Gostou do artigo? Compartilhe!

Velocidade de onda de pulso está associada a maior risco de demência em pacientes com comprometimento cognitivo leve

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Em estudo publicado pelo periódico Hypertension, pesquisadores investigaram a associação entre a velocidade de onda de pulso, a espessura médio-intimal, o diâmetro da artéria1 carótida, as placas2 carotídeas e a conversão do comprometimento cognitivo3 leve para a demência4.

Saiba mais sobre "Demência4" e "Obstrução da carótida".

Trezentos e setenta e cinco idosos ambulatoriais com comprometimento cognitivo3 leve foram acompanhados anualmente para examinar a potencial conversão para demência4. A função vascular5 foi avaliada pela velocidade de onda de pulso carotídeo-femoral. A estrutura vascular5 foi avaliada pela espessura médio-intimal, diâmetro da artéria1 carótida e placas2 carotídeas, utilizando uma avaliação ultrassonográfica das artérias6 carótidas7.

Cento e cinco pacientes (28%) converteram-se em demência4 durante um período médio de seguimento de 4,5 anos. Velocidade de onda de pulso maior foi associada com maior risco de conversão para demência4 (aumento de 1-DP da velocidade de onda de pulso: hazard ratio, 1,33; IC 95%, 1,04-1,71; P = 0,02), independentemente da idade, sexo, nível educacional, pressão arterial sistólica8, doenças cardiovasculares9, índice de massa corporal10, ingestão de bloqueadores dos canais de cálcio, Mini Exame do Estado Mental no início e status do apoE ε4.

Espessura médio-intimal, placas2 carotídeas e diâmetro da artéria1 carótida não predizem conversão para demência4 (aumento de 1-DP da espessura médio-intimal: hazard ratio, 0,93; IC 95%, 0,73-1,18; P = 0,55; presença de placas2 carotídeas: hazard ratio, 1,08; IC 95%, 0,62-1,87; P = 0,79; aumento de 1-DP do diâmetro da artéria1 carótida: hazard ratio, 1,08; IC 95%, 0,89-1,31; P = 0,44).

A velocidade de onda de pulso foi associada à conversão em demência4, enquanto a espessura médio-intimal, placas2 carotídeas ou o diâmetro da artéria1 carótida não foram, após controle por idade e outros fatores de confusão. A rigidez arterial pode identificar pacientes com comprometimento cognitivo3 leve com maior risco de demência4 e pode ser um alvo terapêutico para retardar ou prevenir o aparecimento de demência4.

Leia também sobre "Distúrbio neurocognitivo", "Mal de Alzheimer11" e "Demência4 vascular5".

 

Fonte: Hypertension, Vol. 72, No. 5, novembro de 2018.

 

NEWS.MED.BR, 2019. Velocidade de onda de pulso está associada a maior risco de demência em pacientes com comprometimento cognitivo leve. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1341458/velocidade-de-onda-de-pulso-esta-associada-a-maior-risco-de-demencia-em-pacientes-com-comprometimento-cognitivo-leve.htm>. Acesso em: 5 dez. 2019.

Complementos

1 Artéria: Vaso sangüíneo de grande calibre que leva sangue oxigenado do coração a todas as partes do corpo.
2 Placas: 1. Lesões achatadas, semelhantes à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.
3 Cognitivo: 1. Relativo ao conhecimento, à cognição. 2. Relativo ao processo mental de percepção, memória, juízo e/ou raciocínio. 3. Diz-se de estados e processos relativos à identificação de um saber dedutível e à resolução de tarefas e problemas determinados. 4. Diz-se dos princípios classificatórios derivados de constatações, percepções e/ou ações que norteiam a passagem das representações simbólicas à experiência, e também da organização hierárquica e da utilização no pensamento e linguagem daqueles mesmos princípios.
4 Demência: Deterioração irreversível e crônica das funções intelectuais de uma pessoa.
5 Vascular: Relativo aos vasos sanguíneos do organismo.
6 Artérias: Os vasos que transportam sangue para fora do coração.
7 Carótidas: Artérias originadas a partir da aorta torácica ou a partir de um dos seus ramos principais, encarregadas de conduzir o maior volume sangüíneo para as estruturas do crânio.Estão dispostas de cada lado do pescoço (carótidas externas), que a seguir ramifica-se em várias artérias e unem-se aos troncos arteriais derivados do circuito cerebral posterior, através dos ramos comunicantes posteriores.
8 Pressão arterial sistólica: É a pressão mais elevada (pico) verificada nas artérias durante a fase de sístole do ciclo cardíaco, é também chamada de pressão máxima.
9 Doenças cardiovasculares: Doença do coração e vasos sangüíneos (artérias, veias e capilares).
10 Índice de massa corporal: Medida usada para avaliar se uma pessoa está abaixo do peso, com peso normal, com sobrepeso ou obesa. É a medida mais usada na prática para saber se você é considerado obeso ou não. Também conhecido como IMC. É calculado dividindo-se o peso corporal em quilogramas pelo quadrado da altura em metros. Existe uma tabela da Organização Mundial de Saúde que classifica as medidas de acordo com o resultado encontrado.
11 Alzheimer: Doença degenerativa crônica que produz uma deterioração insidiosa e progressiva das funções intelectuais superiores. É uma das causas mais freqüentes de demência. Geralmente começa a partir dos 50 anos de idade e tem incidência similar entre homens e mulheres.
Gostou do artigo? Compartilhe!