Gostou do artigo? Compartilhe!

Suplementos dietéticos ligados a eventos graves de saúde em crianças e jovens

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

O consumo de suplementos dietéticos vendidos para perda de peso, construção muscular e energia foi associado ao aumento do risco de eventos médicos graves em crianças e jovens comparado ao consumo de vitaminas, de acordo com nova pesquisa liderada pela Harvard T.H. Chan School of Public Health. O estudo, publicado online em 5 de junho de 2019 no Journal of Adolescent Health, descobriu que, em comparação com as vitaminas, esses tipos de suplementos estavam ligados a quase três vezes mais resultados médicos graves em jovens.

A Food and Drug Administration (FDA) emitiu inúmeros avisos sobre os suplementos vendidos para perda de peso, construção muscular ou melhora do desempenho esportivo, função sexual e energia. Sabe-se que esses produtos são amplamente comercializados e usados por jovens. Então, quais são as consequências para a sua saúde1? Essa é a pergunta que este trabalho quis responder, disse a autora principal Flora Or, pesquisadora da Harvard Chan School’s Strategic Training Initiative for the Prevention of Eating Disorders.

Os pesquisadores analisaram relatórios de eventos adversos, entre janeiro de 2004 e abril de 2015, no U.S. Food and Drug Administration Adverse Event Reporting System - banco de dados de alimentos e suplementos dietéticos. Eles analisaram o risco relativo de eventos médicos graves, como morte, incapacidade e hospitalização em indivíduos com idades entre 0 e 25 anos que estavam ligados ao uso de suplementos dietéticos vendidos para perda de peso, construção muscular ou energia comparados às vitaminas.

Constataram que havia 977 relatos de eventos adversos relacionados ao suplemento único para a faixa etária alvo. Destes, aproximadamente 40% envolveram desfechos médicos graves, incluindo morte e hospitalização. Suplementos vendidos para perda de peso, construção muscular e energia foram associados a quase três vezes o risco de desfechos médicos graves em comparação com as vitaminas. Suplementos vendidos para função sexual e limpeza do cólon2 foram associados a aproximadamente duas vezes o risco de desfechos médicos graves comparados às vitaminas.

O autor sênior3 S. Bryn Austin, professor do Departamento de Ciências Sociais e do Comportamento, observou que médicos respeitáveis não recomendam o uso do tipo de suplementos dietéticos analisados neste estudo. Muitos destes produtos foram encontrados adulterados com medicamentos de prescrição médica, substâncias proibidas, metais pesados, pesticidas e outros produtos químicos perigosos. E outros estudos têm ligado a perda de peso e suplementos de musculação com derrame4, câncer5 de testículo6, danos ao fígado7 e até mesmo morte.

Segundo Austin, "Já é tempo de políticos e varejistas tomarem medidas significativas para proteger crianças e consumidores de todas as idades", para que os fabricantes destes produtos e os revendedores não prejudiquem a juventude americana.

Este estudo foi financiado pela Ellen Feldberg Gordon Fund for Eating Disorders Prevention Research e pela Strategic Training Initiative for the Prevention of Eating Disorders.

Leia sobre "Como ganhar massa muscular", "Atrofia8 muscular" e "Whey Protein (Proteína do Soro9)".

 

Fonte: Harvard T. H. Chan, em 5 de junho de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. Suplementos dietéticos ligados a eventos graves de saúde em crianças e jovens. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1340303/suplementos-dieteticos-ligados-a-eventos-graves-de-saude-em-criancas-e-jovens.htm>. Acesso em: 20 nov. 2019.

Complementos

1 Saúde: 1. Estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e o seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital. 2. Estado de boa disposição física e psíquica; bem-estar. 3. Brinde, saudação que se faz bebendo à saúde de alguém. 4. Força física; robustez, vigor, energia.
2 Cólon:
3 Sênior: 1. Que é o mais velho. 2. Diz-se de desportistas que já ganharam primeiros prêmios: um piloto sênior. 3. Diz-se de profissionais experientes que já exercem, há algum tempo, determinada atividade.
4 Derrame: Conhecido popularmente como derrame cerebral, o acidente vascular cerebral (AVC) ou encefálico é uma doença que consiste na interrupção súbita do suprimento de sangue com oxigênio e nutrientes para o cérebro, lesando células nervosas, o que pode resultar em graves conseqüências, como inabilidade para falar ou mover partes do corpo. Há dois tipos de derrame, o isquêmico e o hemorrágico.
5 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
6 Testículo: A gônada masculina contendo duas partes funcionais Sinônimos: Testículos
7 Fígado: Órgão que transforma alimento em energia, remove álcool e toxinas do sangue e fabrica bile. A bile, produzida pelo fígado, é importante na digestão, especialmente das gorduras. Após secretada pelas células hepáticas ela é recolhida por canalículos progressivamente maiores que a levam para dois canais que se juntam na saída do fígado e a conduzem intermitentemente até o duodeno, que é a primeira porção do intestino delgado. Com esse canal biliar comum, chamado ducto hepático, comunica-se a vesícula biliar através de um canal sinuoso, chamado ducto cístico. Quando recebe esse canal de drenagem da vesícula biliar, o canal hepático comum muda de nome para colédoco. Este, ao entrar na parede do duodeno, tem um músculo circular, designado esfíncter de Oddi, que controla o seu esvaziamento para o intestino.
8 Atrofia: 1. Em biologia, é a falta de desenvolvimento de corpo, órgão, tecido ou membro. 2. Em patologia, é a diminuição de peso e volume de órgão, tecido ou membro por nutrição insuficiente das células ou imobilização. 3. No sentido figurado, é uma debilitação ou perda de alguma faculdade mental ou de um dos sentidos, por exemplo, da memória em idosos.
9 Soro: Chama-se assim qualquer líquido de características cristalinas e incolor.
Gostou do artigo? Compartilhe!