Gostou do artigo? Compartilhe!

É possível acompanhar com ultrassonografias massas ovarianas com morfologia benigna, segundo estudo publicado pelo The Lancet Oncology

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Os tumores ovarianos geralmente são removidos cirurgicamente devido ao risco presumido de complicações. Existem poucos estudos prospectivos de longo prazo sobre o seguimento dessas massas anexiais. O objetivo deste estudo, publicado pelo periódico The Lancet Oncology, foi estimar a incidência1 cumulativa de complicações císticas e malignidade durante os primeiros dois anos de acompanhamento após as massas anexiais terem sido classificadas como benignas pelo uso da ultrassonografia2.

Saiba mais sobre "Ultrassonografia2 transvaginal".

Neste estudo prospectivo3, de coorte4 internacional, conhecido como International Ovarian Tumor5 Analysis Phase 5 (IOTA5), pacientes com 18 anos ou mais, com pelo menos uma massa anexial6, que foram selecionadas para cirurgia ou tratamento conservador após avaliação ultrassonográfica, foram recrutadas consecutivamente de 36 centros de câncer7 em 14 países.

O acompanhamento de pacientes manejadas de maneira conservadora está em andamento no momento. Nesta análise interina de dois anos, os pesquisadores analisaram pacientes que foram selecionadas para o tratamento conservador de uma massa anexial6 julgada ser benigna em ultrassonografia2 com base na avaliação subjetiva de imagens de ultrassom. O manejo conservador incluiu ultrassonografia2 e acompanhamento clínico em intervalos de 3 meses e 6 meses e, posteriormente, a cada 12 meses. Os principais resultados desta análise interina de 2 anos foram incidência1 cumulativa de resolução espontânea da massa, torção8 ou ruptura do cisto, ou malignidade limítrofe ou invasiva, confirmada cirurgicamente em pacientes com massa anexial6 recém-diagnosticada. O IOTA5 está em andamento.

Entre 1º de janeiro de 2012 e 1º de março de 2015, 8.519 pacientes foram recrutadas para o IOTA5. 3.144 (37%) pacientes selecionadas para tratamento conservador foram elegíveis para inclusão nesta análise, das quais 221 (7%) não tinham dados de acompanhamento e 336 (11%) foram operadas antes que uma varredura de acompanhamento planejada fosse feita.

Das 2.587 (82%) pacientes com dados de acompanhamento, 668 (26%) tinham uma massa que já estava em acompanhamento no recrutamento, e 1.919 (74%) apresentaram uma nova massa no recrutamento (ou seja, ainda não em acompanhamento no centro antes do recrutamento). O acompanhamento médio de pacientes com novas massas foi de 27 meses (IQR 14-38). A incidência1 cumulativa de resolução espontânea dentro de 2 anos de acompanhamento entre aquelas com uma nova massa no recrutamento (n=1.919) foi de 20,2% (IC 95% 18,4–22,1), de encontrar malignidade invasiva na cirurgia foi 0,4% (IC 95% 0,1–0,6), 0,3% (<0,1–0,5) para um tumor5 limítrofe, 0,4% (0,1–0,7) para torção8 e 0,2% (<0,1–0,4) para ruptura do cisto.

Os resultados sugerem que o risco de malignidade e complicações agudas é baixo se massas anexiais com morfologia ultrassônica benigna são manejadas conservadoramente, o que pode ser útil quando se aconselha pacientes, e suporta o tratamento conservador de massas anexiais classificadas como benignas pelo ultrassom.

Veja também sobre "Cistos ovarianos", "Câncer7 de ovário9", "Cisto dermoide do ovário9" e "Riscos e benefícios da retirada dos ovários10".

 

Fonte: The Lancet Oncology, em 5 de fevereiro de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. É possível acompanhar com ultrassonografias massas ovarianas com morfologia benigna, segundo estudo publicado pelo The Lancet Oncology. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1333718/e-possivel-acompanhar-com-ultrassonografias-massas-ovarianas-com-morfologia-benigna-segundo-estudo-publicado-pelo-the-lancet-oncology.htm>. Acesso em: 14 dez. 2019.

Complementos

1 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
2 Ultrassonografia: Ultrassonografia ou ecografia é um exame complementar que usa o eco produzido pelo som para observar em tempo real as reflexões produzidas pelas estruturas internas do organismo (órgãos internos). Os aparelhos de ultrassonografia utilizam uma frequência variada, indo de 2 até 14 MHz, emitindo através de uma fonte de cristal que fica em contato com a pele e recebendo os ecos gerados, os quais são interpretados através de computação gráfica.
3 Prospectivo: 1. Relativo ao futuro. 2. Suposto, possível; esperado. 3. Relativo à preparação e/ou à previsão do futuro quanto à economia, à tecnologia, ao plano social etc. 4. Em geologia, é relativo à prospecção.
4 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
5 Tumor: Termo que literalmente significa massa ou formação de tecido. É utilizado em geral para referir-se a uma formação neoplásica.
6 Anexial: Diz respeito às regiões do corpo de uma mulher que ficam ao lado do útero e compreendem os ovários e as trompas de Falópio, juntamente com os vasos sanguíneos associados, ligamentos, tecidos conectivos, etc.
7 Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular capaz de invadir outros órgãos localmente ou à distância (metástases).
8 Torção: 1. Ato ou efeito de torcer. 2. Na geometria diferencial, é a medida da derivada do vetor binormal em relação ao comprimento de arco. 3. Em física, é a deformação de um sólido em que os planos vizinhos, transversais a um eixo comum, sofrem, cada um deles, um deslocamento angular relativo aos outros planos. 4. Em medicina, é o mesmo que entorse. 5. Na patologia, é o movimento de rotação de um órgão sobre si mesmo. 6. Em veterinária, é a cólica de alguns animais, especialmente a do cavalo.
9 Ovário: Órgão reprodutor (GÔNADAS) feminino. Nos vertebrados, o ovário contém duas partes funcionais Sinônimos: Ovários
10 Ovários: São órgãos pares com aproximadamente 3cm de comprimento, 2cm de largura e 1,5cm de espessura cada um. Eles estão presos ao útero e à cavidade pelvina por meio de ligamentos. Na puberdade, os ovários começam a secretar os hormônios sexuais, estrógeno e progesterona. As células dos folículos maduros secretam estrógeno, enquanto o corpo lúteo produz grandes quantidades de progesterona e pouco estrógeno.
Gostou do artigo? Compartilhe!