamento (p = 0,009).

Pacientes com índice de tonometria arterial periférica de hiperemia5 reativa ≤2,0 apresentaram menor sobrevida7 livre de câncer3 de tumor4 sólido em comparação com pacientes com índice de tonometria arterial periférica de hiperemia5 reativa >2,0 (log-rank p = 0,017; acompanhamento médio 6,0 [3,0– 9,1] anos).

As análises de risco proporcional de Cox mostraram que um índice de tonometria arterial periférica de hiperemia5 reativa ≤2,0 previa a incidência8 de câncer3 de tumor4 sólido, com uma taxa de risco de 2,52 (intervalo de confiança de 95%, 1,17–5,45; p = 0,019) após o ajuste para idade, sexo e doença arterial coronariana; 2,83 (intervalo de confiança de 95%, 1,30–6,17; p = 0,009) após o ajuste para diabetes mellitus9, hipertensão10, tabagismo e índice de massa corporal11 >30 kg/m²; 2,79 (intervalo de confiança de 95%, 1,21–6,41; p = 0,016) após o ajuste para glicemia12 plasmática em jejum, pressão arterial sistólica13, tabagismo (atual ou anterior) e índice de massa corporal11; e 2,43 (intervalo de confiança de 95%, 1,10–5,34; p = 0,028) após o ajuste para o escore de risco de Framingham.

Concluiu-se neste trabalho que a disfunção endotelial microvascular, definida por um índice de tonometria arterial periférica de hiperemia5 reativa ≤2,0, foi associada a um risco mais que duas vezes maior de câncer3 de tumor4 sólido. A disfunção endotelial microvascular pode ser um marcador útil para prever o risco futuro de câncer3 de tumor4 sólido, além de sua capacidade conhecida de prever doença cardiovascular.

Mais pesquisas são necessárias para desenvolver estratégias adequadas de rastreamento do câncer3 para pacientes14 com disfunção endotelial microvascular.

Leia sobre "Prevenção do câncer3", "Limitar o consumo de álcool reduz o risco de câncer3" e "Parar de fumar".

 

Fonte: European Journal of Preventive Cardiology, em 31 de outubro de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. Avaliação da função endotelial periférica prediz risco futuro de câncer de tumor sólido. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1350878/avaliacao-da-funcao-endotelial-periferica-prediz-risco-futuro-de-cancer-de-tumor-solido.htm>. Acesso em: 11 nov. 2019.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
3 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
4 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
5 Hiperemia: Congestão sanguínea em qualquer órgão ou parte do corpo.
6 Incidente: 1. Que incide, que sobrevém ou que tem caráter secundário; incidental. 2. Acontecimento imprevisível que modifica o desenrolar normal de uma ação. 3. Dificuldade passageira que não modifica o desenrolar de uma operação, de uma linha de conduta.
7 Sobrevida: Prolongamento da vida além de certo limite; prolongamento da existência além da morte, vida futura.
8 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
9 Diabetes mellitus: Distúrbio metabólico originado da incapacidade das células de incorporar glicose. De forma secundária, podem estar afetados o metabolismo de gorduras e proteínas.Este distúrbio é produzido por um déficit absoluto ou relativo de insulina. Suas principais características são aumento da glicose sangüínea (glicemia), poliúria, polidipsia (aumento da ingestão de líquidos) e polifagia (aumento da fome).
10 Hipertensão: Condição presente quando o sangue flui através dos vasos com força maior que a normal. Também chamada de pressão alta. Hipertensão pode causar esforço cardíaco, dano aos vasos sangüíneos e aumento do risco de um ataque cardíaco, derrame ou acidente vascular cerebral, além de problemas renais e morte.
11 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
12 Glicemia: Valor de concentração da glicose do sangue. Seus valores normais oscilam entre 70 e 110 miligramas por decilitro de sangue (mg/dl).
13 Pressão arterial sistólica: É a pressão mais elevada (pico) verificada nas artérias durante a fase de sístole do ciclo cardíaco, é também chamada de pressão máxima.
14 Para pacientes: Você pode utilizar este texto livremente com seus pacientes, inclusive alterando-o, de acordo com a sua prática e experiência. Conheça todos os materiais Para Pacientes disponíveis para auxiliar, educar e esclarecer seus pacientes, colaborando para a melhoria da relação médico-paciente, reunidos no canal Para Pacientes . As informações contidas neste texto são baseadas em uma compilação feita pela equipe médica da Centralx. Você deve checar e confirmar as informações e divulgá-las para seus pacientes de acordo com seus conhecimentos médicos.
Gostou do artigo? Compartilhe!