Gostou do artigo? Compartilhe!

Infecção pelo vírus Influenza em pacientes hospitalizados com insuficiência cardíaca pode aumentar a morbimortalidade, em artigo do JACC: Heart Failure

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Muhammad S. Panhware e outros colaboradores do University Hospitals Cleveland Medical Center publicaram na revista Heart Failure um estudo realizado com o objetivo de determinar se a infecção1 por influenza2 aumenta a morbidade3 e mortalidade4 em pacientes hospitalizados com insuficiência cardíaca5 (IC).

Saiba mais sobre "Insuficiência cardíaca5".

Pacientes com IC podem ter risco aumentado de morbidade3 e mortalidade4 por infecção1 por influenza2. No entanto, existem dados limitados para os riscos associados à infecção1 por influenza2 em pacientes com IC.

Os pesquisadores consultaram o banco de dados National Inpatient Sample 2013-2014 para todos os pacientes adultos (18 anos de idade ou mais) internados com IC com e sem infecção1 concomitante por influenza2. A correspondência de escore de propensão foi usada para comparar os pacientes em relação a idade, raça, sexo e comorbidades6. Os resultados incluíram mortalidade4 hospitalar, complicações intra-hospitalares, tempo de permanência em hospital e custos hospitalares médios.

De 8.189.119 hospitalizações por todas as causas em pacientes com IC, 54.590 (0,67%) tiveram infecção1 concomitante por influenza2.

Pacientes com influenza2 concomitante tiveram maior incidência7 de mortalidade4 intra-hospitalar (6,2% vs 5,4%, respectivamente; odds ratio [OR]: 1,15 [intervalo de confiança [IC] de 95%: 1,03 a 1,30]; p=0,02), insucesso (36,9% vs 23,1%, respectivamente; OR: 1,95 [IC 95%: 1,83 a 2,07]; p<0,001), insuficiência respiratória aguda8 com necessidade de ventilação9 mecânica (18,2% vs 11,3%, respectivamente; OR: 1,75 [IC 95%: 1,62 a 1,89]; p<0,001), lesão10 renal11 aguda (LRA) (30,3% vs 28,7%, respectivamente; OR: 1,08 [IC 95%: 1,02 a 1,15]; p=0,01) e LRA requerendo diálise12 (2,4% vs 1,8%, respectivamente; OR: 1,37 [IC 95%: 1,14-1,65]; p=0,001).

Pacientes com influenza2 tiveram maior tempo médio de internação (5,9 dias vs 5,2 dias, respectivamente; p<0,001), mas custos hospitalares médios semelhantes (US $ 12.137 vs US $ 12.003, respectivamente; p=0,40).

Concluiu-se nesta pesquisa que a infecção1 por influenza2 está associada ao aumento da morbidade3 e mortalidade4 hospitalar em pacientes com insuficiência cardíaca5. Os resultados enfatizam a necessidade de esforços para mitigar13 a incidência7 da gripe14, especificamente nesta coorte15 de pacientes de alto risco.

Leia também sobre "Parada cardíaca", "Resfriado comum" e "Gripe14".

 

Fonte: JACC: Heart Failure, janeiro de 2019.

 

NEWS.MED.BR, 2019. Infecção pelo vírus Influenza em pacientes hospitalizados com insuficiência cardíaca pode aumentar a morbimortalidade, em artigo do JACC: Heart Failure. Disponível em: <https://www.news.med.br/p/medical-journal/1332468/infeccao-pelo-virus-influenza-em-pacientes-hospitalizados-com-insuficiencia-cardiaca-pode-aumentar-a-morbimortalidade-em-artigo-do-jacc-heart-failure.htm>. Acesso em: 22 ago. 2019.

Complementos

1 Infecção: Doença produzida pela invasão de um germe (bactéria, vírus, fungo, etc.) em um organismo superior. Como conseqüência da mesma podem ser produzidas alterações na estrutura ou funcionamento dos tecidos comprometidos, ocasionando febre, queda do estado geral, e inúmeros sintomas que dependem do tipo de germe e da reação imunológica perante o mesmo.
2 Influenza: Doença infecciosa, aguda, de origem viral que acomete o trato respiratório, ocorrendo em epidemias ou pandemias e frequentemente se complicando pela associação com outras infecções bacterianas.
3 Morbidade: Morbidade ou morbilidade é a taxa de portadores de determinada doença em relação à população total estudada, em determinado local e em determinado momento.
4 Mortalidade: A taxa de mortalidade ou coeficiente de mortalidade é um dado demográfico do número de óbitos, geralmente para cada mil habitantes em uma dada região, em um determinado período de tempo.
5 Insuficiência Cardíaca: É uma condição na qual a quantidade de sangue bombeada pelo coração a cada minuto (débito cardíaco) é insuficiente para suprir as demandas normais de oxigênio e de nutrientes do organismo. Refere-se à diminuição da capacidade do coração suportar a carga de trabalho.
6 Comorbidades: Coexistência de transtornos ou doenças.
7 Incidência: Medida da freqüência em que uma doença ocorre. Número de casos novos de uma doença em um certo grupo de pessoas por um certo período de tempo.
8 Insuficiência respiratória aguda: Impossibilidade do sistema respiratório em atender a manutenção da oxigenação e/ou ventilação de um indivíduo, que se instala de modo abrupto e leva ao surgimento de manifestações clínicas intensas. O sangue venoso que retorna aos pulmões não é suficientemente oxigenado, assim como o dióxido de carbono não é adequadamente eliminado. Este quadro tem como expressão gasométrica: PaO2 50mmHg (com pH < 7.35 ).
9 Ventilação: 1. Ação ou efeito de ventilar, passagem contínua de ar fresco e renovado, num espaço ou recinto. 2. Agitação ou movimentação do ar, natural ou provocada para estabelecer sua circulação dentro de um ambiente. 3. Em fisiologia, é o movimento de ar nos pulmões. Perfusão Em medicina, é a introdução de substância líquida nos tecidos por meio de injeção em vasos sanguíneos.
10 Lesão: 1. Ato ou efeito de lesar (-se). 2. Em medicina, ferimento ou traumatismo. 3. Em patologia, qualquer alteração patológica ou traumática de um tecido, especialmente quando acarreta perda de função de uma parte do corpo. Ou também, um dos pontos de manifestação de uma doença sistêmica. 4. Em termos jurídicos, prejuízo sofrido por uma das partes contratantes que dá mais do que recebe, em virtude de erros de apreciação ou devido a elementos circunstanciais. Ou também, em direito penal, ofensa, dano à integridade física de alguém.
11 Renal: Relacionado aos rins. Uma doença renal é uma doença dos rins. Insuficiência renal significa que os rins pararam de funcionar.
12 Diálise: Quando os rins estão muito doentes, eles deixam de realizar suas funções, o que pode levar a risco de vida. Nesta situação, é preciso substituir as funções dos rins de alguma maneira, o que pode ser feito realizando-se um transplante renal, ou através da diálise. A diálise é um tipo de tratamento que visa repor as funções dos rins, retirando as substâncias tóxicas e o excesso de água e sais minerais do organismo, estabelecendo assim uma nova situação de equilíbrio. Existem dois tipos de diálise: a hemodiálise e a diálise peritoneal.
13 Mitigar: Tornar mais brando, mais suave, menos intenso (geralmente referindo-se à dor ou ao sofrimento); aliviar, suavizar, aplacar.
14 Gripe: Doença viral adquirida através do contágio interpessoal que se caracteriza por faringite, febre, dores musculares generalizadas, náuseas, etc. Sua duração é de aproximadamente cinco a sete dias e tem uma maior incidência nos meses frios. Em geral desaparece naturalmente sem tratamento, apenas com medidas de controle geral (repouso relativo, ingestão de líquidos, etc.). Os antibióticos não funcionam na gripe e não devem ser utilizados de rotina.
15 Coorte: Grupo de indivíduos que têm algo em comum ao serem reunidos e que são observados por um determinado período de tempo para que se possa avaliar o que ocorre com eles. É importante que todos os indivíduos sejam observados por todo o período de seguimento, já que informações de uma coorte incompleta podem distorcer o verdadeiro estado das coisas. Por outro lado, o período de tempo em que os indivíduos serão observados deve ser significativo na história natural da doença em questão, para que haja tempo suficiente do risco se manifestar.
Gostou do artigo? Compartilhe!